A metrópole e as perfídias do capital: uma análise da relação entre Estado, megaeventos esportivos e grandes projetos de desenvolvimento urbano na (re)produção do capital e da cidade contemporânea

Alexandre Sabino do Nascimento

Resumo


Acredita-se que o capitalismo passa por mais uma de suas crises e que a forma que vem encontrando para sair de suas crises cíclicas inclui a produção do espaço. Assim, questiona-se, neste artigo, quais as possíveis consequências para o desenvolvimento de metrópoles como o Recife da relação entre Estado, megaeventos esportivos e capital financeiro no contexto da produção de Grandes Projetos de Desenvolvimento Urbano e Regional, e sua relação com a reprodução do capital. Conclui-se que a Copa de 2014 significa um extraordinário instrumento de legitimação de grandes projetos de transformação do tecido urbano, com vistas a intensificar retornos privados em termos de valorização imobiliária e financeira, haja vista a dimensão dos recursos públicos envolvidos e o regime jurídico excepcional de que são beneficiários, justificando-se os elevados custos aos cofres públicos e permitindo o encontro de interesses entre agentes locais e estrangeiros para reestruturar o espaço urbano de metrópoles em benefício da expansão e valorização dos capitais envolvidos.

 


Palavras-chave


metrópole; Estado; capital financeiro; megaeventos esportivos; grandes projetos de desenvolvimento urbano; Recife; Copa de 2014.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ADEMI-PE. Mercado imobiliário – IVV. Recife: ADEMI-PE, [20--]. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2014.

ARANTES, O.; VAINER, C. B.; MARICATO, E. A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. São Paulo: Vozes, 2009.

ARAÚJO, T. B. Desenvolvimento regional brasileiro e políticas públicas federais no governo Lula. In: SADER, E. (Org.). 10 anos de governos pós-neoliberais no Brasil: Lula e Dilma. São Paulo: Boitempo; Rio de Janeiro: FLACSO Brasil, 2013. p. 157-171.

BAIRROS planejados viram tendência no mercado imobiliário de PE. G1 Pernambuco, 26 jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2014.

BARCLAY, J. Predicting the costs and benefits of mega-sporting events: misjudgement of olympic proportions? Economic Affairs, v. 29, n. 2, p. 62-66, jun. 2009.

BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. BNDES Project Finance. Rio de Janeiro: BNDES, [20--]a. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2014.

BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. BNDES Project Finance. Programa BNDES de Arenas para a Copa do Mundo de 2014 - BNDES ProCopa Arenas. Rio de Janeiro: BNDES, [20--]b. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2014.

BORGES, L. O legado da Copa: o que será dos 12 estádios usados no Mundial. ESPN, 15 jul. 2014. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2014.

BRASIL ‘decola’, diz capa da revista ‘The Economist’. BBC Brasil, 12 nov. 2009. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2014.

BRASIL. Tribunal de Contas da União. O TCU e a Copa do Mundo de 2014: relatório de situação. Brasília: TCU, 2012.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Do antigo ao novo desenvolvimentismo na América Latina. São Paulo: EESP-FGV, 2010. (Texto para Discussão, n. 274).

CAMPOS, Eduardo. Desenvolvimento e solidariedade. In. MARTINS, P. E. M.; MUNTEAL, O. (Org.). O Brasil em evidência: a utopia do desenvolvimento. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; FGV, 2012. p. 11-13.

CARLOS, A. F. A. A condição espacial. São Paulo: Contexto, 2011.

COSTA, P. H. V. et al. Parceria Público Privada para Investimento em Arenas Multiuso: estudo de caso da Arena Pernambuco. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DA LARES, 13, 2013, São Paulo. Anais da XIII Conferência Internacional da Latin American Real Estate Society. São Paulo: LARES, 2013.

DANTAS, T. Copa aumenta em cerca de 30% dívida das cidades-sede com a União. UOL Copa, 27 nov. 2013. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2014.

FAROESTE Caboclo: 16 das 50 cidades mais violentas do mundo são brasileiras. Portal Fórum, 21 jan. 2014. Disponível em: . Acesso em: 22 fev. 2014.

FIX, M. A. B. Financeirização e transformações recentes no circuito imobiliário no Brasil. 2011. 263 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Econômico) – Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

GIBSON, C.; FREESTONE, R. City planning and the cultural economy. Sydney: Faculty of the Built Environment, University of New South Wales, 2004.

HARVEY, D. O novo imperialismo. São Paulo: Edições Loyola, 2003.

HARVEY, D. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005.

HARVEY, D. O enigma do capital: e as crises do capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2011.

HARVEY, D. Os limites do capital. Trad. Magda Lopes. São Paulo: Boitempo, 2013.

IAF – Instituto de Auditores Fiscais do Estado da Bahia. BNDES aprova R$ 400 milhões para construção da Arena Pernambuco. Salvador: IAF, [2011?]. Disponível em: . Acesso em: 13 jul. 2013.

INHESTA, S.; PORTO, G. Infraestrutura desafia capacidade de competição. Estadão, São Paulo, 23 set. 2013. Disponível em: . Acesso em: 04 mar. 2014.

LEFEBVRE, H. L'espace et l'état. In: De l´Etat. (Vol. IV). Paris: Union Générale d’ Éditions, 1978. p. 259-324.

LEFEBVRE, H. The Production of Space. London: Blackwell, 1991.

LEFEBVRE, H. A revolução Urbana. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1999.

MARINHO, G; CAMPAGNANI, M; COSENTINO, R. Brasil. In: PAULA, M.; BARTELT, D. D. (Org.). Copa para quem e para quê? Um olhar sobre os legados dos mundiais no Brasil, África do Sul e Alemanha. Rio de Janeiro: Fundação Heinrich Böll, 2014. p. 12-59.

MARX. K. Grundisse. São Paulo: Boitempo; Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2011.

MASCARENAS, G.; BIENENSTEIN, G.; SÁNCHEZ, F. (Org.). O jogo continua: megaeventos esportivos e cidades. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2011.

MÁXIMA, G. Iniciada Operação Arena Pernambuco. Jornal do Commercio, 19 maio 2013.

Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2014.

MOTA, R. Grande Recife concentra 97% das favelas de Pernambuco. Jornal do Commercio, 07 nov. 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2014.

MOULAERT, F., SWYNGEDOUW, E., RODRÍGUEZ, A. (Org.). The globalized city: economic restructuring and social polarization in European Cities. Oxford: Oxford University Press, 2002.

NERI, M. C. Performance social das 27 capitais brasileiras entre mandatos de prefeitos: com especial menção ao Rio, sede olímpica de 2016 e as sedes da Copa de 2014. Rio de Janeiro: IBRE/ FGV, CPS, 2009.

NOVY, A. O retorno do Estado desenvolvimentista no Brasil. Indicadores Econômicos FEE, Porto Alegre, v. 36, n. 4, p. 121-128, 2009.

OLIVEIRA, F. Elegia para uma re(li)gião: Sudene, Nordeste, planejamento e conflito de classes. São Paulo: Boitempo, 2008.

PERNAMBUCO. Programa Parcerias Público-Privadas de Pernambuo. Sobre a PPP-PE. Recife: Governo do Estado de Pernambuco, [20--]. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2014.

PESQUISA da FGV aponta 2007 como o "ano da classe média". Portal Vermelho, 20 set. 2008. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2014.

RAMALHO, A. M. F. A copa do mundo no brasil: qual legado estamos construindo? Architecton - Revista de Arquitetura e Urbanismo, Recife, v. 2, n. 3, p. 8-16, 2013.

SÁNCHEZ, F. et al. Cidade-marca e disputas simbólicas no Projeto Rio 2016. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 15, 2013, Recife. Anais do XV Encontro Nacional da Anpur. Reife: ANPUR, 2013.

SÁNCHEZ, F. et al. Jogos Pan-americanos Rio 2007: uma análise trans-dimensional do projeto urbano. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 12, 2007, Belém. Anais do XII Encontro Nacional da Anpur. Belém: ANPUR, 2007.

SANDES, G. Cidade da Copa é muito mais que um estádio de futebol. Jornal do Commercio, Recife, 16 set. 2011. Disponível em: . Acesso em: 19 jul. 2014.

SANDES, G. Estado vai pagar R$ 43 milhões por estruturas temporárias na Copa. Jornal do Commercio, Recife, 31 jan. 2014. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2014.

SANTOS, M. A Natureza do Espaço. São Paulo: EDUSP, 2002.

SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Sociedade de Propósito Específico. Brasília: SEBRAE, 2009. (Série Empreendimentos Coletivos). Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2014.

SEGALLA, V. Governo de PE usará dinheiro público para garantir lucro de consórcio com estádio por 30 anos. UOL Esporte, 13 ago. 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2013.

STRAPAZZON, C. L. Convergência tecnológica nas políticas urbanas: pequenas e médias cidades inteligentes. In: ROVER, A. J.; GALINDO, F. (Ed.). O governo eletrônico e suas múltiplas facetas. Zaragoza: Prensas Universitarias de Zaragoza, 2010. p. 265-284. Disponível em: . Acesso em: 2 jun. 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2014v16n2p27

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia