Desigualdade e associativismo: proximidade espacial e distância social na conformação da sociedade civil

  • Marcelo Kunrath Silva Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS, Porto Alegre, Rio Grande do Sul
  • Rui Zanata Jr.
Palavras-chave: associativismo, sociedade civil, desigualdade, distância social, Porto Alegre.

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar os efeitos das profundas desigualdades que marcam a sociedade brasileira sobre a conformação da vida associativa nas grandes cidades, tendo por referência uma pesquisa empírica realizada com uma Associação de Moradores de um tradicional bairro de classe média de Porto Alegre. A partir do estudo das relações e da atuação desta entidade, percebe-se um alto grau de segmentação do tecido associativo da cidade em decorrência das marcantes distâncias estruturais e relacionais entre seus moradores. Devido a esta segmentação, as entidades de classe média e alta tendem a estabelecer vínculos e desenvolver ações com atores que compartilham posições similares no espaço social. Ao mesmo tempo, tendem a não se relacionar com entidades populares, mesmo que espacialmente próximas. Este resultado indica que as desigualdades costumam se reproduzir nos processos associativos que conformam a sociedade civil brasileira, tema pouco abordado pela literatura dedicada ao tema.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABERS, R. Do clientelismo à cooperação: governos locais, políticas participativas e organização da sociedade civil em Porto Alegre. Porto Alegre, Cadernos da CIDADE, n.7, v.5, maio 2000.

ALONSO, J. A. F. et al. Território, economia e sociedade: transformações na Região Metropolitana de Porto Alegre. Porto Alegre: FEE, 2009.

BOTTERO, W. Stratification: social division and inequality . London: R outledge, 2005.

BOURDIEU, P . O Poder Simbólico. Lisboa: Difel/Bertrand, 1989.

CALDEIRA, T. P. A política dos outros. São Paulo: Brasiliense, 1984.

CALDEIRA, T. P. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São P aulo. São Paulo: Edusp, 2000.

CHATTERJEE, P. A response to Taylor’s “Modes of Civil Society”. Public Culture, n.1, v.3, pp.119-132, fall 1990.

DIANI, M.; McADAM, D. (eds.). Social movements and networks: relational approaches to collective action. Oxford: Oxford University Press, 2003.

DREIFUSS, R. A. A conquista do Estado: ação política, poder e golpe de classe . Petrópolis: Vozes, 1981.

DREIFUSS, R. A. O Jogo da direita na Nova República. Petrópolis: Vozes, 1989.

FEDOZZI, L. J. Observando o Orçamento Participativo de P orto Alegre. Porto Alegre: Tomo Editorial, 2007.

FERREIRA, M. C. “ Associativismo e contato político nas Regiões Metropolitanas do Brasil: 1988-1996 – revisitando o problema da participação”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, n.41, v.14, pp. 90-102, outubro 1999.

IBGE; IPEA; ABONG; GIFE. As fundações privadas e associações sem fins lucrativos no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2008.

KERSTENETZKY,C. L. Sobre associativismo, desigualdades e democracia. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, n.53, v.18, pp.131-42, 2003.

KOWARICK, L. A espoliação Urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

LAVALLE, A. G. Sem pena nem glória: o debate sobre a sociedade civil nos anos 1990. Novos Estudos, São Paulo, n.66, p. 91-109, julho 2003.

MARQUES, E. C. Redes sociais e instituições na construção do Estado e da sua permeabilidade. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, n.41, v.14, pp.45-67, outubro 1999.

MARQUES, E. C. et al. Redes sociais e pobreza. Trabalho apresentado no Encontro Anual da ANPOCS, 2007. Disponível em: http://www.centrodametropole.org.br/pdf/ 2007/Anpocs2007ColetivoFinal.pdf

MISCHE, A. De estudantes a cidadãos: r edes de jovens e participação política. Revista Brasileira de Educação, n.5/6, pp.134-50, 1997.

PASSY, F; GIUGNI, M. Life - Spheres, Networks, and Sustained Participation in Social Movements: A P henomenological Approach to Political Commitment. Sociological Forum, n.1, v.15, pp.117-44, 2000.

PMPA. Mapas e indicadores das vulnerabilidades sociais. Porto Alegre: PMPA, 2007.

PMPA; Metroplan; PNUD; Fundação João Pinheiro. Atlas do desenvolvimento humano da região metropolitana de Porto Alegre. Porto Alegre: PMPA, 2008.

REIS, E. Pobreza, desigualdade e identidade política. In: DINIZ, Eli (org.). O desafio da democracia na América Latina (Anais do seminário). Rio de Janeiro: IUPERJ, 1996.

RIBEIRO, L. C. de Q. Proximidade territorial e distância social: reflexões sobre o efeito do lugar a partir de um enclave urbano. Revista Vera Cidade, Salvador, Ano 3, n.3, pp.121, maio 2008.

SANTOS, W. G. Horizonte do desejo: instabilidade, fracasso coletivo e inércia social. 2ª ed. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2006.

SILVA, L. S. da et al. Segregação residencial e relações de vizinhança no bairro de Apipucos (Recife-PE). In: Simpósio Nacional de Geografia Urbana. Florianópolis: X SIMPURB, 2007. Disponível em: http://www.observatoriodasmetropoles.ufrj.br/Segrega_Residencial.pdf . Acesso em: 03 de junho de 2009.

SILVA, M. K. Mapa do Associativismo de Porto Alegre. 2007 Disponível em: http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/observatorio/usu_doc/relatorio_final _mapa_associativismo.pdf . Acesso em: 05 de janeiro de 2010.

SILVA, M. K. Sociedade Civil e Construção Democrática: do maniqueísmo essencialista à abordagem relacional. Sociologias, Porto Alegre, v.8, pp. 156-79, 2006.

SILVA, M. K. Cidadania e exclusão.Porto Alegre: Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2002.

SILVA, M. G. B. da; BITOUN, J. Auto-segregação no espaço periférico entre Recife e Olinda. Revista de Geografia, Recife, v.23, n.1, 2006.

TORRES, H. da G. Segregação residencial e políticas públicas: São Paulo na década de 1990. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, n.54, v.19, pp. 41-55, fev. 2004.

TORRES, H. da G. et al. Pobreza e espaço: padrões de segregação em São Paulo. Estudos Avançados, São Paulo, n.47, v.17, pp.97-128, 2003.

Publicado
2008-11-30
Seção
Artigos