Estudos recentes sobre a rede urbana brasileira: diferenças e complementaridades

  • Alessandra D’Ávila Vieira Departamento de Arquitetura e Urbanismo UNB, Brasilia, DF
  • Liliane Janine Nizzola Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, São Carlos, São Paulo
  • Luana Miranda Esper Kallas Departamento de Arquitetura e Urbanismo UNB, Brasilia, DF
  • Manuelita Falcão Brito Departamento de Arquitetura e Urbanismo UNB, Brasilia, DF
  • Benny Schvasberg Departamento de Arquitetura e Urbanismo UNB, Brasilia, DF
  • Rodrigo Santos de Faria Departamento de Arquitetura e Urbanismo UNB, Brasilia, DF
Palavras-chave: cidades, desenvolvimento urbano, gestão governamental, políticas públicas, rede urbana brasileira.

Resumo

A classificação da rede urbana brasileira é importante ferramenta de gestão governamental, econômica e social, pois possibilita um direcionamento mais acertado de investimentos urbanos. Partindo-se da análise de três estudos recentes que elaboraram classificações para a Rede Urbana – o primeiro, Configuração Atual e Tendências da Rede Urbana, desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas Aplicadas juntamente com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; o segundo, Política Nacional de Desenvolvimento Regional, do Ministério da Integração Nacional, e o terceiro, Tipologia das Cidades Brasileiras, elaborado pelo Observatório das Metrópoles, – percebe-se a permeabilidade e complementaridade entre eles, as grandes contribuições trazidas e o desafio que é produzir uma classificação condizente com a diversidade das cidades brasileiras. Destaca-se ainda como as diferentes leituras da rede urbana incorporam-se às políticas públicas, sendo os estudos realizados parte do processo de construção da política urbana nacional. Assim, acredita-se que grandes desafios foram vencidos.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luana Miranda Esper Kallas, Departamento de Arquitetura e Urbanismo UNB, Brasilia, DF
Benny Schvasberg é mestreem Planejamento Urbanoe Regional (IPPUR/UFRJ);doutor em Sociologia Urbana(UnB); Professor Associado IIda Faculdade de Arquiteturae Urbanismo e do Programade Pós-Graduação em Arquiteturae Urbanismo da UnB.Email: benny@unb.brRodrigo Santos de Faria émestre e doutor em História(IFCH-UNICAMP); ProfessorAdjunto II da Faculdade deArquitetura e Urbanismo e doPrograma de Pós-Graduaçãoem Arquitetura e Urbanismoda UnB. Email: rodrigof@unb.br
Benny Schvasberg, Departamento de Arquitetura e Urbanismo UNB, Brasilia, DF
Rodrigo Santos de Faria émestre e doutor em História(IFCH-UNICAMP); ProfessorAdjunto II da Faculdade deArquitetura e Urbanismo e doPrograma de Pós-Graduaçãoem Arquitetura e Urbanismoda UnB. Email: rodrigof@unb.br

Referências

ALMEIDA, R. S. O pensamento geográfico do IBGE no contexto do planejamento estatal brasileiro. In: MARTINS, R. A.; MARTINS, L. A. C. P.; SILVA, C. C.; FERREIRA, J. M. H. (Eds.). Filosofia e história da ciência no cone sul: 3º encontro. Campinas: AFHIC, 2004. p.410-5. Disponível em: http://ghtc.ifi.unicamp.br/AFHIC3/Trabalhos/55Roberto-Schmidt-Almeida.pdf . Acesso em: 06 out. 2010.

BRASIL. Ministério das Cidades. Política Nacional de Desenvolvimento Urbano. Brasília, DF, 2004.

BRASIL. Ministério da Integração. Política Nacional de Desenvolvimento Regional. Brasília, DF, 2004. Disponível em: http://www.integracao.gov.br/desenvolvimentoregional/ pndr/ . Acesso em: 08 out. 2010.

FERNANDES, A. C., BITOUN, J., ARAÚJO, T. B. Tipologia das cidades brasileiras (Vol. 2) BITOUN, J., MIRANDA, L. (Orgs.). Rio de Janeiro: Letra Capital: Observatório das Metrópoles, 2009. Disponível em: http://www.observatoriodasmetropoles. ufrj.br/Vol2_tipologia_cidades_brasileiras.pdf Acesso em: 30 set. 2010.

IPEA, IBGE e UNICAMP. Configuração Atual e Tendências da Rede Urbana (Vol. 1), Série Caracterização e Tendências da Rede Urbana do Brasil, IPEA, IBGE, NESUR, Universidade Estadual de Campinas, Brasília, 2001.

Publicado
2011-11-30
Seção
Territórios, Regiões, Fronteiras