Planejamento em áreas de transição rural-urbana: velhas novidades em novos territórios

Lívia Izabel Bezerra de Miranda

Resumo


Desvendar processos espaciais e possibilidades de planejamento em áreas de transição rural-urbana é o objetivo deste trabalho. Partiu-se do pressuposto de que, embora essas áreas não tenham sido historicamente o foco central do planejamento urbano, expressam hoje forte convergência de interesses, processos e conflitos socioeconômicos, territoriais e ambientais. Portanto, não é possível promover a ocupação e o uso sustentável e socialmente justo de todo o território municipal, como define o Estatuto da Cidade (Lei nº 10.257/01), se não há descritores técnicos e instrumentos urbanísticos capazes de garantir efetivas possibilidades de planejamento nas áreas de transição rural-urbana. Pôde-se constatar que, apesar dos recentes avanços legais/institucionais no campo da reforma urbana, ainda há muitas limitações no que diz respeito ao enfrentamento dos graves problemas decorrentes do processo histórico de uso e ocupação do território, espraiado, incompleto, especulativo, e o seu consequente planejamento.

 


Palavras-chave


planejamento urbano; política urbana; transição urbano-rural.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ABRAMOVAY, R. (et alli). Novos dados sobre a estrutura social do desenvolvimento agrícola de São Paulo. São Paulo: Unicamp, 1996.

ACSELRAD, H.; LEROY, J.-P. (Org.) Novas Premissas da Sustentabilidade Democrática. Rio de Janero: Fase, 1999. (Vol. 1).

ASCHER, F. Métapolis, ou l’avenir des villes. Paris: Éditions Odile Jacob, 1995.

ASENSIO, P. J. P. Cambios Sociales en Espacios Periurbanos del País Valenciano. Trabalho de Fim de Curso, 2005. Disponível em: http://mural.uv.es/pepona/principal.html . Acesso em 20 de janeiro de 2007.

BARRÈRE, P. Urbanization del Campo en países Industrializados. In: Espacios Rurales y Urbanos en Áreas Industrializadas. Barcelona: Olkos-tau, 1988, pp. 59-78.

BINIMELIS, S. J. Sociedad Post-Industrial y Dialéctica Campo-Ciudad. Aportación Al Debate a Modo de Estado de la Cuestión. Lurr@Ide. 2000. Acesso em 10 de julho de 2007.

BRYON, M. E. Q. Desenvolvimento urbano x Meio Ambiente: a relação do espaço urbano com os recursos naturais permanentes. O caso das áreas estuarinas da RMR. Dissertação de mestrado, mestrado em Desenvolvimento Urbano e Regional, UFPE, Recife: UFPE, 1994.

CARDOSO, A. L.; RIBEIRO, L. C. Q. In: PECHMAN, R.; RIBEIRO, L. C. Q. Cidade, Povo e Nação. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996. pp. 53-81.

CARVALHO, J. G. A Integração Sul-americana e o Brasil: o protagonismo brasileiro na implantação da IIRSA. Belém do Pará: FASE/COMOVA, 2007.

CARTER, H. The study of urban Geography. Eduard Arnoud eds, 1974. CLAWSON, M. Urban sprawl and speculation in urban land. A Geography of urban places, 1970.

CORREA, R. L. A periferia urbana. GEOSU-Revista do departamento de Geociências. (UFSC) n. 2 - ano I (1986).

DONNE, M. D. Teoria sobre a cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1979.

FREYRE, G. Rurbanização. Que É? Recife: Massangana, 1988.

GOLLEDGE, R. C. Sidney’s metropolitan franges: a study in urban rural relations. Australian Geographer, 1960, pp. 243-55.

HARVEY, D. The Urban Experience. Oxford: Oxford, 1989. JACOBS, J. Morte e Vida de Grandes Cidades. São Paulo: Martins Fonte, 2000.

JUILLARD, E. Europa Industrial e Brasil: Dois Tipos de Organização do Espaço Periurbano. Boletim Baiano de Geografia, Nº 4. Salvador: Associação Brasileira de Geógrafos, (Março 1961), pp. 3-10.

KAYSER, B. La renaissance rurale. Sociologie des campagnes du monde occidental. Paris: Armand Colin, 1990.

LACERDA, M. Metropolização e Subdesenvolvimento: o caso do Recife. Recife: Sudene, 1978.

LEFEBVRE, H. A Revolução Urbana. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

LEWIS, G. J.; MAUND, D. J. The urbanisation of the countryside: a framework for analysis. Geography e Annaler, 1976, pp. 17-27.

LIVELY, C. The sociological significance of the rural-urban fringe. Rural sociology 18 (1953).

MIRANDA, L. I. B. Planejamento e Produção do espaço em áreas de Transição rural-urbana: o caso da Região Metropolitana do Recife. Tese de doutorado, Recife: UFPE, 2008.

PAHAL, R. Urbs in Rure: The metropolitan frange in hertfordshire. London School of Economics and Political Science, 1962: Geogr. pap. 2.

PRYOR, R. J. Defining the rural-urban frige. Internacional structure of tre city: readings on espace and enviroment, por L.S. BOURNE. New York: Oxford University Press, 1971.

SANTORO, P.; PINHEIRO, E. (Orgs). O Município e as Áreas Rurais. São Paulo: Instituto Pólis, 2003.

SANTOS, M. A Urbanização Brasileira. São Paulo: UCITEC, 1993.

SILVA, E. C. de A. Produção da paisagem rural-urbana de Niterói: o caso da área em torno da estrada velha de Maricá. Dissertação de mestrado, Rio de Janeiro: UFRJ, 1995.

SILVA, J. G. da. O Novo Rural Brasileiro. Campinas: Unicamp, 2002.

SINCLAIR, R. Von Thürner and urban sprawl. Annals of the Association of American Geographers, 1967, pp. 57-78.

TOPALOV, C. Do Planejamento a Ecologia: Nascimento de um Novo Paradigma da Ação Sobre a Cidade e o Habitat? Cadernos do IPPUR (UFRJ/IPPUR) XI (Jan./Dez. 1997), pp. 19-42.

VEIGA, J. E. Nascimento de outra ruralidade. Estud. av., São Paulo, v. 20, n. 57, 2006. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142006000200023

WEHRWEIN, G. S. The rural urban frange. Economic Geography, julho 1942, pp. 18- 28.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2009v11n1p25

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia