Estratificação Sócio-Ocupacional e Segregação Espacial na Metrópole de São Paulo nos Anos 2000 | Socio-occupational stratification and spatial segregation in the São Paulo Metropolis in the 2000s

Leandro Blanque Becceneri, Humberto Prates da Fonseca Alves, Daniel Arias Vazquez

Resumo


O presente artigo faz um estudo empírico das alterações na distribuição espacial e no padrão de segregação sócio-espacial das classes sociais na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) nos anos 2000, utilizando a metodologia desenvolvida pelo Observatório das Metrópoles para a análise da estratificação sócio-ocupacional. Serão empregadas ferramentas estatísticas espaciais, com destaque para o Índice de Moran, calculado para as Áreas de Ponderação da RMSP nos anos de 2000 e 2010, para análise espacial dos padrões de distribuição das classes no território. Com isso, espera-se trazer contribuições metodológicas para as pesquisas sobre estratificação e segregação no Brasil, no sentido de propor análises que avancem na compreensão da estrutura social e da segregação espacial na RMSP e nas demais metrópoles brasileiras.


Palavras-chave


estratificação; segregação; classe social; Índice de Moran; Metrópole de São Paulo.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ANSELIN, L. Local indicator of spatial association – LISA. Geographical Analysis, v. 27, n.2, p. 93-115, 1995.

BÓGUS, L.; PASTERNAK, S. Mudanças recentes na estruturação sócio-espacial da Região Metropolitana de São Paulo. In: BÓGUS, L.; PASTERNAK, S. (Orgs.). São Paulo: transformações na ordem urbana. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2015, p. 111-157.

BONDUKI, N. G.; ROLNIK, R. Periferia da Grande São Paulo – Reprodução do espaço como expediente de reprodução da força de trabalho. In: MARICATO, E. A produção capitalista da casa (e da cidade) no Brasil industrial. São Paulo: Editora Alfa-Ômega, 1982, p. 117-154.

BOURDIEU, P. A Distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp, 2007.

__________. Espaço social e poder simbólico. In: BOURDIEU, P. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 2004, p. 149-168.

CARVALHAES, F. A. de O.; BARBOSA, R. J.; SOUZA, P. H. G. F.; RIBEIRO, C. A. C. Os impactos da geração de empregos sobre as desigualdades de renda: Uma análise da década de 2000. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 29, n. 85, p. 79-98, 2014.

CASTELLS, M. A questão urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.

COSTA, Heloisa Soares de Moura; COSTA Geraldo Magela; MENDONÇA, Jupira Gomes.; MONTE-MÓR, Roberto Luís de Melo (Org.). Novas periferias metropolitanas. Belo Horizonte: Coleção Estado da Arte, 2006.

CUNHA, J. M. P da. Mobilidade espacial, vulnerabilidade e segregação socioespacial: reflexões a partir do estudo da RM Campinas. In: CUNHA, J. M. P. (Org.). Mobilidade espacial da população: desafios teóricos e metodológicos para o seu estudo. Campinas: Núcleo de Estudos da População - Nepo/Unicamp, 2011, p. 117-139.

_______; D’OTTAVIANO, C. Região Metropolitana de São Paulo. In: CUNHA, J. M. P. da. (Org.) Dinâmica demográfica e socioespacial no Brasil Metropolitano: convergências e especificidades regionais. 1a edição. Editora UFSCar: Campinas, 2018.

HARVEY, D. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

KOWARICK, L. A espoliação urbana. 2ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

MARICATO, E. Habitação e cidade. São Paulo: Editora Atual, 1997.

MARQUES, A. P. S. da; HOLZSCHUH, M. L.; TACHIBANA, V. M.; IMAI, N. N. Análise exploratória de dados de área para índices de furto na mesorregião de Presidente Prudente -SP. In: III Simpósio Brasileiro de Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação, Recife, 2010, p. 1-8.

________. Estrutura Social e Segregação em São Paulo: Transformações na Década de 2000. DADOS – Revista de Ciências Sociais, v. 57, n. 3, p. 675-710, 2014.

________. Os espaços sociais da metrópole nos 2000. In: MARQUES, E. (Org.), A metrópole de São Paulo no século XXI: Espaços, heterogeneidades e desigualdades. São Paulo: Editora Unesp, 2015.

________; SCALON, C. A Dinâmica dos Grupos Sociais em São Paulo na Década de 1990. In: SCALON, C. (Org.). Ensaios de Estratificação. Belo Horizonte: Argumentum, 2009, p. 23-47.

________; TORRES, H. São Paulo: segregação, pobreza urbana e desigualdade social. São Paulo: Editora Senac, 2005.

NEGRI, S. Segregação Sócio-Espacial: Alguns Conceitos e Análises. Coletâneas do Nosso Tempo, v.7, n. 8, 2008, p. 129-153.

NERI, M. A nova classe média. Rio de Janeiro: FGV/IBRE/CPS, 2008.

________. A nova classe média: o lado brilhante dos pobres. Rio de Janeiro, FGV/IBRE/CPS, 2010.

POCHMANN, M. Nova classe média? O trabalho na base da pirâmide social brasileira. São Paulo: Editora Boitempo, 2012

RAMOS, F. R. Análise espacial de estruturas intra-urbanas: o caso de São Paulo. São José dos Campos: INPE, 2002.

REQUENA, C.; GODOY, S. R.; SARUE, B. Condições urbanas: Desigualdade e heterogeneidade. In: MARQUES, E. (Org.), A metrópole de São Paulo no século XXI: Espaços, heterogeneidades e desigualdades. São Paulo: Editora Unesp, 2015.

RIBEIRO, L. C. de Q.; LAGO, L. C. O espaço social das grandes metrópoles brasileiras: Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte. Cadernos Metrópole, n. 4, p. 9-32, 2000.

________; RIBEIRO, M. G. Análise social do território: fundamentos teóricos e metodológicos. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2013.

________; RIBEIRO, M. G.; COSTA, L. G. Estrutura social das metrópoles brasileiras: análise da primeira década do século XXI. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2013.

SABATINI, F. Medición de la segregación residencial: reflexiones metodológicas desde la ciudad latino-americana. In: CÁCERES, G.; SABATINI, F. (Eds.). Barrios cerrados en Santiago de Chile: entre la exclusión y la integración residencial. Santiago/ Chile: PUC-Chile/ Lincoln Institute of Land Policy, 2004, p. 277-307.

________; SIERRALTA, C. Medição da segregação residencial: meandros teóricos e metodológicos e especificidade latino-americana. In: CUNHA, José Marcos Pinto. (Org.) Novas Metrópoles Paulistas – população, vulnerabilidade e segregação. Campinas: NEPO/UNICAMP, 2006.

________; FLORES, C.; SIERRALTA, C.; WORMALD, G. Residential segregation in Santiago, Chile: 1982-2002 trends and social effects linked to its geographical scale. In: Conference on Spatial Differentiation and Governance in the Americas. Texas, 2005, p. 1-20.

SANTOS, C.; BRONSTEIN, O. Meta-urbanização - o caso do Rio de Janeiro. Revista de Administração Municipal, v. 25, n. 149, p. 6-34, 1978.

SCALON, C. Mapeando Estratos: Critérios para Escolha de uma Classificação. DADOS – Revista de Ciências Sociais, v. 4, n. 2, p. 337-375, 1998.

SOUZA, A.; LAMOUNIER, B. A Classe Média Brasileira: ambições, valores e projetos de sociedade. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

TORRES, H.; MARQUES, E.; BICHIR, R. Políticas públicas, pobreza urbana e segregação residencial. In: CUNHA, J. M. P. (Org.). Novas Metrópoles Paulistas - População, vulnerabilidade e segregação. Campinas: NEPO/UNICAMP, 2006, p. 231-252.

VILLAÇA, F. O Espaço Intra-Urbano no Brasil. 2ª ed. São Paulo: Studio Nobel/FAPESP, 2000.

________. São Paulo: Segregação urbana e desigualdade. Estudos Avançados, v.25, n.71, p. 37-58, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2019v21n1p137

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia