Hierarquias regionais no agronegócio canavieiro: movimento da fronteira e centralidade de São Paulo | Regional hierarchies in sugarcane agribusiness: border movement and centrality of São Paulo

Palavras-chave: Setor Sucroenergético, Desenvolvimento Regional, Novas Desigualdades Regionais, Produção de Conhecimento, Centros de Decisões.

Resumo

O artigo tem como ponto de partida um diálogo com análises que discutem o movimento da fronteira do setor sucroenergético e sua influência no desenvolvimento urbano e regional no interior do território nacional. O argumento é que, apesar da maior dispersão da atividade produtiva, novas desigualdades persistem nesse setor, devido aos centros de decisões e à produção do conhecimento útil ao processo de inovação, localizados essencialmente no Estado de São Paulo. A metodologia desenvolvida se fundamenta em análises quantitativas e qualitativas. No estudo dos centros de decisão, foram utilizados dados da localização das sedes e das unidades agroindustriais. No estudo da centralização do conhecimento, foi feito um exame histórico de como evoluíram o aprendizado e as técnicas associadas ao setor canavieiro em São Paulo. Do ponto de vista teórico, o artigo busca contribuir para o estudo de como forças de diferenciação geográfica atuam em um mesmo setor produtivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Mesquita, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, Brasil

Geógrafo, Mestre e Doutor em Geografia pela Unicamp. Pós-Doutorando no Departamento de Política Científica e Tecnológica pela Unicamp. Bolsista PNPD pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Ricardo Castillo, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, Brasil
Geógrafo, Mestre e Doutor em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo. Docente do Departamento de Geografia na Universidade Estadual de Campinas.
Ivette Luna, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, Brasil

Docente no Instituto de Economia na Unicamp, graduada em Engenharia Mecatrônica, Mestre e Doutora em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual de Campinas, com Pós-doutorado na Scuola superiore di studi universitari e di perfezionamento S. Anna di Pisa.

Henrique Faria dos Santos, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, Brasil

Geógrafo, mestre pela Universidade Estadual de Campinas e doutorando na mesma instituição. Bolsista pela Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo.

Referências

ALBUQUERQUE, R. H. DE; ORTEGA, A. C.; REYDON, B. P. O setor público de pesquisa agrícola no Estado de São Paulo. Cadernos de Difusão de Tecnologia, v. 3, n. 2, p. 243–296, jan./abr. 1986.

ALBUQUERQUE, E.; SUZIGAN, W.; KRUSS, G.; LEE, K. Developing National Systems of Innovation: University-Industry Interactions in the Global South. Cheltenham, UK, Northampton, MA, USA: Edward Elgar Publishing, 2015.

BALLAND, P. A.; RIGBY, D. The Geography of Complex Knowledge. Economic Geography, v. 93, n. 1, p. 1–23, jul. 2017.

BELIK, W. A tecnologia em um setor controlado: o caso da agroindústria canavieira em São Paulo. Cadernos de Difusão de Tecnologia, jan./abr. 1985.

BENETTI, M. D. A internacionalização recente da indústria de etanol brasileira. Indicadores Econômicos FEE, v. 36, n. 4, p. 1–12, s.d. 2009.

BENKO, G.; PECQUEUR, B. Os recursos de territórios e os territórios de recursos. Geosul, v. 16, n. 32, p. 31–50, jul./dez. 2001.

BERNARDES, J. A.; ARRUZZO, R. C. Expansão do setor sucroenergético e a história dos lugares: a questão territorial dos Guarani e Kaiowá em Mato Grosso do Sul. Revista da Anpege, p.5-33, V.12, n.17, jan./jul.2016

BRANDÃO, C. A. O processo de subdesenvolvimento, as desigualdades espaciais e o “Jogo das Escalas”. Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia, p. 9–37, 2004.

BRANDÃO, C. A. Território e Desenvolvimento: as múltiplas escalas entre o local e o global. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

BRINKMAN, L. J. M.; CUNHA, M. P.; HEIJNEN, S.; WICKE, B.; GUILHOTO, J. J. M.; WALTER, A.; FAAIJ, A.; HILS. Interregional assessment of socio-economic effects of sugarcane ethanol production in Brazil. Renewable and sustainable energy reviews, n. 88, p. 347-362, 2018.

CALDARELLI, C. E.; MORAES, M. A. F. D.; PASCHOALINO, P. A. Sugarcane industry effects on the GDP per capita in the Center-South region of Brazil. Revista de Economia e Agronegócio - REA, v. 15, n. 2, p. 183–200, Set. 2017.

CAMELINI, J. H.; CASTILLO, R. Etanol e uso corporativo do território. Mercator, v. 11, n. 25, p.7-18, mai./ago. 2012.

CARR, N. IT Doesn’t Matter. Harvard Business Review, Mai. 2003.

CASTILLO, R. Dinâmicas recentes do setor sucroenergético no Brasil: Competitividade regional e expansão para o bioma Cerrado. GEOgraphia, v. 17, n. 35, p. 95–119, s.d. 2015.

DINIZ, C. C.; CAMPOLINA, B. A região metropolitana de São Paulo: Reestruturação, re-espacialização e novas funções. Eure, v. 33, n. 98, p. 27–43, 2007.

DINIZ, C. C.; GONÇALVES, E. Economia do conhecimento e desenvolvimento regional no Brasil. In: DINIZ, C. C.; LEMOS, M. B. Economia e território. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2005. p. 131–170.

DINIZ, C. C.; VIEIRA, D. J. Brazil: accelerated metropolization and urban crisis. Area Development and Policy, v. 1, n. 2, p. 155–177, jun. 2016.

EGLER, C. A. G.; MENDES, C. C.; FURTADO, B. A.; PEREIRA, R. H. M. Bases conceituais da rede urbana brasileira: análise dos estudos de referência. In: PEREIRA, R. H. M.; FURTADO, B. A. Dinâmica urbano-regional: rede urbana e suas interfaces. Brasília: IPEA, 2011.

ELIAS, D. Agronegócio e novas regionalizações no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 13, n. 2, p. 153–167, mai. 2011.

ELIAS, D. A cidade e o campo: ambiente e sociedade. In: SPOSITO, E. S. (Coord.). A diversidade da geografia brasileira: escalas e dimensões da análise e da ação. Rio de Janeiro: Consequência, 2016. p. 211–232.

FERNANDES, A. C. Sistema territorial de inovação ou uma dimensão de análise na Geografia contemporânea. In: SPOSITO, E. S. (Coord.). A diversidade da geografia brasileira: escalas e dimensões da análise e da ação. Rio de Janeiro: Consequência, 2016. p. 113–142.

FREEMAN, C. Japan: A New National System of Innovation. In: DOSI, G. (Coord.). Technical change and economic theory. London: Pinter Publishers, 1988. p. 330–347.

FURTADO, A. T.; SCANDIFFIO, M. I. G.; CORTEZ, L. A. B. The Brazilian sugarcane innovation system. Energy Policy, v. 39, n. 1, p. 156–166, jan. 2011.

FURTADO, C. Criatividade e dependência na civilização industrial. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2008.

FURTADO, C. Brasil: a construção interrompida. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

GARCIA, R.; DIEGUES, A. C.; ROSELINO, J. E.; COSTO, A. R. Desenvolvimento local e desconcentração industrial: uma análise da dinâmica do sistema local de empresas de eletrônica de Santa Rita do Sapucaí e suas implicações de políticas. Nova Economia, v. 25, n. 1, p. 105–122, jan./abr. 2015.

HASEGAWA, M. Avaliação das capacitações e dos spinoffs gerados por programas de P&D: O programa cana do IAC. 118 f. Dissertação (Mestrado em Política Científica e Tecnológica) - Instituto de Geociências, Unicamp, Campinas, 2005.

INFOCANA. Usinas/Grupos. Disponível em: <https://www.infocana.com.br/>. Acesso em: 1 abr. 2018.

JACKSON, M. O. Social and economic networks. Princenton, Oxford: Princeton University Press, 2008.

LENCIONI, S. Concentração e centralização das atividades urbanas: uma perspectiva multiescalar. Reflexões a partir do caso de São Paulo. Revista de geografia Norte Grande. n. 1, v. 20, p. 7–20, mai. 2008.

LOPEZ, A.; LUGONES, G. Los sistemas locales en el escenario de la globalización. In: CASSIOLATO, J. E.; LASTRES, H. M. M. Globalização e Inovação Localizada: Experiências De Sistemas Locais No Mercosul. São Paulo: IBIC, 1999, p. 72-109.

LUNDVALL, B.-A. National Systems of Innovation: Toward a Theory of Innovation and Interactive Learning. London: Anthem Press, 1992.

MENDONÇA, M. L.; PITTA, F. T.; XAVIER, C.V. A agroindústria canavieira e a crise econômica mundial. Relatório da Rede Social de Justiça e Direitos Humanos. São Paulo: Outras Expressões, 2012

MESQUITA, F. C. Evolução da agricultura e transformações da técnica e das relações territoriais no cerrado goiano: a dimensão endógena da expansão da agroindústria canavieira. 257 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Instituto de Geociências, Unicamp, Campinas, 2015.

MESQUITA, F. C. Evolução do aprendizado na expansão da cana-de-açúcar para Goiás: o papel dos centros de pesquisa. Campo e Território: Revista de Geografia Agrária, v. 22, 2016.

MF. (Ministério da Fazenda) Emissão de Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral. Disponível em <https://goo.gl/AeWC41>. Acesso em: 1 abr. 2018.

MORAES, M. A. F.; OLIVEIRA, F. C. R.; DIAZ-CHAVEZ, R. A. Socio-economic impacts of Brazilian sugarcane industry. Environmental Development, v. 16, p. 31–43, dez. 2015.

MOURA, R.; WERNECK, D. Z. Rede, hierarquia e região de influência das cidades: um foco sobre a região Sul. Revista Paranaense de Desenvolvimento, n. 100, p. 27-57, 2001.

NEGRI, B. Estudo de caso da indústria nacional de equipamentos: Análise do Grupo Dedini (1920-1975). Piracicaba, SP: Instituto histórico e geográfico de Piracicaba, 2000.

OLIVEIRA, A. M. S. Reordenamento territorial e produtivo do agronegócio canavieiro no Brasil e os desdobramentos para o trabalho. 597 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Faculdade de Ciência e Tecnologia, UNESP, Presidente Prudente, 2009.

PACHECO, C. A. Fragmentação da Nação. Campinas: Editora da Unicamp, 1998.

PAULILLO, L. F. Redes de Poder e Territórios Produtivos. São Carlos: Ed. UFSCAr, 2000.

PIETRAFESA, J. P.; PIETRAFESA, P. A. International Capital and New Frontiers of Biofuel Production in Brazilian Midwest. Ateliê Geográfico, v. 10, n. 1, p. 7–27, abr. 2016.

PIETRAFESA, J. P.; SAUER, S. A nova dinâmica na velha fronteira. Terceira marcha da ocupação no Cerrado. Revista FUNADESP, v. 5, n. 5, p. 139–160, s.d. 2012.

PROCANA. Anuário da Cana. Ribeirão Preto: Procana, 2008.

PROCANA. Anuário da Cana. Ribeirão Preto: Procana, 2016.

RAMOS, P. A evolução da agroindústria canavieira paulista no período 1946-1980: expansionismo agrário e características da estrutura de produção. Informações Econômicas, v. 31, n. 8, p. 14–32, ago. 2001.

SAMPAIO, M. DE A. P. 360° - O périplo do açúcar em direção à macrorregião canavieira do Centro-Sul do Brasil. 881 f. Tese (Doutorado em Geografia Humana) - FFLCH, USP, São Paulo, 2014.

SANTOS, H. F. Competitividade regional do setor sucroenergético na mesorregião Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba: agricultura científica globalizada e implicações socioambientais no município de Uberaba. 286 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Instituto de Geociências, Unicamp, Campinas, 2017.

SANTOS, M. Sociedade e espaço: a formação social como teoria e como método. Boletim Paulista de Geografia, v. 1, n. 9, p. 81–100, jun. 1977.

SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.

SANTOS, M. A urbanização brasileira. São Paulo: EdUSP, 2005.

SANTOS, M. Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo: Editora da EdUSP, 2008.

SANTOS, M. Por Uma Outra Globalização. Rio de Janeiro: Record, 2010.

SAUER, S.; PIETRAFESA, J. P. Cana-de-açúcar, financiamento público e produção de alimentos no Cerrado. Campo-Território: Revista de Geografia Agrária, v. 7, n. 14, p. 1–29, ago. 2012.

SELINGARDI-SAMPAIO, S. Indústria e território em São Paulo: a estruturação do multicomplexo industrial paulista. Campinas: Alínea, 2009.

SZMRECSANYI, T; GONÇALVES, D. B. Efeitos socioeconômicos e ambientais da expansão da lavoura canavieira no Brasil. In: LASA 2009 XXVIII International Congress of the Latin American Studies Association, 28, 2009, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro: LASA, 2009.

SMITH, N. Desenvolvimento desigual: natureza, capital e produção do espaço. Rio de Janeiro: Bertrand, 1988.

SPÍNDOLA, F. D.; LIMA, J. P. R.; FERNANDES, A. C. Interação Universidade-Empresa: o caso do setor sucroalcooleiro de Pernambuco. Economia e Sociedade, v. 1, n. 53, p. 121–149, abr. 2015.

SPOSITO, E. S. O novo mapa da indústria no início do século XXI: diferentes paradigmas para a leitura das dinâmicas territoriais do Estado de São Paulo. São Paulo: Editora da UNESP, 2015.

STORPER, M. The Regional World: Territorial Development in a Global Economy. Nova Iorque e Londres: Guilford Press, 1997.

STORPER, M. Keys to the City: How Economics, Institutions, Social Interaction, and Politics Shape Development. Princeton e Oxford: Princeton University Press, 2013.

STORPER, M.; VENABLES, A. J. Buzz: Face-to-face contact and the urban economy. Journal of Economic Geography, v. 4, n. 4, p. 351–370, Ago. 2004.

VARRICHIO, P. C. Uma análise dos condicionantes e oportunidades em cadeias produtivas baseadas em recursos naturais: o caso do setor sucroalcooleiro no Brasil. 271 f. Tese (Doutorado em Política Científica e Tecnológica) Instituto de Geociências, Unicamp, Campinas, 2012.

WALKER, R.; STORPER, M. The Capitalist Imperative: Territory, Technology and Industrial Growth. Orxford: Basil Blackwel, 1991.

WESZ JUNIOR, V. J. Dinâmicas e estratégias das agroindústrias de soja no Brasil. Rio de Janeiro: e-papers, 2011.

UNICA (União da Indústria de Cana-de-açúcar). Histórico de produção e moagem por produto. Disponível em <https://goo.gl/X2CjV0>. Acesso em: 23 de março de 2017.

UDOP (União dos produtores e bioenergia). Relatórios diversos. Disponível em <http://www.udop.com.br/index.php>. Acesso em: 05 de abril de 2017.

Publicado
2019-04-11
Seção
Artigos | Articles: Paradigmas tecno-econômicos e reconfiguração territorial