Pobreza e migração no Brasil metropolitano (1995-2015) | Poverty and migration in metropolitan Brazil (1995-2015)

Palavras-chave: Pobreza e migração, Migração interna, Pobreza multidimensional, Regiões Metropolitanas, PNAD

Resumo

Uma das principais questões ao estudar a pobreza é sua heterogeneidade espacial, fruto (dentre outros elementos) de processos migratórios influenciados por fatores como industriali- zação, desenvolvimento econômico e desequilíbrios regionais. Neste artigo, estudamos as relações entre pobreza e migração no período de 1995 a 2015, observando a evolução dos níveis de pobreza nas áreas metropolitanas e não metropolitanas do Brasil em relação a diversas condições migratórias com base nos dados da PNAD. Parte-se da hipótese de diferenciais importantes na redução da pobreza entre migrantes e retornados. A pobreza reduziu-se no período analisado, mas com velocidades diferentes por condição migratória, com diferenças expressivas ao comparar as áreas metropolitanas com as demais. Observou- se certa propensão, nas primeiras, de os retornados terem melhores condições de vida, especialmente aqueles que residem nelas há mais tempo. Todas essas considerações são relevantes para constituir uma análise abrangente das relações entre migração e pobreza no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pier Francesco De Maria, Universidade Estadual de Campinas
Bacharel em Ciências Econômicas (2013), Mestre (2016) e Doutor (2018) em Demografia e pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Pesquisador dos Grupos CNPq "Métodos mistos e análises multiníveis" e "Laboratório de Economia e Gestão" (FCA/UNICAMP).

Referências

AZZONI, C. R. Indústria e reversão da polarização no Brasil. São Paulo: IPE/USP, 1986. (Série Ensaios Econômicos, n. 58).

BAENINGER, R. Rotatividade migratória: um novo olhar para as migrações internas no Brasil. REMHU, ano XX, n. 39, p. 77-100, 2012.

______. Migrações internas no Brasil século 21: evidências empíricas e desafios conceituais. In: CUNHA, J. M. P. (Org.). Mobilidade especial da população: desafios teóricos e metodológicos para o seu estudo. Campinas: Nepo/Unicamp, 2011. p. 71-93.

______. Migrações internas no Brasil: municípios metropolitanos e não metropolitanos. In: Encontro Nacional sobre Migrações, 2, 1999, Ouro Preto. Anais… Belo Horizonte: Abep, 1999a.

______. Região, metrópole e interior: espaços ganhadores e espaços perdedores nas migrações recentes – Brasil, 1980-1996. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999b.

______. A nova configuração urbana no Brasil: desaceleração metropolitana e redistribuição da população. In: Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 11, 1998, Caxambu. Anais… Belo Horizonte: Abep, 1998.

______. O processo de urbanização no Brasil: características e tendências. In: BÓGUS, L. M. M.; WANDERLEY, L. E. W. (Orgs.). A luta pela cidade em São Paulo. São Paulo: Cortez, 1992. p. 11-28.

BAENINGER, R.; PERES, R. G. Reconfigurações metropolitanas no século XXI: distribuição da população e urbanização no Brasil. Bahia Análise & Dados, v. 25, n. 2, p. 359-370, 2015.

BARROS, R. P.; CARVALHO, M.; FRANCO, S. Pobreza multidimensional no Brasil. Rio de Janeiro: Ipea, 2006. (Texto para Discussão n. 1227).

BEDI, T.; COUDOUEL, A.; SIMLER, K. More than a Pretty Picture: using poverty maps to design better policies and interventions. Washington, DC: The World Bank, 2007.

BRASIL. Lei complementar n. 14, de 8 de junho de 1973. Estabelece as regiões metropolitanas de São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, Curitiba, Belém e Fortaleza. Diário Oficial da União, Brasília (DF), 11 jun. 1973. Seção 1, p. 5585.

BRASIL. Lei n. 5107, de 13 de setembro de 1966. Cria o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília (DF), 14 set. 1966. Seção 1, p. 4689.

BRASIL. Decreto-lei n. 5452, de 1º de maio de 1943. Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Rio de Janeiro (DF), 9 ago. 1943. Seção 1, p. 11937.

BRASIL. Decreto-lei n. 399, de 30 de abril de 1938. Aprova o regulamento para execução da Lei n. 185, de 14 de janeiro de 1936, que institui as Comissões de Salário Mínimo. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Rio de Janeiro (DF), 7 maio 1938. Seção 1, p. 8600.

BRASIL. Lei n. 185, de 14 de janeiro de 1936. Institui as comissões de salário mínimo. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Rio de Janeiro (DF), 21 jan. 1936. Seção 1, p. 1602.

BRITO, F. As migrações internas no Brasil: um ensaio sobre os desafios teóricos recentes. Belo Horizonte: Cedeplar, 2009. (Texto para Discussão n. 366).

CAMARA, M. R. G. Migrações internas: evolução teórica e algumas evidências empíricas para o caso brasileiro. Revista Semina, v. 9, n. 2, p. 101-10. 1988.

CAMPELLO, T.; FALCÃO, T. O fim da miséria é só um começo. In: CAMPELLO, T.; COSTA, P. V. (Orgs.). O Brasil sem miséria. Brasília: MDS, 2014. p. 793-823.

CASTRO, A. B. C.; SOUZA, F. E. P. A economia brasileira em marcha forçada. São Paulo: Paz e Terra, 1985.

CUNHA, J. M. P. Redistribuição espacial da população: tendências e trajetória. São Paulo em Perspectiva, v. 17, n. 3-4, p. 218-33. 2003.

CUNHA, J. M. P.; BAENINGER, R. Cenários da migração no Brasil nos anos 90. Caderno CRH, v. 18, n. 43, p. 87-101. 2005.

DEDECCA, C. S.; CUNHA, J. M. P. Migração e trabalho: uma abordagem não algoz. In: Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 12, 2000, Caxambu. Anais… Belo Horizonte: Abep, 2000.

DEICHMANN, U. Geographic aspects of inequality and poverty. Roma: FAO, 1999.

FARIA, V. Desenvolvimento, urbanização e mudanças na estrutura do emprego: a experiência brasileira dos últimos trinta anos. In: SORJ, B.; ALMEIDA, M. H. T. (Orgs.). Sociedade política no Brasil pós-64. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2008. p. 182-244.

______. Cinquenta anos de urbanização no Brasil. Novos Estudos Cebrap, n. 29, p. 98-119. 1991.

______. Occupational marginality, employment and poverty in urban Brazil. Tese (Doutorado em Sociologia) – Department of Sociology, Harvard University, Cambridge, 1976.

FURTADO, B. A. Índice de Vulnerabilidade das Famílias: atualização (2003-2009) e recortes geográficos. Rio de Janeiro: Ipea, 2012. (Texto para Discussão n. 1699).

HARVEY, D. O direito à cidade. Lutas Sociais, n. 29, p. 73-89. 2012.

______. A condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 6. ed. São Paulo: Loyola, 1996.

HENNINGER, N.; SNEL, M. Where are the poor? Experiences with the development and use of poverty maps. Washington, DC: World Resources Institute, 2002.

JANNUZZI, P. M. Pobreza, desigualdade e mudança social: trajetória no Brasil recente (1992 a 2014). Revista de Estudos e Pesquisas sobre as Américas, v. 10, n. 3, 2016. p. 1-29.

______. M. Indicadores sociais no Brasil: conceitos, fontes de dados e aplicações. 5. ed. Campinas: Alínea, 2012.

______. M. et al. Dimensionamento da extrema pobreza no Brasil: aprimoramentos metodológicos e novas estimativas para 2001 a 2013. Brasília: Sagi, 2014. (Estudo técnico n. 17/2014).

KOTHARI, U. Migration and chronic poverty. Manchester: Institute for Development Policy and Management, 2002. (Chronic Poverty Research Center – Working Paper n. 16).

LEFEBVRE, H. La revolución urbana. Madri: Alianza, 1972.

MARIA, P. F. Diferenciais sociodemográficos e espaciais da pobreza no estado de São Paulo (1991-2015). Tese (Doutorado em Demografia). Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2018.

______. Família e pobreza: arranjos no pós-Real (1995-2014). Dissertação (Mestrado em Demografia). Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2016.

MARICATO, E. Para entender a crise urbana. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

MARTINE, G. A globalização inacabada: migrações internacionais e pobreza no século 21. São Paulo em Perspectiva, v. 19, n. 3, 2005. p. 3-22.

______. A redistribuição espacial da população brasileira durante a década de 80. Brasília: Ipea, 1994a. 46p. (Texto para Discussão n. 329).

______. Estado, economia e mobilidade geográfica: retrospectiva e perspectivas para o fim do século. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 11, n. 1, 1994b. p. 41-60.

MARTINE, G.; CAMARGO, L. Crescimento e distribuição da população brasileira: tendências recentes. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 1, n. 1/2, p. 99-143. 1984.

MARTINE, G. et al. A urbanização no Brasil: retrospectiva, componentes e perspectivas In: Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 6, 1988, Belo Horizonte. Anais… Campinas: Abep, 1988.

MATOS, R. Questões teóricas acerca dos processos de concentração e desconcentração da população no espaço. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 12, n. 1/2, 1995. p. 35-58.

MONTE-MÓR, R. L. M. Urbanização extensiva e novas fronteiras urbanas no Brasil. In: NETO, E. R.; BÓGUS, C. M. (Orgs.) Saúde nos grandes aglomerados urbanos: uma visão integrada. Série Técnica Projeto de Desenvolvimento de Sistemas e Serviços de Saúde, v. 3. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2003. p. 79-96.

______. Urbanização extensiva e lógicas de povoamento: um olhar ambiental. In: SANTOS, M.; SOUZA, M. A. A.; SILVEIRA, M. L. (Orgs.) Território: globalização e fragmentação. 4. ed. São Paulo: Hucitec/Anpur, 1998. p. 169-81.

NADALIN, V.; IGLIORI, D. Espraiamento urbano e periferização da pobreza na região metropolitana de São Paulo: evidências empíricas. EURE, v. 41, n. 124, p. 91-111. 2015.

PACHECO, C. A.; PATARRA, N. Movimentos migratórios nos anos 80: novos padrões? In: Encontro Nacional sobre Migrações, 1, 1997, Curitiba. Anais… Belo Horizonte: Abep, 1997.

PATARRA, N. L. Migrações internacionais: teorias, políticas e movimentos sociais. Estudos Avançados, v. 20, n. 57, 2006. p. 7-24.

PRETECEILLE, E. Cidades globais e segmentação social. In: QUEIROZ RIBEIRO, L. C.; SANTOS Jr., O. (Org.) Globalização, fragmentação e reforma urbana: o futuro das cidades na crise. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1994. p. 65-92.

RAMOS, L. Poverty in Brazil in the 80s. Rio de Janeiro: Ipea, 1994. (Texto para Discussão n. 361).

RIBEIRO, M. G. Estrutura social e desigualdade de renda: uma comparação entre os municípios metropolitanos e os não metropolitanos do Brasil entre 2000 e 2010. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 33, n. 2, p. 237-56. 2016.

RIGOTTI, J. I. R. Reflexões sobre as tendências da redistribuição espacial da população no Brasil, à luz dos últimos resultados do Censo Demográfico 2010. Ciência & Cultura, v. 64, n. 4, p. 54-57. 2012.

______. A (re)distribuição espacial da população brasileira e possíveis impactos sobre a metropolização. In: Encontro Anual da Anpocs, 32, 2008, Caxambu. Anais… São Paulo: Anpocs, 2008.

ROCHA, S. Pobreza no Brasil: a evolução de longo prazo (1970-2011). Rio de Janeiro: Inae, 2013. 52p. (Estudos e Pesquisas n. 492).

______. Pobreza no Brasil: afinal, de que se trata? 3. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

______. Pobreza e desigualdade no Brasil: o esgotamento dos efeitos distributivos do Plano Real. Rio de Janeiro: Ipea, 2000. (Texto para Discussão n. 721).

______. Renda e pobreza: os impactos do Plano Real. Rio de Janeiro: Ipea, 1996. (Texto para Discussão n. 439).

______. Governabilidade e pobreza: o desafio dos números. Rio de Janeiro: Ipea, 1995. (Texto para Discussão n. 368).

ROCHA, S.; ALBUQUERQUE, R. C. Geografia da pobreza extrema e vulnerabilidade à fome. Rio de Janeiro: Inae. 2003. (Estudos e Pesquisas n. 54).

RODRIGUES, F. Os novos desafios da urbanização brasileira: uma avaliação do direito à cidade na década de 2000. Revista Latinoamericana de Población, v. 5, n. 8, p. 141-58. 2011.

______. Cidades e plano diretor: considerações sobre a função social da cidade e da propriedade. In: BAENINGER, R. (Org.) População e cidades: subsídios para o planejamento e para as políticas sociais. Campinas: Nepo-Unicamp/UNFPA, 2010. p. 117-36.

SASSEN, S. The global city: New York, London, Tokio. Princeton: Princeton Univ. Press, 1991.

SAWYER, D. R. Fluxo e refluxo da fronteira agrícola no Brasil: ensaio de interpretação estrutural e espacial. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 1, n. 1/2, p. 3-34. 1984.

SIDDIQUI, T. Impact of migration on poverty and development. Brighton: University of Sussex, 2012. (“Migrating out of Poverty” Research Programme Consortium – Working Paper 2).

SINGER, P. Economia política da urbanização. São Paulo: Contexto, 2008.

______. Crescimento econômico e distribuição espacial da população. Revista de Economia Política, v. 2, n. 3, p. 31-52. 1982.

SOARES, S. S. Metodologias para estabelecer a linha de pobreza: objetivas, subjetivas, relativas, multidimensionais. Brasília: Ipea, 2009. (Texto para Discussão n. 1381)

TASCHNER, S. P.; BÓGUS, L. M. M. São Paulo: o caleidoscópio urbano. São Paulo em Perspectiva, v. 15, n. 1, p. 31-44. 2001.

TODARO, M. P. A migração da mão de obra e o desemprego urbano em países subdesenvolvidos. In: MOURA, H. (Org.). Migração interna: textos selecionados. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil S.A, 1980. p. 151-71.

WAJNMAN, S. Demografia das famílias e dos domicílios brasileiros. Tese (Professor Titular). Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2012.

Publicado
2019-07-19