Implantação de infra-estrutura de saneamento na Região Metropolitana do Rio de Janeiro: uma avaliação das ações do Programa de Despoluição da Baía de Guanabara

  • Ana Lucia Britto Prourb-UFRJ, Rio de Janeiro
Palavras-chave: saneamento ambiental, meio ambiente, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, Baía de Guanabara, infra-estrutura urbana, gestão urbana, serviços urbanos.

Resumo

Este trabalho apresenta alguns resultados de pesquisa em desenvolvimento sobre a implantação e gestão das infra-estruturas e serviços de saneamento na Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ). Nele analisamos, com base no mais importante macroprograma em desenvolvimento, o Programa de Despoluição da Baía de Guanabara (PDBG), se ele vem contribuindo para uma ampliação do acesso aos serviços nas áreas carentes da RMRJ. Nossa análise mostra que o desenvolvimento do programa tem sido extremamente lento e que, apesar do volume importante de recursos aplicados por agentes financiadores externos, o PDBG ainda não logrou seus objetivos de ampliar o acesso e melhorar significativamente a qualidade desses serviços em áreas carentes da região.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMADOR, E. da S. ‘‘Baía de Guanabara: um balanço histórico’’. In: ABREU, M. Natureza e sociedade no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Prefeitura Municipal, 1992.

AMADOR, E. da S.; LIMA, S. R. Considerações e propostas dos movimentos ambientalistas Baía Viva e Os Verdes para a Fase II do Programa de Despoluição da Baía de Guanabara. Rio de Janeiro: s.n., 1998.

BRITTO, A. L.; CARDOSO, A. L. “Sustentabilidade e justiça ambiental na Região Metropolitana do Rio de Janeiro”. Trabalho apresentado no SEMINÁRIO INTERNACIONAL “LAS REGIONES METROPOLITANAS DEL MERCOSUR Y MÉXICO: ENTRE LA COMPETITIVIDAD Y LA COMPLEMNETARIEDAD”. 2000. Buenos Aires, Argentina, entre 28 de novembro e 1 de dezembro de 2000.

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Secretaria de Estado de Obras e Serviços Públicos. Documento de base para a formulação da fase II do Programa de Despoluição da Baía de Guanabara. Rio de Janeiro, Adeg/Cedae, dez. de 1997.

SANCHES, M. ‘‘Elites globais e cidadãos locais: quem ganha com a despoluição da Baía de Guanabara?’’ Trabalho apresentado no XXII CONGRESSO INTERNACIONAL DA LASA – LATIN AMERICAN STUDIES ASSOCIATION. 2000.

Publicado
2003-05-31
Seção
Artigos