A política de produção habitacional por mutirões autogeridos: construindo algumas questões

Cibele Saliba Rizek, Joana Barros, Marta de Aguiar Bergamin

Resumo


Este artigo busca discutir a produção de habitação social através dos chamados mutirões autogeridos, pondo em relevo a constituição e a mudança do caráter por que passou este tipo de política, entre os anos 80 e 90. Trata-se de tematizar como – a partir de um ideário emancipatório que apostou na autonomia dos movimentos sociais e da sociedade civil diante de políticas sociais centralizadas no Estado, urdidas no período da ditadura militar – chega-se a uma política cujas dimensões da autonomia mudam de caráter, legitimando ou podendo legitimar ações assentadas no uso do trabalho gratuito dos futuros usuários, que produzem unidades habitacionais financiadas por fundos públicos alinhados com as dimensões de uma gestão das precariedades.

 

 

 


Palavras-chave


mutirão autogerido; política habitacional; direitos sociais.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ARANTES, P. “Arquitetura Nova. Sérgio Ferro, Flávio Império e Rodrigo Lefèvre”. Trabalho de Graduação apresentado à FAU/USP. 2000. (Mimeo.)

BRANDT, V.; KOWARICK, L. et alli. São Paulo 1975, crescimento e pobreza. São Paulo: Edições Loyola, 1979.

BUZZAR, M. A. Rodrigo Lefèvre e a idéia de vanguarda. 2002. Tese (Doutorado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

COELHO, W. R. O déficit das moradias: instrumento para avaliação e aplicação de programas habitacionais. 2002. Dissertação (Mestrado) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo.

DAGNINO, E. Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

KHOURY, A. P. Grupo Arquitetura Nova. 1999. Dissertação (Mestrado) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo.

MIAGUSKO, E.; BARROS, J. “Mutirão da Juta: do ‘fim do mundo’ à padaria comunitária”. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL: GESTÃO DA TERRA URBANA E HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL. Campinas, 2000. Anais… Campinas: Ed. PUC-Campinas/Instituto Pólis/Lincoln Institute of Land Policy, 2000.

OLIVEIRA, F. de. (1972) “Economia brasileira: crítica à razão dualista”. Estudos Cebrap, São Paulo, n.2, p.3-82, 1972.

OLIVEIRA, F. de. “Privatização do público, destituição da fala e anulação da política: o totalitarismo neoliberal”. In: OLIVEIRA, F.; PAOLI, M. C. (Org.). Os sentidos da democracia. Petrópolis: Vozes, 1999.

RIZEK, C. S. “Sociedade civil e espaços públicos no Brasil: um balanço necessário”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v.18, n.51, p.161-5, fev. de 2003.

SADER, E. Quando novos personagens entram em cena. São Paulo: Paz e Terra, 1990.

TURNER, J. Vivienda. Todo el poder para los usuarios. Madri: H. Blume, 1977.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2003v5n1p31

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia