Os paradigmas da modernização do estado do Ceará e o processo de construção da Barragem do Castanhão

Francisca Silvania de Sousa Monte

Resumo


Este trabalho resulta de pesquisa para tese de doutorado cujo objetivo foi investigar em que medida o processo de uso e controle das águas no Ceará, tendo como base a Barragem do Castanhão, contribuiu para levar o estado a se transformar em paradigma da modernização, principalmente a modernização hídrica. Foram realizadas entrevistas com políticos, agentes governamentais, organizações da sociedade civil e outros agentes relevantes no processo. Foram também consultados documentos e relatórios de várias instituições envolvidas na implantação da Barragem. Concluiu-se que a modernidade hídrica está desenhando uma nova configuração territorial no estado do Ceará, transformando o espaço geográfico no espaço da racionalidade técnica a serviço de interesses privados, e que o desenvolvimento pretendido com a implantação da Barragem ocasionou um processo de modernização excludente, principalmente dos mais diretamente atingidos pelas obras.

 


Palavras-chave


modernização; desenvolvimento; Ceará; barragem; água; exclusão.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ABU-EL-HAJ, J. “Neodesenvolvimentismo no Ceará: autonomia empresarial e política industrial”. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v.28, n.3, pp.327-45, jul./set.1997.

AMARAL FILHO, J. do. Reformas estruturais e economia política dos recursos hídricos.Texto para discussão n.7. Fortaleza: IPECE, 2003.

ARAGÃO, R. B. História do Ceará. 2a. ed. Fortaleza: Ed. do Autor, 1998. ARAÚJO, M. Z. T. de. Barragem do Castanhão: projeto e aspectos da construção. Fortaleza: Departamento Nacional de Obras contra as Secas, 1997.

BARREIRA, Y. A. F. “Ideologia e gênero na política: estratégias de identificação em torno de uma experiência”. Dados, Rio de Janeiro, v.36, n.3, p.441-468, 1993.

BARREIRA, Y. A. F. “Pensamento, palavras e obras”. p. 63-82. In: PARENTE, J.; ARRUDA, J. M. (Org). A era Jereissati: modernidade e mito. Fortaleza: Fundação Demócrito Rocha, 2002.

BONFIM, W. L. de S. Qual mudança? : os empresários e a americanização do Ceará. 1999. 295p.Tese (Doutorado em Ciências Humanas: Ciências Políticas). Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.

CARVALHO, R. V. A. “Coronelismo e neocoronelismo: eternização do quadro de análise política do Nordeste?”. Revista Cadernos de Estudos Sociais. v.3, n.2, jul./dez.1987, p.193-205.

CEARÁ. Águas do Ceará: programa de gerenciamento e integração dos recursos hídricos do Estado do Ceará. Fortaleza: Secretaria de Recursos Hídricos, 1995a.

CEARÁ. Emenda Constitucional nº 25/95, de 22 de dezembro de 1995b.

CEARÁ. Nota acerca da contribuição da Barragem do Castanhão para o desenvolvimento sustentável do Ceará. Fortaleza: Secretaria de Recursos Hídricos, [199-].

CEARÁ. Plano de mudanças do governo Tasso Jereissati (1987-1991). Fortaleza, Governo do Estado, 1987.

CEARÁ. Plano de desenvolvimento sustentável do governo Tasso Jereissati (1995- 1998). Fortaleza, Governo do Estado, 1995c.

CEARÁ. Companhia de Gestão de Recursos Hídricos. O caminho das águas. [s.d] Disponível em http://www.cogerh.ce.gov.br . Acesso em 12 jul.2003.

CEARÁ. Instituto de Desenvolvimento Agrário do Estado do Ceará. Documentos produzidos entre1986 a 2004 (40 Planos de Reassentamento dos Núcleos, Cadastro dos atingidos pela Barragem do Castanhão e Planos de Desenvolvidos dos Reassentamentos do Castanhão). Fortaleza, [2004?].

CEARÁ. Secretaria de Recursos Hídricos. Progerirh: programa de gerenciamento e integração dos recursos hídricos. Relatório de execução (jan. a mar. 2005) Tomo I. Nº 01/2005.Fortaleza: SRH, 2005.a

CEARÁ. Progerirh: programa de gerenciamento e integração dos recursos hídricos. Relatório de execução. (jan. a mar. 2005) Tomo II. n. 01/2005. Fortaleza: SRH, 2005.b

CERNEA, M.; MCDOWELL, C. Risks and reconstruction: experiences of resettlers and refugees. Washington, DC: World Bank, 2000.

DIÓGENES, G. “Ciro Gomes: percursos de uma imagem”. In: PARENTE, J.; ARRUDA, J. M. (Org.). Aera Jereissati:modernidade e mito. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2002.

FARIAS, A. de. História do Ceará: dos índios à geração Cambeba. Fortaleza: Tropical, 1997

GOMES, P. C. da C. Geografia e modernidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

GONDIM. L. M. P. “Os ‘governos das mudanças’ (1987–1994)”. In: SOUSA, S. (Org.) Uma nova história do Ceará. 2a.ed. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2002.

HELLER, A.; FEHÉR, F. “O pêndulo da modernidade”. Tempo social. Rev. Sociol. USP, São Paulo, v.6, n.1-2, p.47- 82, 1994.

INSTITUTO DE MEMÓRIA DO POVO CEARENSE. Jaguaribara, resistindo e vivendo. Fortaleza: IMOPEC, 1999.

LECHNER, N. “A modernidade e a modernização são compatíveis? O desafio da democracia latino-americana”. Lua Nova. São Paulo, n.21, p. 73-86, set.1990.

LEMENHE, M. A. “A ’modernidade’ ao alcance de todos”. In: BARREIRA, Y.; PALMEIRA, M. (orgs.) Candidatos e candidaturas: enredos de campanha eleitoral no Brasil. São Paulo: Annablume, 1998.

LINHARES, M. Virgílio Távora: sua época. Fortaleza: Casa de José de Alencar, 1996.

MAGALHÃES, C. C. O desenvolvimento do Nordeste e a ação do BNB. Fortaleza: BNB, 1979.

MATOS, F. J. L.; ALCÂNTARA, S. V. S.; DUMMAR, V. C. (Coord.) Cenários de uma política contemporânea. Fortaleza: Edições Fundação Demócrito Rocha, 1999.

NASCIMENTO, M. A. G. do. Nem parece o tempo em que vocês jogavam biriba na calçada:olugar em Nova Jaguaribara. 2003. 144p. Dissertação (Mestrado em Geografia). Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2003.

PARENTE, F . J. C. A fé e a razão na política: conservadorismo e modernidade das elites cearenses. Fortaleza: Edições Universidade Federal do Ceará, 2000.

PARENTE, F . J. C . “O Ceará e a modernidade”. In: PARENTE, J.; ARRUDA, J. M. (Org). A era Jereissati: modernidade e mito. Fortaleza: Fundação Demócrito Rocha, 2002.

PONTES, R. C. B. V. Reassentamento involuntário de populações atingidas pela construção de obras de infra–estrutura hídrica: o caso da Barragem do Castanhão, no estado do Ceará. Trabalho de investigação apresentado à Universidade de Barcelona como parte das exigências do Curso de Doutorado em Planificação Territorial e Desenvolvimento Regional. Barcelona, 2004.

SILVEIRA, E. M. da. Naufrágio de uma saudade: história da resistência da população da cidade de Jaguaribara à sua submersão, pela construção da Barragem do Castanhão.2000. 164p. Dissertação (Mestrado em História). Faculdade de História, Direito e Serviço Social. Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Franca, Franca, 2000.

TAVARES, C. A. “Castanhão: esperança ou dívida social”. Revista Conviver Nordeste.Fortaleza, n.2, p. 62-65, 2004.

TEIXEIRA, F. J. S. “CIC: a ‘razão esclarecida’ da FIEC”. Propostas alternativas. Fortaleza, n.4, 1995.

TOURAINE, A. Crítica da modernidade. 7.ed. Petrópolis: Vozes, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2008v10n1p87

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia