Edifício São Vito: poder público, imprensa e estigmatização | The São Vito Building: public power, the press and stigmatization

Renata Monteiro Siqueira

Resumo


A partir dos anos 1980, a prefeitura de São Paulo empreendeu um projeto de urbanização para o Parque Dom Pedro II que teve continuidade ao longo de várias administrações. Nesse contexto, propuseram-se, diversas vezes, intervenções no Edifício São Vito, vizinho ao parque. Esse grande edifício de quitinetes, construído na década de 1950, sendo local de moradia de uma população de baixo poder aquisitivo, foi demolido em 2010. O imóvel ficou conhecido como uma ocupação irregular e perigosa, embora fosse habitado predominantemente por proprietários e inquilinos formais.  A construção desse estigma, com a participação decisiva da imprensa, foi fundamental para justificar as duas tentativas de intervenção pública no prédio, ocorridas, respectivamente, nas décadas de 1980 e 2000. O caso relativamente recente, ainda que um tanto esquecido, leva à percepção de que ideias reproduzidas como “senso comum” são, na realidade, cuidadosamente elaboradas e incorrem na naturalização de noções que nada têm de consensuais.

Palavras-chave


Renovação Urbana, Edifício São Vito, Estigmatização e criminalização da pobreza, Imprensa e políticas públicas, São Paulo

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ARENDT, H. A Condição Humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1981.

BRISTOL, K.G. The Puitt-Igoe Myth. Journal of Architectural Education, 44, 1991, p.163-171.

CYMBALISTA, R.et al. Políticas públicas para o Centro - Controle social do financiamento do BID à Prefeitura Municipal de São Paulo. São Paulo: Instituto Pólis, 2008.

GALVÃO, W.J.F. Roteiro para diagnóstico do potencial de reabilitação de edifícios de apartamentos antigos. Tese de doutoramento. São Paulo: FAUUSP, 2012.

JENCKS, C. The Language of Post-Modern Architecture. Nova Iorque: Rizzoli, 1984.

KARA-JOSÉ, B. Políticas culturais e negócios urbanos. São Paulo: Annablume Editora, 1ª edição, 2007.

PAOLI, M. C. São Paulo operária e suas imagens (1900-1940). Espaço & Debates n° 33, 1991, p. 27-41. (Versão Impressa)

MEYER, R.P.. Projeto Luz Cultural quer induzir, criar e revitalizar. Revista Projeto. São Paulo, n. 98, 1987, p.77-82. Versão Impressa.

______. Dinâmica de transformação da Área Central de São Paulo. Revista Viva o Centro. 1993, p.13-17. Versão Impressa.

MIAKSUGO, E. Movimentos de moradia em São Paulo: experiências no contexto do desmanche. Tese de doutoramento. São Paulo: FFLCH-USP. Departamento de Sociologia, 2008.

RAMOS, D.H. A guerra dos lugares nas ocupações dos edifícios abandonados no centro de São Paulo. Dissertação de Mestrado. São Paulo: FAUUSP, 2009.

ROSSETTO, R. Arquitetura moderna e tipologias de mercado: uma primeira classificação. In: SAMPAIO, M.R. (org.), A promoção privada de habitação econômica e arquitetura moderna. São Carlos: Rima, 2002

SARAIVA, P. de M. Requalificação do Mercado Municipal Paulistano. Vitruvius, 2003. Disponível em: . Acesso em: 10 de abril de 2017

VILLAÇA, F. A produção e o uso da imagem do centro da cidade, 1993. Disponível em: Acesso em: 15 de janeiro de 2009.

______. Espaço Intra-Urbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel | Fapesp, 2001.

Notícias em periódicos

"Além do São Vito, Edifício Mercúrio deve ser demolido". Em: O Estado de São Paulo, 24/11/2006, p. C11.

"Após demolição, Assembléia ainda espera obras". Em: Folha de São Paulo, 16/11/1988, p. A14.

"A questão do São Vito". O Estado de São Paulo, 13/06/1987, p. 9.

“Desconstruindo São Vito”. Folha de São Paulo, 28/11/2010, p.C4

“Entidades querem ‘efeito São Vito’ ampliado”. Folha de São Paulo, 17/08/2003, p.C11.

"Jânio quer desapropriar imóveis na região do Parque D. Pedro II", em Folha de São Paulo, 14/02/1987, p. A12.

"Kassab sai pela porta dos fundos para evitar manifestação". Folha de São Paulo, 26/01/2009.

"Moradores reformam edifício São Vito e evitam demolição". Folha de São Paulo, 22/06/1988, p. A11.

"Moradores reformam prédio que Jânio achava 'pardieiro'". Folha de São Paulo, 07/04/1989, p.C5.

"Nas mãos da prefeita, o destino do São Vito". Jornal da Tarde, 27/06/2003, p.A7.

"Ordem do prefeito é para desapropriar e implodir São Vito". O Estado de São Paulo, 04/12/1987, p. 12

"Prefeitura agora quer implodir São Vito". FSP, 10/10/2006, p. C1.

"Prefeitura estuda implodir São Vito". O Estado de São Paulo, 15/02/2005, p.C6.

"Prefeitura interditará prédios sem segurança". O Estado de São Paulo, 03/05/1987, p.23.

"Prefeitura retira 30 famílias do Mercúrio". O Estado de São Paulo,12/02/2009.

"Prefeitura vai derrubar parte de 25 de Março". O Estado de São Paulo, 14/02/1987, p.50

"Reforma do São Vito é estimada em R$ 8 mi". Folha de São Paulo, 14/08/2003, p. C6.

"Reurbanização do parque Dom Pedro na Câmara". Folha de São Paulo, 6/12/1980, p.9.

SAMPAIO, Maria Ruth Amaral de. "O destino do São Vito". O Estado de São Paulo, 21/07/2003, p.A2.

"São Vito, 'um edifício de família'". O Estado de São Paulo, 05/12/1987, p. 11.

"São Vito vive dias de edifício fantasma". Folha de São Paulo, 3/05/2004, p.C1.

"São Vito. Aqui nem a polícia entra". O Estado de São Paulo, 03/12/1987, p. 18.

"Troca de viaduto por ponte custa US$ 2,2 mi". Folha de São Paulo, 25/03/1992, p.03.

“Sai logo concorrência para obras no parque”. O Estado de São Paulo, 17/12/1987, p.51

"US$ 6 milhões para acabar com este cortiço". Jornal da Tarde, 10/08/2002, p. A20.

"Recuperação do velho Parque D. Pedro vai começar este mês". O Estado de São Paulo, 12/05/1987, p. 45.

“Towers of Dreams: One Ended in Nightmare”. New York Times, 26/01/2012, p.C1.

“Tribunal de Justiça julga destino dos ex-moradores do São Vito nesta segunda Feira”. Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos. São Paulo, 23/08/2012. Disponível em:http://gaspargarcia.org.br/noticias/tribunal-de-justic-julga-destino-dos-ex-moradores-do-edificio-sao-vito-nesta-segunda-feira/ Acesso em 10 de abril de 2017.

"Vila Vertical". Folha de São Paulo, 04/02/2004, p. C2.

Documentos e projetos

Companhia de Engenharia de Tráfego. Parque D. Pedro II – Projeto de reurbanização e os impactos no transporte coletivo e na circulação viária. São Paulo: CET, set/1991.

CONSELHO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO. Ata da 1a Reunião do GT – Política Habitacional Para o Centro. São Paulo: PMSP, 09/04/2008.

______. Ata da 1 a Reunião Ordinária–2007-2009. São Paulo: Prefeitura Municipal de São Paulo, 16/01/2008.

______. Ata da 2 a Reunião Ordinária–2007-2009. São Paulo: Prefeitura Municipal de São Paulo, 19/03/2008.

______. Ata da 3 a Reunião Ordinária –2007-2009. São Paulo: Prefeitura Municipal de São Paulo, 17/06/2008.

______. Convocatória à 3aReunião Ordinária do Conselho Municipal de Habitação–2007-2009.

CORRÊA, J. B.M. (coord.) Concurso Nacional de Idéias para o Novo Centro de São Paulo – Proposta da esquipe vencedora. São Paulo: Instituto de Arquitetos do Brasil-SP/ Comissão

Procentro, 1996.

DIAGONAL URBANA, São Vito :Diagnóstico Integrado e Participativo. São Paulo: Prefeitura Municipal de São Paulo, Superintendência de Habitação Popular - Centro, ProCentro, 2003.

EMPRESA MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO. Projeto Parque D. Pedro e Brás-Bresser, São Paulo: PMSP, 1985.

_____. Memorial do Parque Dom Pedro II (Anexo ao Decreto n° 23.257/1986). São Paulo: Prefeitura Municipal de São Paulo, 1986.

SUPERINTENDÊNCIA DE HABITAÇÃO POPULAR-SP, Edifício São Vito, apresentação para a prefeita, 2003.

_____. Programa Morar no Centro: Mecanismos para Atração de Famílias de Renda Média. São Paulo: Procentro, s.d.

KOHARA, L. Importância da Reforma do São Vito. Apresentação para os conselheiros do CMH em 19/03/2008.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO, Decreto 23.459, 19/02/1987.

SILVA, H.M.B. Documento preparado para o encontro: "Habitação no Centro de São Paulo: Como Viabilizar esta idéia?" São Paulo: LabHab, 2000.

Entrevistas

Ex-moradora do São Vito, em 26/05/2009.

Luiz Kohara, coordenador do Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos, em 28/09/2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2018v20n2p269

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia