Os paradigmas da modernização do estado do Ceará e o processo de construção da Barragem do Castanhão

  • Francisca Silvania de Sousa Monte Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Ceará
Palavras-chave: modernização, desenvolvimento, Ceará, barragem, água, exclusão.

Resumo

Este trabalho resulta de pesquisa para tese de doutorado cujo objetivo foi investigar em que medida o processo de uso e controle das águas no Ceará, tendo como base a Barragem do Castanhão, contribuiu para levar o estado a se transformar em paradigma da modernização, principalmente a modernização hídrica. Foram realizadas entrevistas com políticos, agentes governamentais, organizações da sociedade civil e outros agentes relevantes no processo. Foram também consultados documentos e relatórios de várias instituições envolvidas na implantação da Barragem. Concluiu-se que a modernidade hídrica está desenhando uma nova configuração territorial no estado do Ceará, transformando o espaço geográfico no espaço da racionalidade técnica a serviço de interesses privados, e que o desenvolvimento pretendido com a implantação da Barragem ocasionou um processo de modernização excludente, principalmente dos mais diretamente atingidos pelas obras.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisca Silvania de Sousa Monte, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Ceará

Referências

ABU-EL-HAJ, J. “Neodesenvolvimentismo no Ceará: autonomia empresarial e política industrial”. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v.28, n.3, pp.327-45, jul./set.1997.

AMARAL FILHO, J. do. Reformas estruturais e economia política dos recursos hídricos.Texto para discussão n.7. Fortaleza: IPECE, 2003.

ARAGÃO, R. B. História do Ceará. 2a. ed. Fortaleza: Ed. do Autor, 1998. ARAÚJO, M. Z. T. de. Barragem do Castanhão: projeto e aspectos da construção. Fortaleza: Departamento Nacional de Obras contra as Secas, 1997.

BARREIRA, Y. A. F. “Ideologia e gênero na política: estratégias de identificação em torno de uma experiência”. Dados, Rio de Janeiro, v.36, n.3, p.441-468, 1993.

BARREIRA, Y. A. F. “Pensamento, palavras e obras”. p. 63-82. In: PARENTE, J.; ARRUDA, J. M. (Org). A era Jereissati: modernidade e mito. Fortaleza: Fundação Demócrito Rocha, 2002.

BONFIM, W. L. de S. Qual mudança? : os empresários e a americanização do Ceará. 1999. 295p.Tese (Doutorado em Ciências Humanas: Ciências Políticas). Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.

CARVALHO, R. V. A. “Coronelismo e neocoronelismo: eternização do quadro de análise política do Nordeste?”. Revista Cadernos de Estudos Sociais. v.3, n.2, jul./dez.1987, p.193-205.

CEARÁ. Águas do Ceará: programa de gerenciamento e integração dos recursos hídricos do Estado do Ceará. Fortaleza: Secretaria de Recursos Hídricos, 1995a.

CEARÁ. Emenda Constitucional nº 25/95, de 22 de dezembro de 1995b.

CEARÁ. Nota acerca da contribuição da Barragem do Castanhão para o desenvolvimento sustentável do Ceará. Fortaleza: Secretaria de Recursos Hídricos, [199-].

CEARÁ. Plano de mudanças do governo Tasso Jereissati (1987-1991). Fortaleza, Governo do Estado, 1987.

CEARÁ. Plano de desenvolvimento sustentável do governo Tasso Jereissati (1995- 1998). Fortaleza, Governo do Estado, 1995c.

CEARÁ. Companhia de Gestão de Recursos Hídricos. O caminho das águas. [s.d] Disponível em http://www.cogerh.ce.gov.br . Acesso em 12 jul.2003.

CEARÁ. Instituto de Desenvolvimento Agrário do Estado do Ceará. Documentos produzidos entre1986 a 2004 (40 Planos de Reassentamento dos Núcleos, Cadastro dos atingidos pela Barragem do Castanhão e Planos de Desenvolvidos dos Reassentamentos do Castanhão). Fortaleza, [2004?].

CEARÁ. Secretaria de Recursos Hídricos. Progerirh: programa de gerenciamento e integração dos recursos hídricos. Relatório de execução (jan. a mar. 2005) Tomo I. Nº 01/2005.Fortaleza: SRH, 2005.a

CEARÁ. Progerirh: programa de gerenciamento e integração dos recursos hídricos. Relatório de execução. (jan. a mar. 2005) Tomo II. n. 01/2005. Fortaleza: SRH, 2005.b

CERNEA, M.; MCDOWELL, C. Risks and reconstruction: experiences of resettlers and refugees. Washington, DC: World Bank, 2000.

DIÓGENES, G. “Ciro Gomes: percursos de uma imagem”. In: PARENTE, J.; ARRUDA, J. M. (Org.). Aera Jereissati:modernidade e mito. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2002.

FARIAS, A. de. História do Ceará: dos índios à geração Cambeba. Fortaleza: Tropical, 1997

GOMES, P. C. da C. Geografia e modernidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

GONDIM. L. M. P. “Os ‘governos das mudanças’ (1987–1994)”. In: SOUSA, S. (Org.) Uma nova história do Ceará. 2a.ed. Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2002.

HELLER, A.; FEHÉR, F. “O pêndulo da modernidade”. Tempo social. Rev. Sociol. USP, São Paulo, v.6, n.1-2, p.47- 82, 1994.

INSTITUTO DE MEMÓRIA DO POVO CEARENSE. Jaguaribara, resistindo e vivendo. Fortaleza: IMOPEC, 1999.

LECHNER, N. “A modernidade e a modernização são compatíveis? O desafio da democracia latino-americana”. Lua Nova. São Paulo, n.21, p. 73-86, set.1990.

LEMENHE, M. A. “A ’modernidade’ ao alcance de todos”. In: BARREIRA, Y.; PALMEIRA, M. (orgs.) Candidatos e candidaturas: enredos de campanha eleitoral no Brasil. São Paulo: Annablume, 1998.

LINHARES, M. Virgílio Távora: sua época. Fortaleza: Casa de José de Alencar, 1996.

MAGALHÃES, C. C. O desenvolvimento do Nordeste e a ação do BNB. Fortaleza: BNB, 1979.

MATOS, F. J. L.; ALCÂNTARA, S. V. S.; DUMMAR, V. C. (Coord.) Cenários de uma política contemporânea. Fortaleza: Edições Fundação Demócrito Rocha, 1999.

NASCIMENTO, M. A. G. do. Nem parece o tempo em que vocês jogavam biriba na calçada:olugar em Nova Jaguaribara. 2003. 144p. Dissertação (Mestrado em Geografia). Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2003.

PARENTE, F . J. C. A fé e a razão na política: conservadorismo e modernidade das elites cearenses. Fortaleza: Edições Universidade Federal do Ceará, 2000.

PARENTE, F . J. C . “O Ceará e a modernidade”. In: PARENTE, J.; ARRUDA, J. M. (Org). A era Jereissati: modernidade e mito. Fortaleza: Fundação Demócrito Rocha, 2002.

PONTES, R. C. B. V. Reassentamento involuntário de populações atingidas pela construção de obras de infra–estrutura hídrica: o caso da Barragem do Castanhão, no estado do Ceará. Trabalho de investigação apresentado à Universidade de Barcelona como parte das exigências do Curso de Doutorado em Planificação Territorial e Desenvolvimento Regional. Barcelona, 2004.

SILVEIRA, E. M. da. Naufrágio de uma saudade: história da resistência da população da cidade de Jaguaribara à sua submersão, pela construção da Barragem do Castanhão.2000. 164p. Dissertação (Mestrado em História). Faculdade de História, Direito e Serviço Social. Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Franca, Franca, 2000.

TAVARES, C. A. “Castanhão: esperança ou dívida social”. Revista Conviver Nordeste.Fortaleza, n.2, p. 62-65, 2004.

TEIXEIRA, F. J. S. “CIC: a ‘razão esclarecida’ da FIEC”. Propostas alternativas. Fortaleza, n.4, 1995.

TOURAINE, A. Crítica da modernidade. 7.ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

Publicado
2008-05-31
Seção
Artigos