A formulação de políticas públicas e as concepções de espaço, território e região

Ivo Marcos Theis, Antônio Carlos F. Galvão

Resumo


A preocupação que inspirou este artigo foi que políticas públicas podem lograr maior efetividade se sua dimensão espacial for trazida para o primeiro plano. E se noções como espaço, território e região, aqui examinadas, tiverem seus significados devidamente explicitados. Comparativamente, as estratégias de desenvolvimento informadas pela consideração geográfica dos problemas a serem enfrentados tendem a ser mais bem encaminhadas no contexto brasileiro atual. O artigo inicia com uma revisão das trilhas teóricas perseguidas pela Geografia e pela Economia na formulação de seus respectivos conceitos de espaço. Em seguida, avança-se sobre as noções de território e região, respectivamente, tomadas como elementos centrais para a formulação de políticas que enfatizam a dimensão espacial – buscando, tanto quanto possível, colocar a Geografia e a Economia em diálogo. Por fim, na última seção, procura-se relacionar as concepções examinadas com as estratégias de desenvolvimento que se descortinam para o país nessa desafiadora quadra de sua história.

 


Palavras-chave


Brasil; desenvolvimento; espaço; políticas públicas; região; território.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ARAÚJO, T. B. de et al. “Política Nacional de Desenvolvimento Regional: uma proposta para discussão”. In: LIMONAD, E. et al. (org.) Brasil século XXI: por uma nova regionalização? São Paulo: Max Limonad, 2004. p. 28-53.

ARAÚJO, T. B. de. “Celso Furtado, o Nordeste e a construção do Brasil”. In: ALENCAR Jr., J.S. (org.) Celso Furtado e o desenvolvimento regional. Fortaleza: BNB, 2005. p. 209-236.

BECKER, B. “Uma nova regionalização para pensar o Brasil?” In: LIMONAD, E. et al. (org.) Brasil século XXI: por uma nova regionalização? São Paulo: Max Limonad, 2004. p. 11-27.

BOUDEVILLE, J.R. Les espaces économiques. Paris: Presses Universitaires de France, 1961.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. 8 ed. Trad. Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

BRANDÃO, C. Território e desenvolvimento: as múltiplas escalas entre o local e o global. Campinas: Ed. Unicamp, 2007.

CHRISTALLER, W. Die zentralen Orte in Süddeutschland. Jena: s.n., 1933.

CORAGGIO, J. L. On social spaceness and the concept of region: towards a materialistic approach to regional analysis. México: Center for Economic and Demographic Studies, 1980.

DINIZ, C. C. “Celso Furtado e o desenvolvimento regional”. Nova Economia, 19 (2), p. 227-249, 2009.

FERNANDES, A. C. “Da reestruturação corporativa à competição entre cidades: lições urbanas sobre os ajustes de interesses globais e locais no capitalismo contemporâneo”. Espaço e Debates, 17 (41), p. 26-45, 2001.

FREY, K. “Políticas públicas: um debate conceitual e reflexões referentes à prática da análise de políticas públicas no Brasil”. Planejamento e Políticas Públicas, n. 21, p. 211- 259, 2000. Disponível em http://www.ipea.gov.br/ppp/index.php/PPP/article/viewFi-le/89/158 Acesso em: 19 jun. 2011.

FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1959.

FURTADO, C. O capitalismo global. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.

GALVÃO, A. C. F. O capital oligopólico em marcha sobre a periferia nordestina: evolução da organização territorial, divisão territorial do trabalho e complementaridade industrial (Dissertação de mestrado). São Paulo, IPE/USP, 1988.

GALVÃO, A. C. F. Federalismo Estado-Nação e desenvolvimento regional. In: BECKER, D. F.; BANDEIRA, P. S. (Org.) Desenvolvimento local-regional: respostas regionais aos desafios da globalização (vol. 2). Santa Cruz do Sul: Ed. UNISC, p. 281-308, 2000.

GODOY, P. R. T. “A produção do espaço: uma reaproximação conceitual da perspectiva lefebvriana”. GEOUSP Espaço e Tempo, n. 23, p. 125-132, 2008.

HAESBAERT, R. O mito da desterritorialização. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

HAESBAERT, R. “Região: trajetos e perspectivas”. Anais da I Jornada de Economia Regional Comparada, Porto Alegre: FEE, 2005.

HAESBAERT, R. “Território e região numa constelação de conceitos”. In: MENDONÇA, F.; LÖWEN-SAHR, C. L.; SILVA, M. (Org.) Espaço e tempo: complexidade e desafios do pensar e do fazer geográficos. Curitiba: ADEMADAN, 621-634, 2009.

HAESBAERT, R. Regional-global: dilemas da região e da regionalização na geografia contemporânea. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

HARVEY, D. Social justice and the city. London: Edward Arnold, 1973.

HARVEY, D. The condition of postmodernity: an enquiry into the origins of cultural change. Cambridge/USA; Oxford/UK: Blackwell, 1989.

HARVEY, D. The limits to capital. Oxford: Basil Blackwell, 1982.

HARVEY, D. Spaces of global capitalism: towards a theory of uneven geographical development. London; New York: Verso, 2006.

HEIDEMANN, F. G.; SALM, J. F. Políticas públicas e desenvolvimento: bases epistemológicas e modelos de análise. Brasília: Ed. UnB, 2009.

HIRSCHMAN, A. O. Estratégia do desenvolvimento econômico. Rio de janeiro: Fundo de Cultura Econômica, 1961.

HOBSBAWM, E. J. Nações e nacionalismo desde 1780: programa, mito e realidade. Trad. M. C. Paoli; A. M. Quirino. 2 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

ISARD, W. Methods of regional analysis: an introduction to Regional Science. Cambridge: MIT Press; New York: Wiley, 1960.

KRUGMAN, P. R. Development, geography, and economic theory. Cambridge/Mass.; London: The MIT Press, 1997.

KRUGMAN, P. R. “The role of geography in development”. In: PLESKOVIC, B.;

STIGLITZ, J. E. (org.) Annual World Bank Conference on Development Economics 1998. Washington/DC: The World Bank, p. 89-107, 1999.

KUHN, T. S. A estrutura das revoluções científicas. Trad. B. V. Boeira; N. Boeira. 2 ed. São Paulo: Perspectiva, 1987.

LACOSTE, Y. Geografia do subdesenvolvimento: geopolítica de uma crise. 8 ed. Trad. E. A. Navarro; W. Santos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.

LEFEBVRE, H. The production of space. Oxford: Basil Blackwell, 1991.

LENCIONI, S. Região e geografia. São Paulo: Ed. USP, 1999.

LIMONAD, E. “Brasil século XXI: regionalizar para que? Para quem?” In: LIMONAD, E. et al. (org.) Brasil século XXI: por uma nova regionalização? São Paulo: Max Limonad, p. 54-66, 2004.

LIPIETZ, A. O capital e seu espaço. Trad. M. F. Gonçalves Seabra. São Paulo: Nobel, 1988.

LÖSCH, A. Die räumliche Ordnung der Wirtschaft. Jena: s.n., 1940.

MYRDAL, G. Teoria econômica e regiões subdesenvolvidas. Trad. N. Palhano. 3 ed. Rio de Janeiro: Editora Saga, 1972.

OLIVEIRA, F. de. Elegia para uma re(li)gião. 3 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

PALACIOS, J. J. “El concepto de región: la dimensión espacial de los procesos sociales”. Revista Interamericana de Planificación, n. 66, p. 56-68, 1983.

PERROUX, F. A economia do século XX. Lisboa: Herder, 1967.

RAFFESTIN, C. Por uma geografia do poder. São Paulo: Ática, 1993.

RIBEIRO, A. C. T. “Regionalização: fato e ferramenta”. In: LIMONAD, E. et al. (org.) Brasil século XXI: por uma nova regionalização? São Paulo: Max Limonad, 2004. p. 194-212.

SANTOS, M. “Society and space: social formation as theory and method”. Antipode, 9 (1), p. 3-13, 1977.

SANTOS, M. O trabalho do geógrafo no Terceiro Mundo. Trad. S. Lencioni. 2 ed. São Paulo: Hucitec, 1986.

SANTOS, M. Economia espacial: críticas e alternativas (= Col. Milton Santos, 3). São Paulo: Ed. USP, 2003.

SANTOS, M. Da totalidade ao lugar (= Col. Milton Santos, 7). São Paulo: Ed. USP, 2005.

SANTOS, M. Espaço e método (= Col. Milton Santos, 12). São Paulo: Ed. USP, 2008.

SAQUET, M. A.; SILVA, S. S. “Milton Santos: concepções de geografia, espaço e território”. Geo UERJ, 10 (2), p. 24-42, 2008.

SCOTT, A. J. Regions and the world economy: the coming shape of global production, competition, and political order. Oxford & New York: Oxford University Press, 1998.

SOUZA, C. “Políticas públicas: questões temáticas e de pesquisa”. Caderno CRH, n. 39, p. 11-24, 2003.

SOUZA, C. “Políticas públicas: uma revisão da literatura”. Sociologias, 8 (16), p. 20-45, 2006. https://doi.org/10.1590/s1517-45222006000200003

SOUZA, M. J. L. “Algumas notas sobre a importância do espaço para o desenvolvimento social”. Território, 3 (2), p. 13-35, 1997.

SMITH, N. Desenvolvimento desigual: natureza, capital e a produção de espaço. Trad. Eduardo de Almeida Navarro. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1988.

THEIS, I M. Entwicklung und Energie in Südbrasilien: Eine wirtschaftsgeographische Analyse des Energiesystems des Itajaítals in Santa Catarina (= Tese de Doutorado). Tübingen: Geographisches Institut/Universität Tübingen, 2000.

VELTZ, P. Mundialización, ciudades y territorios: la economia de archipélago. Barcelona: Editorial Ariel, 1999.

Von THÜNEN, J. H. Der isolierte Staat in Beziehung auf Landwirtschaft und Nationalökonomie. Berlin: s.n., 1826.

WEBER, A. Über den Standort der Industrie. Tübingen: s.n., 1909.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2012v14n2p55

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia