Política de Desenvolvimento, ambiente e saúde na Amazônia: uma análise da região do Tapajós | Development Policy, Environment and Health in the Amazon: an analysis of the Tapajós region

Franciclei Burlamaque Maciel, Júlio Cesar Schweickardt, Jessé Burlamaque Maciel, Izaura Cristina Nunes Pereira Costa

Resumo


A região do Tapajós passa por um processo de transformação desde 1928, que se intensificou com as políticas públicas de desenvolvimento. Esse processo foi marcado por diminutos benefícios sociais, transformação do ecossistema e agravos à saúde humana. No ano de 1996 foi estabelecida a política do Eixo Nacional de Integração e Desenvolvimento (ENID) com a logística do agronegócio nacional. Neste artigo são resgatados e analisados a política pública de desenvolvimento e seus efeitos no ambiente e na saúde humana. Realizou-se pesquisa bibliográfica histórico-política, incluindo documentos oficiais e observação direta. As políticas pretéritas geraram melhorias sociais e acirraram as tensões no ambiente, afetando a saúde. São experiências que demandam reflexões e devem ampliar o debate técnico sobre a saúde na Região, principalmente com os atuais efeitos da política do ENID.


Palavras-chave


Política de desenvolvimento; Ambiente; Saúde; Região Amazônica; RI Tapajós.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


AMPARO, P. P. do. Os desafios a uma Política Nacional de Desenvolvimento Regional no Brasil. Interações, Campo Grande, v. 15, n. 1, p. 175-192, jan./jun. 2014. http://dx.doi.org/10.1590/S1518-70122014000100016

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 2009.

BECKER, B. K. Geopolítica da Amazônia. Estud. av. vol.19 no.53 São Paulo Jan./Apr. 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142005000100005.

BECKER, B. K. Amazônia: geopolítica na virada do milênio. Rio de Janeiro: Garamond, 2. ed., 2007.

BOUERI, R. Será a divisão do Estado do Pará uma boa ideia? Disponível em:. Acesso em: 27 dez. 2017.

BRASIL. Decreto Nº 74.607, de 25 de setembro de 1974. Dispõe sobre a criação do Progra ma de Polos Agropecuárias e Agrominerais da Amazônia (POLAMAZÔNIA). Senado Fede ral - Secretaria de Informação Legislativa. Disponível em: . Acesso em: 21 ago. 2017.

BRASIL. Ministério da Integração Regional. Secretaria de Desenvolvimento Regional. I Conferência Nacional do Desenvolvimento Regional. Documento de Referência. 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 ago. 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Protocolo Clinico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral as Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Brasília: Ministério da Saúde, 2015. 120 p.

CARVALHO, F. J. C. de. Keynes e o Brasil. Economia e Sociedade, Campinas, v. 17, Número especial, p. 569-574, dez. 2008. http: //dx.doi.org/10.1590/S0104-06182008000400003

CONFALONIERI, U.E.C. Saúde na Amazônia: um modelo conceitual para a análise de paisagens e doenças. Estudos Avançados 19 (53), 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142005000100014

COUTO, R. C. de S. Saúde e projetos de desenvolvimento na Amazônia: o caso das hidrelétricas. Novos Cadernos NAEA vol. 2, nº 2 - dezembro 1999. http://dx.doi.org/10.5801/ncn.v2i2.118.

ESCOREL, S., Equidade em Saúde. In.: PEREIRA, I. B.; LIMA, J. C. F.; Dicionário de educação profissional em saúde. 2.ed. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2008.

FERREIRA, A. M. M.; SALATI, E. Forças de transformação do ecossistema amazônico. Estudos. Avançados, 19 (54), p. 25-44, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142005000200003

FILHO, N. F. S. et al., (Org.). BNDES e a questão energética e logística da Região Amazônica. In.: SIFFERT, N. et al. Um olhar territorial para o desenvolvimento: Amazônia. Rio de Janeiro. BNDES, 2014. Disponível em: Acesso em: 22 nov. 2014.

FREITAS, C. M. de; GIATTI, L (Org.) Sustentabilidade, ambiente, e saúde na cidade de Manaus. Manaus, EDUA, Fiocruz. 2015. p. 353.

FREITAS, C. M. de; GIATTI, L; Indicadores de sustentabilidade ambiental e de saúde na Amazônia Legal, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 25(6):1251-1266, jun, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2009000600008.

FURTADO, C. Dialética do desenvolvimento. 2. ed. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1964, p.181.

FURTADO, C. Introdução ao desenvolvimento: enfoque histórico-estrutural. 3.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000a. p.126.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades. Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/itaituba/panorama>. Acesso em 18 de nov. 2017.

HENRIQUES, A; PORTO, M. F. de S.; Território, ecologia política e justiça ambiental: o caso da produção de alumínio no Brasil. E-cadernos ces, 17. 2012. Disponível em: http://www.ces. uc.pt/e-cadernos/media/ecadernos17/02.Henriques% 20e%20Porto.pdf. Acesso em: 21 jan. 2017.

IDESP. INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL, ECONÔMICO e AMBIENTAL do PARÁ - IDESP. Barômetro da sustentabilidade: Região de Integração Tapajós. Região de Integração Tapajós: relatório técnico. Belém: IDESPE, 2014. 125 p. Disponível . Acesso: Acesso em 21 jan. 2017.

LIMA, M. de O. Saúde Ambiental e Ocupacional na Amazônia. Cad. Saúde Colet., 2016, Rio de Janeiro, 24 (1): 1-2. 10.1590/1414-462X2016000100x1

MAHAR, D. J. Desenvolvimento econômico da Amazônia: uma análise das políticas governamentais. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1978.

PAIM, J. S.; ALMEIDA FILHO, N de. A crise da saúde pública e a utopia da saúde coletiva. Salvador, BA: Casa da qualidade Editora, 2000.

PAIM, J. S. et al. O sistema de saúde brasileiro: história, avanços e desafios. The Lancet, v.377, n.9779, p.1778-1797. 2011. Disponível em: . Acesso em: 23 de ago. 2017.

PORTO, M. C. da S. Estado e neoliberalismo no Brasil contemporâneo: implicações para as políticas sociais. In.: IV Jornada Internacional de Políticas públicas. Neoliberalismo e lutas sociais: perspectivas para as políticas públicas. UFMA. São Luís no Maranhão, 2009. Disponível em < http://www.joinpp.ufma.br/jornadas/joinppIV/eixos/1_Mundializacao/estado-e-neoliberalismo-no-brasil-contemporaneo.pdf>. Acesso em 20 de dez. 2018.

SANTOS. M. Da totalidade ao lugar. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008. 176p.

SAQUET, M. A. Por uma geografia das territorialidades e das temporalidades: uma concepção multidimensional voltada para a cooperação e para o desenvolvimento territorial. São Paulo: Outras expressões, 2011.

SCHWEICKARDT, J. C. et al. (Org.). História e política pública de saúde na Amazônia. (Saúde & Amazônia, 4). Porto Alegre: Rede UNIDA, 2017. p. 214.

SEN, M. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo, Companhia de Bolso, 2010.

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. 23 ed., 2007.

SIFFERT, N. et. al. (Org.). Um olhar territorial para o desenvolvimento: Amazônia. Rio de Janeiro: BNDES, 2014. Disponível em: Acesso em: 22 nov. 2014.

SILVEIRA, M.; NETO, M. D. de A. Licenciamento ambiental de grandes empreendimentos: conexão possível entre saúde e meio ambiente. Ciência & Saúde Coletiva, 19(9):3829-3838, 2014. Disponível em: . Acesso em:17 dez. 2016.

VIANA, R. L; FREITAS, C, M, de; L. L, GIATTI. Saúde ambiental e desenvolvimento na Amazônia legal: indicadores socioeconômicos, ambientais e sanitários, desafios e perspectivas. Saúde Soc. São Paulo, v.25, n.1, p.233-246, 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902016140843.

WAGLEY, C. Uma comunidade amazônica: estudo do homem nos trópicos. Trad. Clotilde da S. Costa. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Edusp. 3 ed. 1988.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2019v21n1p155

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia