Direito alternativo: a juridicidade nas favelas

Tales Lobosco

Resumo


Embora relegado pelo Estado, o espaço urbano das favelas brasileiras não se caracteriza pela ausência de regras e controles urbanos, mas por uma manifestação específica destes mecanismos. Uma população social e espacialmente segregada, com pouco conhecimento das leis escritas, mas que sabe, por vivência cotidiana, o significado de justiça e legalidade – foi capaz de estruturar de forma independente a produção do espaço urbano que habitam. Para os habitantes da favela, os direitos não dizem respeito apenas às garantias inscritas na lei e nas instituições, mas ao modo como as relações sociais se estruturam. O distanciamento frente às estruturas formais de controle, que a condição de ilegalidade e informalidade estabelece, proporcionou a organização de estruturas próprias de controle e manutenção da ordem urbana, que, além de propiciar certa independência de gestão, mostram-se muito mais adequadas às condições e especificidades do espaço que ocupam do que suas equivalentes formais.

 


Palavras-chave


favelas; espaço urbano; informalidade; ilegalidade urbana; produção do espaço; práticas urbanas; direito.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


AMARANTE, F. O pluralismo jurídico e o direito de laje. Revista Magister de Direito Ambiental e Urbanístico, v. 8, n. 46, p. 38-59, fev./mar. 2013.

BISOL, R. Dialética social do direito. In: SOUSA JUNIOR, J. G. (Org.). O direito achado na rua. Brasília: UnB, 1990. p. 35-37.

BOTTOMORE, T. Liberdade. In: OUTHWAITE, W.; BOTTOMORE, T. (Ed.). Dicionário do pensamento social do século XX. Rio de Janeiro: Zahar, 1996. p. 424-425.

BURGOS, M. Favela: uma forma de luta pelo direito à cidade. In: MELLO, M. A. et al. (Org.). Favelas Cariocas ontem e hoje. Rio de Janeiro: Garamond, 2012. p. 373-391.

BURGOS, M. et al. O Efeito UPP na Percepção dos Moradores das Favelas. Desigualdade & Diversidade, Rio de Janeiro, n. 11, p. 49-98, ago./dez. 2011.

CATUSSO, J. Pluralismo jurídico: um novo paradigma para se pensar o fenômeno jurídico. Revista Eletrônica do CEJUR, Curitiba, v. 1, n. 2, p. 119-147, ago./dez. 2007.

CHAUÍ, M. Convite à filosofia. São Paulo: Ed. Ática, 2000.

CUNHA, N.; MELLO, M. A. Novos conflitos na cidade: A UPP e o processo de urbanização na favela. DILEMAS: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, v. 4, n. 3, p. 371-401, jul./set. 2011.

CORREA, C. A invisibilidade do direito fundamental de morar nas favelas cariocas: Modo de vida e de reprodução social em mercados informais e no ‘direito de laje’. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA, 27, 2010, Belém. Anais da 27a RBA. Belém: ABA, 2010. 1 CD-ROM.

DURKHEIM, É. L’éducation morale. Paris: Librairie Félix Alcan, 1934.

EHRLICH, E. Fundamentos da sociologia do direito. Brasília: Ed. UnB, 1986.

ELIAS, N.; SCOTSON, J. Os estabelecidos e os outsiders. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

FREITAG, B. A norma social: gênese e conscientização. In: SOUSA JUNIOR, J. G. (Org.). O direito achado na rua. Brasília: UnB, 1990. p. 49-51.

JUNQUEIRA, E; RODRIGUES, J. Pasárgada revisitada. Sociologia - Problemas e Práticas, Lisboa, n. 12, p. 9-17, 1992.

KONZEN, L. Boas aventuras na Pasárgada: do pluralismo jurídico ou alternativas para uma ciência do direito pós-moderna? Prisma Jurídico, São Paulo, v. 5, p. 169-184, 2006.

LEITE, M.; OLIVEIRA, P. Violência e insegurança nas favelas cariocas: o ponto de vista dos moradores. Praia Vermelha - Estudos de Política e Teoria Social, Rio de Janeiro, n. 13, p. 14-42, 2005.

LESSA, C. O Rio de todos os Brasis: uma reflexão em busca de auto-estima. Rio de Janeiro: Record, 2005.

LYRA FILHO, R. O Que é Direito. São Paulo: Brasiliense, 1982.

LYRA FILHO, R. Desordem e Processo: um posfácio explicativo. In: LYRA, D (Org.). Desordem e processo: estudos sobre o direito em homenagem a Roberto Lyra Filho. Porto Alegre: SAFE, 1986. p. 263-333.

MAGALHÃES, A. O direito das favelas no contexto da políticas de regularização. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 11, n. 1, p. 89-103, mai. 2009.

MAGALHÃES, A. Depois da urbanização vem a legislação. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 14, 2011, Rio de Janeiro. Anais do XIV Encontro Nacional da Anpur. Rio de Janeiro: ANPUR, 2011. 1 CD-ROM.

MALISKA, M. Introdução à sociologia do direito de Eugen Ehrlich. Curitiba: Juruá, 2001.

MOUTINHO, L. Considerações sobre violência, gênero e cor em Rio das Pedras. In: BURGOS, M. (Org.). A utopia da comunidade: Rio das Pedras, uma favela carioca. São Paulo: Edições Loyola, 2002. p. 223-249.

O'DONNELL, G. Teoria democrática e política comparada. Dados, Rio de Janeiro, v. 42, n. 4, p. 655-690, 1999.

OLIVEIRA, L. Polícia e classes populares. Cadernos Estudos Sociais, Recife, v. 1, n. 1, p. 85-96, jan./jun. 1985.

PHARO, P. Le civisme ordinaire. Paris: Librairie des Méridiens, 1985.

QUINTANEIRO, T.; BARBOSA, M. L.; OLIVEIRA, M. Um toque de clássicos: Marx, Durkheim e Weber. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2002.

SADER, E. Quando novos personagens entraram em cena: experiências, falas e lutas dos trabalhadores da Grande São Paulo (1970-1980). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

SANTOS, B. Notas sobre a história jurídico-social de Pasárgada. In: SOUTO, C.; FALCÃO, J. (Org.). Sociologia e direito: textos básicos para a disciplina de sociologia jurídica. São Paulo: Pioneira, 1980. p. 109-117.

SARAYED-DIN, L. A ponte do Rio. Rio de Janeiro: E-papers, 2009.

SOUSA JUNIOR, J. Um direito achado na rua: o direito de morar. In: SOUSA JUNIOR, J. (Org.). O direito achado na rua. Brasília: UnB, 1990. p. 34-35.

SOUSA JUNIOR, J. Direito como liberdade: O direito achado na rua. Experiências populares emancipatórias de criação do direito. 2008. 338 f. Tese (Doutorado em Direito) - Faculdade de Direito, Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

TELLES, V. Sociedade civil e a construção de espaços públicos. In: DAGNINO, E. (Org.). Anos 90: política e sociedade no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2004. p. 91-102.

WEBER, M. Economía y sociedad. México: Fondo de Cultura, 1984.

WOLKMER, A. Pluralismo jurídico: fundamentos de uma nova cultura do direito. São Paulo: Alfa-Omega, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2014v16n1p203

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia