A inserção urbana dos empreendimentos do programa Minha Casa Minha Vida na escala local: uma análise do entorno de sete conjuntos habitacionais

Vitor Coelho Nisida, Luanda Villas Boas Vannuchi, Luis Guilherme Alves Rossi, Julia Ferreira Sá Borrelli, Ana Paula de Oliveira Lopes

Resumo


Desde seu lançamento, em 2009, o Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) produziu milhões de unidades habitacionais para a população de baixa renda brasileira. No entanto, essa política federal de provisão de moradias tem apresentado resultados preocupantes em relação à inserção urbana dos empreendimentos implementados. Este artigo apresenta o resultado da análise de sete estudos de caso em quatro municípios paulistas acerca do padrão de inserção dos conjuntos do MCMV na escala local, isto é, no entorno dos empreendimentos. Além da discussão das localizações periféricas nas quais os conjuntos se inserem, procurou-se analisar as implicações da execução deles para a (re)produção de cidades mais, ou menos, diversificadas e mais, ou menos, inclusivas, do ponto de vista do acesso a diferentes usos, equipamentos e oportunidades, considerando a morfologia urbana e a interação do projeto das moradias com o contexto urbano: todos elementos fundamentais na definição do nível de urbanidade, que poderia –  e deveria –  ser qualificado/acrescido com a implantação dos novos empreendimentos habitacionais financiados com recursos públicos.


Palavras-chave


habitação; Minha Casa Minha Vida; inserção urbana.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ABIKO, A.; ORSTEIN, S. (Org.). Inserção Urbana e Avaliação Pós-Ocupação (APO) da Habitação de Interesse Social. São Paulo: FAUUSP, 2002. (Coletânea Habitare/FINEP, 1).

ARANTES, P., FIX, M. ´Minha Casa Minha Vida´, o pacote habitacional de Lula. Correi da Cidadania, 30 jul. 2009. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2015.

BONDUKI, N. Origens da habitação de interesse social no Brasil: arquitetura moderna, lei do inquilinato e difusão da casa própria. São Paulo: Estação Liberdade, 2004.

BONDUKI, N. Do Projeto Moradia ao Programa Minha Casa Minha Vida. Teoria e Debate, São Paulo, n. 82, p. 8-14, maio/jun. 2009. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2015.

CARDOSO, A. (Org.). O Programa Minha Casa Minha Vida e seus efeitos territoriais. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2013.

DEL RÍO, V. Introdução ao desenho urbano no processo de planejamento. São Paulo: Pini, 1990.

FERREIRA, J. W. (Coord.) Produzir casas ou construir cidades? Desafios para um novo Brasil urbano. São Paulo: FUPAM, 2012.

GEHL, J. Life between buildings. Copenhagen: The Danish Architecture Press, 1987.

GEHL, J. Cities for People. London: Island Press, 2010.

HARTMAN, R. E.; ESCOBEDO, C.G. (Org.). Estudio de la integración urbana y social en la expansión reciente de las ciudades en México 1996-2006. Cidade do México: UAM/SEDESOL, 2009.

INSTITUTE FOR TRANSPORTATION & DEVELOPMENT POLICY – ITDP. TOD (Transit-oriented Development) Standard, 2014. Disponível em: . Acesso em: 1 jul. 2014.

JACOBS, J. Morte e vida das grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

KOWARICK, L. A espoliação urbana. São Paulo: Paz e Terra, 1993.

MARICATO, E. O "Minha Casa" é um avanço, mas segregação urbana fica intocada. Carta Maior, 27 maio 2009. Disponível em: . Acesso em: 17 jul. 2015.

RIBEIRO, A. P.; BOULOS, G.; SZERMETA, N. Como não fazer política urbana. Carta Capital, 03 jan. 2014. Disponível em: . Acesso em: 17 jul. 2015.

RODRIGUES, T. Avaliação da integração sócio urbana dos empreendimentos de habitação social. 2013. 109 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura), Instituto Superior Técnico de Lisboa, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2013.

ROLNIK, R. et al. O Programa Minha Casa Minha Vida nas regiões metropolitanas de São Paulo e Campinas: aspectos socioespaciais e segregação. Cadernos Metrópole, São Paulo, v. 17, n. 33, p. 127-154, maio 2015. https://doi.org/10.1590/2236-9996.2015-3306

SANTO AMORE, C., SHIMBO, L. Z., RUFINO, M. B. C. (Org.). Minha Casa... E a cidade? Avaliação do Programa Minha Casa Minha Vida em Seis Estados Brasileiros. Rio de Janeiro: Letra Capital; Observatório das Metrópoles, 2015.

SHIMBO, L. Z. Habitação Social, Habitação de Mercado: a confluência entre Estado, empresas construtoras e capital financeiro. 2000. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2000.

SLOMIANSKY, A. P. Cidade Tiradentes: abordagem do poder público na construção da cidade; conjuntos habitacionais da COHAB-SP (1965-1999). 2002. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

VILLAÇA, F. Reflexões sobre as cidades brasileiras, São Paulo, Studio Nobel, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2015v17n2p63

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia