O Papel do Estado no Processo de Formação Industrial: o caso da Região Metropolitana de Curitiba | The Role of the State in the Industrial Formation Process: the case of the Metropolitan Region of Curitiba

Djalma de Sá, Marcus Vinicius Gonçalves da Silva

Resumo


Este artigo tem por objetivo apresentar uma visão geral do papel do estado no processo de formação industrial do estado do Paraná, bem como do planejamento do ordenamento territorial para atração de investimentos industriais. Coloca-se em pauta o papel do estado no desenvolvimento da região da Grande Curitiba, bem como as teorias locacionais que justificam a atratividade da região para a atividade industrial, tanto na década de 1970 quanto no processo inicial de industrialização nos anos 1990, quando da reestruturação e consolidação do processo e, nos anos 2000, como forma de buscar uma reestruturação e desconcentração industrial. Os resultados apontam que a eficiência do Estado em atrair indústrias nos anos 1970 não teve o mesmo sucesso na desconcentração da atividade, demonstrando a fragilidade da atuação do estado na expansão das políticas de industrialização como instrumento de incentivar e descentralizar o desenvolvimento regional. Por fim, o trabalho aponta que há uma forte centralização industrial e concentração econômica nessa região paranaense que pode ser explicada pelos existência de fatores locacionais que contribuem para a atratividade industrial dessas regiões.


Palavras-chave


Desenvolvimento regional. Desconcentração industrial. Teoria Locacional da Indústria. Região metropolitana de Curitiba.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ARAÚJO, M. F. I. Reestruturação produtiva e transformações econômicas: região metropolitana de São Paulo. Revista Perspectiva, vol. 15, nº 1. São Paulo: Jan-Mar, p. 20-30, 2001.

AZZONI, C.R. Indústria e reversão da polarização no Brasil. Ensaios Econômicos, São Paulo, n. 58, 1986.

BRASIL. Lei n. 6.803, de 02 de julho de 1980. Dispõe sobre as diretrizes básicas para o zoneamento industrial nas áreas críticas de poluição, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em 25 nov. 2017.

BRASIL. Decreto nº 85.916, de 15 de Abril de 1981. Dispõe sobre as atividades da Administração Pública Federal nas Regiões Metropolitanas, e dá outras providências. Disponível em: < http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1980-1987/decreto-85916-15-abril-1981-435294-publicacaooriginal-1-pe.html>. Acesso em: 16 jan. 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 1988. Disponível em: . Acesso em 26 nov. 2017.

CANO, W. Concentração e desconcentração econômica regional no Brasil: 1970/95. Economia e Sociedade, Campinas, n.8, p.101-141, jun. 1997.

CANO, W. Brasil e Estado de São Paulo: transformações recentes da economia. Economia Paulista: dinâmica socioeconômica entre 1980 e 2005. CANO, W.; et al. (org.). Campinas: Alínea, 2007. p. 17 -22.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

COMEC. Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba. Plano de desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana de Curitiba - PDI. Curitiba, 1978.

DINIZ, C. C. Desenvolvimento poligonal no Brasil: nem desconcentração nem contínua polarização. Revista Nova Economia, Belo Horizonte, v. 3, n. 1, p. 35-64, 1993.

DINIZ, C. C.; CROCCO, M. A. Reestruturação econômica e impacto regional: o novo mapa da indústria brasileira. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 6, n. 1, p. 77-103, julho 1996.

FIRKOWSKI, O. L. C. de F. A Nova Lógica de Localização Industrial no Aglomerado Metropolitano de Curitiba. Revista Paranaense de Desenvolvimento. Ipardes, Curitiba, n. 103, p.79-100, jul./dez. 2002.

FIRKOWSKI, O. L. C. F. A dimensão espacial da implantação da indústria automobilística no aglomerado metropolitano de Curitiba. In: ARAUJO, S. (Org.) Trabalho e capital em trânsito: a indústria automobilística no Brasil. Curitiba: Editora da UFPR, v. 1, p. 49-78, 2007.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Regiões de influência das cidades 2007. Rio de Janeiro, IBGE, 2008.

IBGE. Censo Demográfico 2010: microdados da amostra - Paraná (Banco de Dados), Rio de Janeiro: IBGE, 2012. In: IBGE: Resultados do Censo Demográfico 2010. Disponível em Acesso em: 20 nov. 2017.

IPEADATA. Sinopse regional. Disponível em: Acesso em:01 de junho de 2017.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. São Paulo. Centauro, 2001.

MARINI, R. M. A Dialética da Dependência. In: STEDILLE, J. P. e TRASPADINI, R. (Org.) Ruy Mauro Marini: vida e obra. São Paulo: Expressão Popular, 2005.

MARX, K. O Capital: crítica da Economia Política. São Paulo: Nova Cultura, v. 1 e 2, 1996.

MTE. MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. 2016. Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2016.

PARANÁ. Assembleia Legislativa do Paraná. Constituição do estado do Paraná. 1989. Disponível em: . Acesso em 20 dez. 2017.

PARANÁ. Cria o Programa Paraná Competitivo - SEFA, SEPL, SEIM, CC. Decreto no 630, de 24 de fevereiro de 2011. Disponível em: . Acesso em 28 nov. 2017

RICHARDSON, H. Elementos de economia regional. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

SCHUMPETER, J. A. Teoria do Desenvolvimento Econômico, uma investigação sobre lucro, capital, crédito, juros e o Ciclo Económico. Editora Nova Cultural, São Paulo. 1997

SPOSITO, M. Encarnação Beltrão. O centro e as formas de centralidade urbana. Revista de Geografia. São Paulo: UNESP, v.10, 1991, p.1-18.

STORPER, M. Territorial development in the global learning economy: the challenge to developing countries. Revue Région e Développment, n.1, 1995.

VARSANO, R. Uma análise da carga tributária no brasil. Technical Report 583, IPEA, Rio de Janeiro. Textos para Discussão, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2019v21n1p189

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia