The Middle and Lower Xingu: the response to the crystallization of different temporalities in the production of regional space | Médio e Baixo Xingu: o reflexo da cristalização de diferentes temporalidades na produção do espaço regional

Juliana Mota de Siqueira, Ana Paula Dal’Asta, Silvana Amaral, Maria Isabel Sobral Escada, Antônio Miguel V. Monteiro

Resumo


While the region of the Middle and Lower Xingu has been a protagonist during many episodes of Brazilian history, it remains unknown to a large cross-section of society. Within this perspective, we have revealed some of the different elements responsible for the production of regional space by joining theoretical exercise with empirical, which signifies combining some of the knowledge that has been produced on the region with the discourse of some of the different agents involved in its transformation. Accordingly, the following processes were adopted as markers: colonization, the opening of the Trans-Amazonian, land conflicts and the construction of the Belo Monte Hydroelectric Power Plant. As part of this collective effort, based on interviews with the central institutions (from the First, Second and Third sectors), and with communities from different locations within the region, this article gathers together arguments that contribute to the debate regarding the accumulated processes in the Brazilian Amazon, and particularly in the Middle and Lower Xingu.


Palavras-chave


Medium and Low Xingu region; Trans-Amazonian; land conflicts; Belo Monte Hydroelectric Power Plant; the Amazon.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, L., VIVEIROS DE CASTRO, E. Hidrelétricas do Xingu: o Estado contra as

Sociedades Indígenas. In: Leinarde Santos; Lúcia Andrade. As hidrelétricas do Xingu e os

povos indígenas. São Paulo: Comissão Pró-Indio de São Paulo, 1988.

BECKER B., Amazônia, Editora Ática, São Paulo, 1990a.

____Apresentação, In: BECKER B., MIRANDA M., MACHADO L. (Orgs.), Fronteira

Amazônica: questões sobre a gestão do território, Editora UnB e UFRJ, Brasília e Rio de

Janeiro, 1990b.

____, A urbe amazônida: a floresta e a cidade. Rio de Janeiro: Garamond Universitária,

BERMANN, C. Impasses e controvérsias da hidroeletricidade. Estud. av. [online]. 2007,

vol.21, n.59, pp. 139-153. ISSN 1806-9592.

FEARNSIDE, P. M. Projetos de colonização na Amazônia brasileira: objetivos conflitantes e

capacidade de suporte humano, Cadernos de Geociências, n. 02; 1989. p. 07- 25.

____, O conflito em torno da construção da usina hidrelétrica de belo monte sob o idioma da

coprodução. 38º Encontro anual da Anpocs. Caxambu, Minas Gerais, 2014.

LOUREIRO, V. R. e PINTO, J. N. Aragão. A questão fundiária na Amazônia. Estud.

av. [online]. 2005, vol.19, n.54, pp. 77-98. ISSN 1806-9592.

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL, Plano de Desenvolvimento Regional

Sustentável do Xingu, Relatório Técnico, Disponível em:

http://www.mi.gov.br/c/document_library/get_file?uuid=9cbd2d8c-9e8c-4db0-a362-

f7f4af1e9b96&groupId=24915 >, Acesso em: 22 de junho de 2015.

MARIN, R., Visão histórica da região do rio Xingu: economia e diversidade étnica, Papers do

Naea, n 276, p. 1-22, 2010.

MARTINS, J. S., Fronteiras: a degradação do outro nos confins do humano. HUCITEC. São

Paulo, 1997.

MIRANDA M., Colonização oficial na Amazônia: o caso de Altamira, In: BECKER B.,

MIRANDA M., MACHADO L. (Orgs.), Fronteira Amazônica: questões sobre a gestão do

território, Editora UnB e UFRJ, Brasília e Rio de Janeiro, 1990.

MORAES, R. Navegação regional como mecanismo de transformação da economia da

borracha, Tese de doutorado, Universidade Federal do Pará, Belém, 2007.

SANTOS, M., Da totalidade ao lugar, Editora Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

TUNDISI, J. , Exploração do potencial hidrelétrico da Amazônia, Estudos Avançados 21

(59), 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2017v19n1p148

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                               


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia