Qualidade do espaço residencial e sustentabilidade: (re)discutindo conceitos e (des)construindo padrões

Maria Conceição Barletta Scussel, Miguel Aloysio Sattler

Resumo


A partir da análise da inserção das condições de habitação na construção de diferentes conjuntos de indicadores de qualidade de vida, o presente trabalho propõe uma leitura crítica desses conceitos, apontando limites e possibilidades de sua utilização enquanto instrumentos de aferição da realidade. Discute os conceitos envolvidos na definição de aspectos de qualificação do espaço residencial e a construção de padrões subjacentes a estes, buscando identificar as múltiplas dimensões – ambiental, social, econômica, política, cultural – implicadas na produção e apropriação desse espaço. A identificação dos componentes que concorrem para a configuração de determinado espaço residencial, e o reconhecimento das relações que a partir daí se estabelecem sugerem a necessidade de uma abordagem diferenciada de avaliação, capaz de permitir a transposição de escalas, de confrontar distintos interesses e de captar a diversidade de lugares de morar na cidade, segundo princípios de sustentabilidade.

 


Palavras-chave


indicadores de qualidade de vida; condições de habitação; sustentabilidade.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ACSELRAD, H. Discursos da sustentabilidade urbana. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v.1, n.1, p.79-90, maio de 1999.

BARCELLOS, T. et al. Tipologia sócio-espacial de Porto Alegre – 1980-91: diferenciações sócio-ocupacionais e desigualdades sociais entre os espaços da cidade. Porto Alegre, Indicadores Econômicos FEE, v.29, n.4, p.307, 2002.

CARDOSO, A. Municipalização da política habitacional: uma avaliação da experiência brasileira recente. In: Anais do VIII Encontro Nacional da Anpur. Porto Alegre: Anpur, 1999. (CD-Rom).

CARRION, O. B. K.; SCUSSEL, M. C. B. Condições de moradia e comprometimento da renda familiar com habitação e transporte na Região Metropolitana de Porto Alegre. In: Anais do V Encontro Nacional de Economia Política. Fortaleza: Sociedade Brasileira de Economia Política, 2000. (CD-Rom.)

FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA SIEGFRIED EMANUEL HEUSER – FEE. Índice de Desenvolvimento Social – IDS: uma estimativa para os municípios do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: FEE, 1995.

FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA SIEGFRIED EMANUEL HEUSER – FEE. Índice Social Municipal Ampliado – Isma. Porto Alegre: FEE, 1999.

FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA SIEGFRIED EMANUEL HEUSER – FEE. Anuário Estatístico do Rio Grande do Sul 2001. Porto Alegre: FEE, 2001.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Condições de vida da população de baixa renda na região metropolitana de Porto Alegre. Rio de Janeiro: IBGE, 1981.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Indicadores de desenvolvimento sustentável: Brasil 2002. Rio de Janeiro: IBGE, 2002.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA)/UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL – PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL (PROPUR). Gestão do uso do solo e disfunções do crescimento urbano/Instrumentos de planejamento e gestão urbana: Porto Alegre. Brasília: Ipea/UFRGS, 2002.

KOCH, M. et al. Tipologia socioespacial da Região Metropolitana de Porto Alegre: análise preliminar do caso de Porto Alegre – 1980/1991. In: CASTAGNA, A. (Ed.) Globalización y territorio. VI Seminário Internacional, Red Iberoamericana de Investigadores sobre Globalización y territorio. Rosario: UNR, 2002. p.459-82.

MENEGAT, R. (Coord.) Atlas Ambiental de Porto Alegre. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1998.

MOTTA, D. M. et al. A dimensão urbana do desenvolvimento econômico-espacial brasileiro. Texto para Discussão, n.530. Brasília: Ipea, 1997.

NAHAS, M. I. P. et al. Índice de qualidade de vida urbana de Belo Horizonte (IQVU – BH): um instrumento intra-urbanístico de gestão da qualidade de vida. In: Anais do VII Encontro Nacional Anpur. Recife, 1997. p. 1437-51.

PINHEIRO, F. J. Déficit habitacional no Brasil. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, 1995.

PNUD/IPEA/FJP/IBGE. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Brasília, 1998. (CD-Rom.)

PNUD/IPEA/Fundação João Pinheiro/IBGE. Novo Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Disponível em http://www.undp.org.br/IDHM-BR%Atlas. Acesso em 17.2.2003.

SCUSSEL, M. Uma abordagem comparativa das condições de habitação no meio urbano e no meio rural: o caso de Porto Alegre. In: Anais do IX Encontro Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído. Foz do Iguaçu: Antac, 2002.

SILVA, S. Indicadores de Sustentabilidade Urbana – as perspectivas e as limitações da operacionalização de um referencial sustentável. São Carlos, 2000. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de São Carlos.

SPOSATI, A. Cidade, território, exclusão/inclusão social. Revista Prolides– Mercosul. São Paulo: Cortez, n.63, p.45-61, jul. 2000.

UNITED NATIONS. Comission for Sustainable Development. Sustainability indicators. Disponível em http://www.um.org/esa/sustdev/natlinfo/indicators/indisd/isdms 2001/htm. Acessado em 29.11.2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2004v6n2p85

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                            


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia