A espacialidade das remunerações do trabalho no Brasil: subsídios para o planejamento regional

Anita Kon

Resumo


A distribuição espacial das remunerações do trabalho da população brasileira sofreu, nos últimos anos, alterações consideráveis, a partir dos novos requisitos exigidos para a contratação da mão-de-obra ou para a remuneração de autônomos, tendo em vista os renovados processos produtivos e organizacionais, bem como as políticas econômicas conjunturais voltadas para a estabilização. A pesquisa visa contribuir com subsídios para a análise dos padrões regionais diferenciados na distribuição dos rendimentos médios do trabalhador brasileiro, como resultado dos impactos das transformações produtivas e ocupacionais dos anos 90. São observadas as situações nas condições de trabalho com ou sem carteira assinada, segundo o gênero, dentro e fora de empresas. A avaliação é efetuada através do cálculo de coeficientes de Gini, tendo como base a composição das remunerações segundo a segmentação do mercado de trabalho, de acordo com categorias ocupacionais específicas.

 


Palavras-chave


planejamento; região; trabalho; remuneração; gênero; vínculo empregatício.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


BECKER, G. S. Human capital: A theoretical and empirical analysis with special reference to Education. Chicago: University of Chicago, 1993.

BRUSCHINI, C. Desigualdades de gênero no mercado de trabalho brasileiro: o trabalho da mulher nos anos oitenta. In: FERNANDES, R. (Org.) O trabalho no Brasil no limiar do século XXI. São Paulo: Ed. LTr, 1995.

CACCIAMALI, M. C. Mercados de trabalho: abordagens duais. Revista de Administração de Empresas, v.18, n.1, jan./mar.-1978.

HOFFMAN, S. D. Labor markets economics. New Jersey: Prentice-Hall, 1986.

JACOBSEN, J. P. The economics of gender. Massachussets: Blackwell, 1998.

KON, A. A estruturação ocupacional brasileira: uma abordagem regional. Brasília: Sesi, 1995.

KON, A. Mudanças na distribuição dos rendimentos da população ocupada brasileira. Relatório de Pesquisas EAESP/FGV, Série Economia de Empresas, São Paulo, 1999.

McKEE, D. L. Growth, development and the service economy in the Third World. New York: Praeger, 1988.

MARSHALL, J. N.; WOOD, P. A. Services and space: Key aspects of urban and regional development. Harlow, England: Longman Group Limited, 1995.

MINCER, J. Investment in human capital and personal income distribution. The Journal of Political Economy, LXVI, n.4, p.281-302, August 1958.

MUTARI, E.; BOUSHEY, H.; FRAHER IV, W. Gender and political economy. New York: M. E. Sharpe, 1997.

RIMA, I. H. Labor markets in a global economy. London: M. E. Sharpe, 1996.

SANTOS, M. O retorno do território. In: SANTOS. M. (Org.) Território, globalização e fragmentação. São Paulo: Hucitec, 1994.

SCHULTZ, T. W. Investment in human capital. American Economic Review, v.51, n.1, p.1-17, 1961.

SCHULTZ, T. W. O valor econômico da Educação. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2001n5p77

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia