Do meio do medo nasce a coragem: o encontro entre pescadores e marisqueiras de Caravelas (BA) e do Ceará e os múltiplos sentidos da política | From fear courage is born: the encounter between fishermen and crab collectors from Caravelas (Bahia) and Ceará and the multiple meanings of politics

  • Cecília Campello do Amaral Mello Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional, Rio de Janeiro, RJ
Palavras-chave: conflito ambiental, acumulação por despossessão, resistência, micropolítica, carcinicultura, Reserva Extrativista do Cassurubá, Bahia.

Resumo

Num momento histórico em que as forças do capital se expandem e agenciam-se sobre espaços e domínios que se caracterizam por seu uso público ou comum, como seria possível a constituição de movimentos de resistência em defesa desses mesmos espaços? Este artigo analisa um processo de luta específico que logrou conter a expansão de um mecanismo de produção de desigualdade numa pequena cidade do extremo sul baiano, situada em uma nova fronteira de expansão do capital. Em disputa, os manguezais dos municípios de Caravelas e Nova Viçosa (BA), áreas livres de uso comum, ocupadas por uma população de pescadores e marisqueiros, em aliança com outros agentes, em outras escalas, foram capazes de impedir a instalação de um grande projeto de carcinicultura. Entender os múltiplos sentidos da política implícitos nesse movimento nascido em uma pequena cidade insurgente é a tarefa a que nos propomos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cecília Campello do Amaral Mello, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional, Rio de Janeiro, RJ
Doutora em Antropologia Social pelo Programa de Pós Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro e Professora Adjunta do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da UFRJ e pesquisadora do CNPq. Trabalha com os seguintes temas: política ambiental, conflito sócio-ambiental, antropologia da política, novos movimentos sociais e culturais e filosofia política contemporânea.

Referências

ACSELRAD, H.; BEZERRA, G. Desregulação, deslocalização e conflito ambiental: considerações sobre o controle das demandas sociais. In: ALMEIDA et al. Capitalismo Globalizado e recursos territoriais. Rio de Janeiro: Lamparina, 2010. p. 179-209.

BAHIA. Secretaria de Agricultura. Macrodiagnóstico do Potencial da Bahia para Carcinicultura Marinha. Salvador: Bahia Pesca, 2003. 1 CD-ROM.

BRANDÃO, C. Acumulação primitiva permanente e desenvolvimento capitalista no Brasil contemporâneo. In: ALMEIDA et al (Org.). Capitalismo Globalizado e recursos territoriais. Rio de Janeiro: Lamparina, 2010. p. 39-69.

FERGUSON, J.; GUPTA, A. Spatializing States: towards an Ethnography of Neoliberal Governmentality. American Ethnologist , v. 29, n. 4, p. 981-1002, nov. 2002.

FOUCAULT, M. Entretien inédit entre Michel Foucault et quatre militants de la LCR, membres de la rubrique culturelle du journal quotidien Rouge (juillet 1977). Disponível em: <http://questionmarx.typepad.fr/files/entretien-avec-michel-foucault-1.pdf>. Acesso em: 30 ago. 2015.

FOUCAULT, M. Les intellectuels et le pouvoir. In: FOUCAULT, M. Dits et Ecrits. Tome II. Paris: Gallimard, 1994a.

FOUCAULT, M. Inutile de se soulever? In: FOUCAULT, M. Dits et Ecrits. Tome III. Paris: Gallimard, 1994b.

GOLDMAN, M. Como funciona a democracia: uma teoria etnográfica da política. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2006.

GUATTARI, F. As três ecologias. Campinas: Papirus, 1990.

HARVEY, D. O Novo Imperialismo. São Paulo: Loyola, 2011.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Diagnóstico da Carcinicultura no Estado do Ceará. Brasília: abr. 2005. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/processos/0B19D3B1/DIAGDACARCINICULTURACEARA.pdf>. Acesso em: 30 ago. 2015.

MELLO, C. C. A. Política, Meio Ambiente e Arte: percursos de um movimento cultural do extremo sul da Bahia. 2010. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

MOREIRA LIMA, V. Sete considerações sobre o pensamento político de Félix Guattari. In: ENCONTROS DO NÚCLEO DE ANTROPOLOGIA SIMÉTRICA, 2015, Rio de Janeiro. Encontros do Núcleo de Antropologia Simétrica. Rio de Janeiro: PPGAS/MN/UFRJ, maio 2015. Mimeografado.

MOURA, R. L. et al. Parecer independente e questionamentos sobre o EIA-RIMA do Projeto de Carcinicultura da Cooperativa dos Criadores de Camarão do Extremo Sul da Bahia (Coopex). Caravelas, out. 2005. Mimeografado.

OSTROM, E. Governing the Commons: the Evolution of Institutions for Collective Action. New York: Cambridge University Press, 1990

PALMEIRA, M.; HEREDIA, B. Le Temps de La Politique. Etudes Rurales, v. 131, n. 32, p. 73-87, 1994.

RANCIÈRE, J. Aux bords du politique. Paris: Gallimard, 1998.

SHANAHAN, M. et al. Smash & Grab: Conflict, Corruption and Human Rights Abuses in the Shrimp Farming Industry. London: Environmental Justice Foundation, 2003.

STENGERS, I. Cosmopolitiques 1 : La guerre des sciences, L'invention de la mécanique: pouvoir et raison. Paris: La Découverte, 1997.

STRATHERN, M. After Nature. English kinship in the late twentieth century. Cambrigde: Cambridge University Press, 1992.

WAGNER, R. The Invention of Culture. Chicago: University of Chicago Press, 1975.

ZOURABICHVILI, F. Deleuze e o possível (sobre o involuntarismo na política). In: ALLIEZ, E. (Org.). Gilles Deleuze: uma vida filosófica. Rio de Janeiro: Editora 34, 2000. p. 333-355.

Publicado
2015-12-20
Seção
Artigos | Articles: Cidades e insurgências: novos e velhos conflitos, agências e direitos