A constituição espacial de uma cidade portuária através dos ciclos produtivos industriais: o caso do município do Rio Grande (1874-1970)

Solismar Fraga Martins, Margareth Afeche Pimenta

Resumo


Rio Grande, cidade portuária e primeira demarcação lusitana nas terras rio-grandenses apresentou um rápido processo de industrialização no final do século XIX, resultado da acumulação de capital comercial, proveniente das atividades de importação e exportação. Celeremente, plantas industriais com base produtiva diversificada foram instaladas, expandindo a antiga cidade comercial e conformando o espaço urbano através da introdução de novas estruturas produtivas e de uma excelente base técnica que conformaram os sentidos da expansão urbana, compondo, de forma dual, movimento de renovação arquitetônica em moldes europeus e vilas operárias. Tal realidade se manteve até 1950, quando a economia industrial começa a dar mostras de debilidade, restringindo ou fechando parte de seu parque fabril. De forma paralela, ocorre uma proliferação de todo tipo de loteamento privado, originando as “vilas” periféricas e ocasionando a ruptura entre a cidade e a indústria.

 


Palavras-chave


configuração espacial urbana; ciclos produtivos industriais; história urbana; vilas operárias; patrimônio arquitetônico.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


BITTENCOURT, É. Da rua ao teatro. Os prazeres de uma cidade. Rio Grande: FURG, 2001.

CANO, W. Desequilíbrios regionais e concentração industrial no Brasil (1930-1970). São Paulo: Globo, 1985.

COPSTEIN, R. “Evolução urbana de Rio Grande.” Porto Alegre, Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul, n.122, p.43-68, 1982.

COPSTEIN, R. “O trabalho estrangeiro no município do Rio Grande.” Porto Alegre, Boletim Gaúcho de Geografia, n.4, p.1-43, 1975.

COSTA, A. O Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Globo, 1922.

LEFEBVRE, H. “La prodution de l’espace.” Paris: Antrophos, 1974.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. São Paulo: Centauro, 2001.

MARTINS, S. F. A visão dos moradores sobre o planejamento urbano: um estudo do Bairro Santa Tereza – Rio Grande – RS. Rio Grande, 1997. Dissertação (Mestrado) – Fundação Universidade Federal do Rio Grande.

NEVES, H. A. P. “O porto do Rio Grande no período de 1890-1930”. Rio Grande, Revista do Departamento de Biblioteconomia e História, FURG, 1980.

OLIVEIRA, F. A economia da dependência imperfeita. 5.ed. Rio de Janeiro: Graal, 1989.

PESAVENTO, S. J. História da indústria sul-riograndense. Porto Alegre: Riocell, 1985.

PESAVENTO, S. J. A burguesia gaúcha. Dominação do capital e disciplina do trabalho. RS 18891930. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988.

PESAVENTO, S. J. História do Rio Grande do Sul. 5.ed. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1990.

PIMENTEL, F. Aspectos gerais do município do Rio Grande. Rio de Janeiro: IBGE, 1944.

QUAINI, M. Marxismo e Geografia. 3.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

RIO GRANDE DO SUL. Obras da Barra e do Porto do Rio Grande. Transferência ao Estado dos Contractos da Compagnie Française du Port de Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Officinas Graphicas d’A Federação, 1919.

ROCHE, J. A colonização alemã e o Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Globo, 1969.

SALVATORI, E. et al. “Crescimento horizontal da cidade do Rio Grande.” Revista do IBGE, 1989.

SANTOS, M. Técnica, espaço tempo: globalização e meio técnico científico informacional. 2.ed. São Paulo: Hucitec, 1996.

SINGER, P. Desenvolvimento econômico e evolução urbana. 2.ed. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1977.

TAVARES, M. da C. Da substituição de importações ao capitalismo financeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2004v6n1p85

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia