Entre avanços e retrocessos: as contradições ou armadilhas da participação no planejamento urbano participativo

Samuel Pupo, Laura Machado de Mello Bueno

Resumo


O presente artigo tem por finalidade analisar as inovações institucionais de participação da sociedade civil e problematizar analiticamente a representação política exercida pelos Conselhos Gestores de Políticas Públicas, sob a ótica da representação política tradicional. Para tanto, realiza um estudo de caso sobre a política pública de manejo de águas pluviais, do Programa Saneamento para Todos do governo federal, no município de Jundiaí, estado de São Paulo. No que diz respeito à política urbana, o resultado da pesquisa revela a contradição existente entre, por um lado, a esperança nos processos participativos depositada pela influente literatura das áreas de urbanismo e ciência política em um contexto de transição e reforma democrática, e de outro, o prevalecimento de um modelo extremamente desigual de acesso à urbanidade.

 


Palavras-chave


conselhos gestores; sociedade civil; gestão urbana; democracia participativa; representação política.

Texto completo:

PDF

Referências


ABERS, R. N.; KECK, M. Representando a diversidade: Estado, sociedade e “relações fecundas” nos conselhos gestores. Cadernos CRH, 21, 52, p. 99-112, 2008.

AVRITZER, L.; SANTOS, B. S. “Para Ampliar o Cânone Democrático.” In: SANTOS, B. de S. (Org.). Democratizar a Democracia. Os Caminhos da Democracia. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005. p. 108-213.

BOSCHI, R. A arte da associação. Rio de Janeiro: Vértice/Iuperj, 1987. BRASIL. Lei nº 10.257, de 10 de Julho de 2001 (Estatuto da Cidade), que estabelece diretrizes gerais da política urbana. Brasília: Câmara dos Deputados, 2001. 273p.

COHEN, J.; ARATO, A. Civil society and political theory. Cambridge: The Mit Press, 1992. COSTA, S. Categoria Analítica ou Passe-Partout Político Normativo: Notas Bibliográficas sobre o Conceito de Sociedade Civil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, n. 43, p. 03-25, 1997.

DAGNINO, E.; OLVERA, A. J.; PANFICHI, A. (Orgs.). A Disputa pela Construção Democrática na América Latina. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

FELTRAN, G. S. “Deslocamentos: trajetórias individuais entre sociedade civil e Estado no Brasil”. In: FELTRAN, G. S. A disputa pela construção democrática na América Latina. LAVALLE, A. G.; HOUTZAGER, P. P.; CASTELLO, G. Democracia, Pluralização da Representação e Sociedade Civil. Lua Nova, n. 67, p. 49-103, 2006.

FELTRAN, G. S. Representação Política e Organizações Civis: Novas Instâncias de Mediação e os Desafios da Legitimidade. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 21, n. 60, p. 43-66, 2006.

FELTRAN, G. S. “A construção política das sociedades civis”. In: LAVALLE, A. G. (Org.). O horizonte da política: questões emergentes e agendas de pesquisa. São Paulo: Cosac Naify, 2008. p. 01-59.

HABERMAS, J. Facticidad y Validez: sobre el derecho y el Estado democrático de derecho en términos de teoría del discurso. 4. ed. Tradução de: Manuel Jiménez Redondo. Madrid: Trotta, 2005.

JUNDIAÍ. Lei nº 2.336, de 14 de março de 1979. Cria o Conselho Municipal de Meio Ambiente. Câmara Municipal, 1979.

JUNDIAÍ. Lei nº 3.645, de 07 de dezembro de 1990. Regula, nos termos da Lei Orgânica de Jundiaí, o Conselho Municipal do Meio Ambiente - COMDEMA. Câmara Municipal, 1990.

JUNDIAÍ. Lei Complementar nº 415, de 29 de dezembro de 2004. Institui o novo Plano Diretor. Câmara Municipal, 2004.

JUNDIAÍ. Lei Complementar nº 416, de 29 de dezembro de 2004. Estabelece diretrizes para ocupação do solo. Câmara Municipal, 2004.

KOWARICK, L. A Espoliação Urbana. São Paulo: Paz e Terra, 1982.

LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ. Jundiaí, Câmara Municipal, 2005.

LÜCHMANN, L. H. H. A representação no interior das experiências de participação. Lua Nova. Revista de Cultura e Política, São Paulo, v. 70, p. 139-170, 2007.

MARICATO, E. Nunca fomos tão participativos. Agência Carta Maior, 2007. Disponível em: http://www.cartamaior.com.br/templates/colunaMostrar.cfm?coluna_id=3774 . Acesso em: 30 jan. 2010.

MARQUES, E. C. Estado e redes sociais: permeabilidade e coesão nas políticas urbanas no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2000. Revan/Fapesp.

MINISTÉRIO DAS CIDADES. Instrução Normativa nº 46, de 10 de outubro de 2007, que regulamenta os procedimentos e as disposições relativas às operações de crédito no âmbito do Programa Saneamento para Todos. Disponível em:

http://www.cidades.gov. br/ministerio-das-cidades/legislacao/instrucoes/instrucoes-normativas-2007/IN46_2007. pdf . Acesso em: 04 fev. 2010.

NUNES, E. A gramática política do Brasil: clientelismo e insulamento burocrático. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

PADUA, J. A. Espaço Público, Interesses Privados e Política Ambiental. Ambiente e Sociedade: Possibilidades e Perspectivas de Pesquisas. 1. ed., v. 1, p. 1-10. Campinas: Unicamp, 1992.

PITKIN, H. F. The Concept of Representation. University Of California Press: Berkley, 1992.

PUPO, S. C. A imposição do consenso: limites e possibilidades na experiência participativa do Conselho de Meio Ambiente em Jundiaí. 2009. 173f. Dissertação (mestrado em urbanismo) – programa de Pós-Graduação em Urbanismo, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, 2010.

PUPO, S. C.; BUENO, L. M. M. Conselhos gestores de políticas públicas e representação política: implicações na gestão urbana e ambiental. ANAIS do XIII Encontro Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional, Florianópolis, SC, maio de 2009.

PUTNAM, R. Comunidade e Democracia: a Experiência da Itália Moderna. Rio de Janeiro: FGV Editora, 1993.

SADER, E. Quando novos personagens entram em cena: falas e lutas dos trabalhadores da Grande São Paulo, 1970-1980. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

SOUZA, Adriana C. A Institucionalização dos Conselhos Gestores de Políticas Públicas: A Atuação do COMDEMA na Definição da Política Urbana e Ambiental de Campinas, 2008. 126f. Dissertação (mestrado em urbanismo) – Faculdade de arquitetura e urbanismo, Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, 2008.

VILLAÇA, F. As ilusões do Plano Diretor. 2004. Disponível em:

http://www.revistasusp. sibi.usp.br/pdf/posfau/n19/22.pdf . Acesso em: 13 maio 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2012v14n1p135

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia