Urbanização brasileira: um olhar sobre o papel das cidades médias na primeira década do século XXI

Angela Moulin S. Penalva Santos

Resumo


O objetivo deste artigo é refletir sobre o papel das cidades com população superior a 100 mil habitantes na rede urbana brasileira na primeira década do século XXI. Partimos da premissa de que está em curso uma tendência de urbanização com concentração da população em um número reduzido de cidades, em um contexto de perda de centralidade da Indústria. Nesse processo, afirmam-se as metrópoles, mas aumenta a relevância de um grupo de cidades de médio porte, algumas das quais se tornaram centros regionais e articuladoras do território. Estamos chamando esse grupo de “cidades médias não metropolitanas” as cidades com população superior a 100 mil habitantes que não sejam capitais estaduais ou localizadas em regiões metropolitanas. A urbanização crescente com maior polarização espacial tem sido alimentada pela maior geração de empregos naquelas cidades, o que torna necessário que sejam implementadas políticas públicas que visem mitigar os efeitos da crise urbana que as metrópoles já experimentam.

 


Palavras-chave


cidades médias; urbanização; polarização espacial; geração de empregos; rede urbana.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


AFFONSO, J. R. Brasil, um caso à parte. In: XVI Regional Seminar of Fiscal Policy, Santiago do Chile, CEPAL/ILPES. In: , janeiro, 2004.

ANDRADE, T. A.; LODDER, C. Sistema Urbano e Cidades Médias no Brasil. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1979.

ANDRADE, T. A.; SERRA, R. V. (Org.). Cidades Médias Brasileiras. Rio de Janeiro: IPEA, 2001.

BENKO, G. Economia, Espaço e Globalização na aurora do século XXI. São Paulo: Hucitec, 1996.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CHOAY, F. El reino de lo urbano y la muerte de la ciudad. In: RAMOS, A. R. (Ed) Lo Urbano en 20 autores contemporáneos. Barcelona: Ediciones UPC, 1994.

HALL, P. Megaciudades, ciudades mundiales y ciudades globales. In: RAMOS, A. R. (Ed.) Lo Urbano en 20 autores contemporáneos. Barcelona: Ediciones UPC, 2004.

HARVEY, D. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992. IBGE. Indicadores Sociais Municipais. Brasília, IBGE, 2003.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Demographic Yearbook 2007. Disponível em: http://www.unstats.un.org/unsd/Demographic/Products/socind/population.htm . Acesso em 31 de julho de 2009.

SANTOS, A. M. S. P. Município, descentralização e território. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

SANTOS, M. A urbanização brasileira. São Paulo: Hucitec, 1996.

SASSEN, S. Los espectros de la globalización. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2003.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2010v12n2p103

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                            


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia