Urbanização e sustentabilidade ambiental: questões de território

Maria Helena Ferreira Machado

Resumo


Este artigo aponta algumas reflexões sobre a ocupação do território e o processo de urbanização brasileiro, sob a ótica da sustentabilidade ambiental. Discute a aplicação do termo desenvolvimento sustentável e as formas usuais como ele tem sido interpretado, muitas vezes deixando de lado sua relação com o conceito de desenvolvimento econômico. Entendemos que as atuais dinâmicas socioespaciais, seja do ponto de vista regional seja local, estão desenhando novas territorialidades, nem sempre condizentes com os discursos acerca da sustentabilidade. Ao mesmo tempo, estão em curso inúmeras mudanças no que diz respeito aos valores ambientais, às práticas sociais e às novas formas de gestão pública.

 


Palavras-chave


sustentabilidade ambiental; urbanização; gestão territorial.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ALMEIDA, L. T. Política ambiental – uma análise econômica. São Paulo: Editora Unesp/ Papirus, 1998.

BECKER, B., EGLER, C. Brasil – Uma nova potência regional na economia mundo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1994.

BRESSAN, D. Gestão racional da natureza, São Paulo: Hucitec.

BAVA, S. C. Desenvolvimento local – uma alternativa para a crise social? Revista São Paulo em Perspectiva, v.10, n.3, São Paulo, Fundação SEADE,1996.

BRUNDTLAND, G. Nosso futuro comum. São Paulo: Editora Fundação Getúlio Vargas, 1996.

Comissão Interministerial para a Preparação da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e desenvolvimento — CIMA. O desafio do desenvolvimento sustentável – Relatório do Brasil para a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento. Brasília: Presidência da República, 1991.

CORDEIRO, B. “Serviços de saneamento ambiental”. Relatório de consultoria. Programa Cidades Sustentáveis. Brasília: PNDU/MMA, 1999.

DAVIDOVICH, F. “Considerações sobre a urbanização no Brasil”. Geografia e Meio Ambiente, São Paulo/Rio de Janeiro: Hucitec, 1995.

DEAN, W. A ferro e fogo – a história e a devastação da Mata Atlântica Brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

DORIGUELLO, E. T. Tietê, o higienismo e as transformações na cidade de São Paulo. Florianópolis, 1996. Dissertação (Mestrado/UFSC).

FARAH, M. F. S. “Reforma de políticas sociais no Brasil: experiências recentes de governos subnacionais”. Revista de Administração da USP, v.33, n.1, São Paulo, 1998.

FERREIRA, L., SIVIERO, S. “Ambiente e cidades: em direção a uma nova agenda”. Revista São Paulo em Perspectiva, v.10, n.3, São Paulo, Fundação SEADE, 1996.

GODARD, O. “A gestão integrada dos recursos naturais e do meio ambiente: conceitos, instituições e desafios de legitimação”. In: Gestão de recursos naturais renováveis e desenvolvimento – novos desafios para a pesquisa ambiental. São Paulo: Cortez Editora. 1996.

HALL, P. Cidades do amanhã. São Paulo: Editora Perspectiva, 1988.

HERCULANO, S. C. “Do desenvolvimento (in)suportável à sociedade feliz”. In: Ecologia, Ciência e Política. Rio de Janeiro: Editora Revan, 1992.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. Paris: Antropos, 1968.

MACHADO, M. H. F. O tombamento da reserva florestal de Morro Grande no contexto das áreas protegidas: origens e evolução da rede de unidades de conservação no Estado de São Paulo. São Paulo: Trabalho apresentado para exame de qualificação na FAU/USP, 1998.

MACHADO, M. H. F. A nova ordem da desordem: o ambientalismo e algumas questões normativas no Brasil. Trabalho apresentado no Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação, Curitiba, 1997.

MAGALHÃES, G. “Evolução tecnológica e modernização”. Revista São Paulo em Perspectiva, v.11, n.3. São Paulo, Fundação SEADE, 1997.

MARICATO, E. Metrópole na periferia do capitalismo – ilegalidade, desigualdade e violência. São Paulo: Hucitec, 1996.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Cidades sustentáveis. Documento final do projeto: Formulação e implementação de políticas públicas compatíveis com os princípios de desenvolvimento sustentável definidos na Agenda 21. Brasília: MMA/PNUD, 1999.

MONTE-MÓR, R. “Urbanização extensiva e lógica de povoamento: um olhar ambiental”. In: Território, globalização e fragmentação. São Paulo: Hucitec/ANPUR, 1994.

MORAES, A. C. “Beira do mar, lugar comum: valorização e valoração dos espaços litorâneos”. Revista Ambiente e Paisagem. São Paulo, FAU/USP, 1998.

PÁDUA, J. A. “Natureza e projeto nacional: as origens da ecologia política no Brasil”. In: Ecologia e política no Brasil. Rio de Janeiro: IUPERJ, 1987.

RODRIGUES, A. M. Produção e consumo do e no espaço – problemática ambiental urbana. São Paulo: Hucitec, 1998.

SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE. Cidades sustentáveis – memória do encontro preparatório. São Paulo, 1997.

SINGER, P. Economia política da urbanização. São Paulo: Brasiliense, 1976.

VV.AA. Economia do meio ambiente. Campinas: Editora da Unicamp, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2000n3p81

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia