Só para o moço do corpo dourado do sol de Ipanema: distribuição espacial da economia noturna LGBT na cidade do Rio de Janeiro | Only for the boy with the golden body from the Ipanema sun: spatial distribution of LGBT night economy in the city of Rio de Janeiro

Diego Santos Vieira de Jesus

Resumo


O objetivo deste artigo é explicar a desigualdade na distribuição espacial da economia noturna LGBT existente entre as regiões central e sul do Rio de Janeiro e o restante da cidade. O argumento principal é o de que a prefeitura, baseada nos parâmetros excludentes do “capitalismo rosa”, reurbanizou certas zonas, fiscalizou espaços públicos e ações dos empresários e promoveu o combate à LGBTfobia, entretanto, concentrou suas ações nas áreas revitalizadas ou valorizadas da cidade. Por sua vez, o empresariado auxiliou projetos culturais e gerou empregos para profissionais criativos. Com foco no público masculino gay de renda mais alta, ele fez mais investimentos na Zona Sul e no centro da cidade do que em outros locais. Ademais, como será demonstrado, os usuários se tornaram responsáveis pela seleção dos lugares e a organização deles para a vida noturna, vendo regiões do centro e da Zona Sul como espaços simbólicos de reconhecimento mútuo para a proteção e o exercício pleno da sua identidade, em contraste com outras áreas, normalmente associadas ao preconceito e à rejeição.


Palavras-chave


economia noturna; economia LGBT; indústrias criativas; Rio de Janeiro; planejamento urbano

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ALVES, Teresa. Geografia da noite: conhecer, compreender e repensar territórios. Lisboa: Universidade de Lisboa, abr. 2009.

ALMEIDA, Diana; FUMEGA, João; ALVES, Teresa. A noite como produto turístico a integrar no planeamento urbano. Finisterra, v.XLVI, n.92, p.43‑64, 2011.

ANDREATTA, Verena; CHIAVARI, Maria Pace; REGO, Helena. O Rio de Janeiro e a sua orla: história, projetos e identidade carioca. Coleção Estudos Cariocas, n.9, p.1-16, dez.2009.

BALDWIN, Peter. In the Watches of the Night: life in the nocturnal city, 1820-1930. Chicago: University of Chicago Press, 2012.

BARRETO, Rafael Chaves Vasconcelos. Geografia da diversidade: breve análise das territorialidades homossexuais no Rio de Janeiro. Revista Latinoamericana de Geografia e Gênero, v.1, n.1, p.14-20, jan./jul.2010.

BAVINTON, Nathaniel. Putting leisure to work: city image and representations of nightlife. Journal of Policy Research in Tourism, Leisure and Events, v.2, n.3, p.236-250, 2010. https://doi.org/10.1080/19407963.2010.512206

BENDASSOLLI, Pedro F.; WOOD JR., Thomaz. O paradoxo de Mozart: carreiras nas indústrias criativas. Organizações & Sociedade, v.17, n.53, p.259-277, abr./jun. 2010.

BENNETT, A. Case study methods: design, use, and comparative advantages. In: SPRINZ, D. F.; WOLINSKY-NAHMIAS, Y. (Ed.) Models, numbers, and cases: methods for studying International Relations. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 2004. p. 19-55.

BRANCHIK, B. J. Out in the Market: A History of the Gay Market Segment in the United States. Journal of Macromarketing, v. 22, n. 1, p. 86-97, 2002. https://doi.org/10.1177/027467022001008

BROWN, G. Pensando Além da Homonormatividade: Explorações Performativas de Economias Gays Diversificadas. Revista Latino-americana de Geografia e Gênero, v. 4, n. 1, p.125-138, jan./jul. 2013. https://doi.org/10.5212/rlagg.v.4.i1.3045

BUREAU, Luc. Géographie de la nuit. Montreal: l´Hexagone, 1997.

CAUQUELIN, Anne. La ville la nuit. Paris: PUF, 1977.

CARRARA, Sérgio; VIANNA, Adriana R. B. Homossexualidade, violência e justiça: a violência letal contra homossexuais no município do Rio de Janeiro. Relatório de pesquisa. IMS/UERJ/Fundação Ford, 2001.

CARVALHO, Maria Luiza. O Corredor Cultural do Rio de Janeiro. Módulo, Arquitetura e Arte, n.77, p.23-29, 1983.

CEDS. Coordenadoria. CEDS website, s.d. Disponível em: http://www.cedsrio.com.br/site/coordenadoria . Acesso em: 20 jul. 2016.

CEDS. Rio Sensation. CEDS website, 2011. Disponível em: http://www.cedsrio.com.br/site/campanhas/rio-sensation . Acesso em: 20 jul. 2016.

CEDS. Campanha capitaneada pela Prefeitura do Rio marcará maior ação de prevenção no país no Dia Mundial de Luta Contra a AIDS. CEDS website, nov. 2015. Disponível em: http://www.cedsrio.com.br/site/noticias/2015-11/campanha-capitaneada-pela-prefeitura-do-rio-marcara-maior-acao-de-prevencao-no-pais . Acesso em: 20 jul. 2015.

COSTA, Mariana. Censo 2010: renda dos bairros ricos do Rio é 10 vezes maior que a dos mais pobres. R7, 18 nov. 2011. Disponível em: http://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/noticias/censo-2010-renda-dos-bairros-ricos-do-rio-e-10-vezes-maior-que-a-dos-maispobres-20111118.html . Acesso em: 10 mar. 2017

COVER, Rob. Material/queer theory: Performativity, subjectivity, and affinity-based struggles in the culture of late capitalism. Rethinking Marxism: A Journal of Economics, Culture & Society, v.16, n.3, p.293-310, 2004.

DELEUIL, Jean-Michel. Lyon la nuit, lieux, pratiques et images. Lyon: Transversales Presses Universitaires de Lyon, 1994.

DRUCKER, P. Warped: Gay Normality and Queer Anti-Capitalism. Leiden: Brill, 2015.

ESCOFFIER, Jeffrey. The political economy of the closet: notes towards an economic history of gay and lesbian life before Stonewall. In: GLUCKMAN, Amy; REED, Betsy. Homo Economics: Capitalism, Community, and Lesbian and Gay Life. Nova York: Routledge, 1997, p.123-134.

EVANS, Graeme. Hold back the night: Nuit Blanche and all-night events in capital cities. Current Issues in Tourism, v.15, n.1-2, p.35-49, 2012.

FEIJÓ, Leo. Lapa Sustentável – Economia da Noite. Jalan, 2012. Disponível em: http://www.jalan.com.br/eventos/encontropecriativo/downloadDoc.php?d=download&f=Leo_Feijo_-_LAPA_Cluster_Criativo.pdf . Acesso em: 19 jul. 2016.

FEIJÓ, Leo.; WAGNER, Marcus. Rio Cultura da Noite: uma história da noite carioca. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2014.

FUENTE, Irene Blanco. ¿Y qué pasa con las lesbianas? El País, 2 jul. 2015. Disponível em: http://elpais.com/elpais/2015/07/02/tentaciones/1435839831_340586.html . Acesso em: 20 jul. 2016.

GÓIS, Marcos Paulo Ferreira de. A Gestão da Noite Urbana Carioca: entre discursos sobre ordem urbana e práticas socioeconômicas. Sociedade & Natureza, v.26, n.2, p.221-235, maio-ago. 2014.

GÓIS, Marcos Paulo Ferreira de. Processos espaciais e reconfiguração do lazer noturno na cidade do Rio de Janeiro. Anais do XIV Simpósio Nacional de Geografia Urbana. Fortaleza, 8-12 set. 2015, p.1-20.

GUASCH, Ó. La sociedad rosa. Barcelona: Anagrama, 1991.

GWIAZDZINSKI, Luc. La nuit, dernière frontière de la ville. Paris: Editions de l`Aube, 2005.

HAE, Laam. Gentrification and Politicization of Nightlife in New York City. ACME: An International E-Journal for Critical Geographies, v.11, n.3, p.564-584, 2011.

HANNIGAN, John. Fantasy City: pleasure and profit in the postmodern metropolis. London: Routledge, 1998.

HELMS, Gesa. Towards safe city centres ? Remaking the spaces of an Old-Industrial City. Hampshire: Ashgate, 2008.

HERZOG, Dagmar. Sex after fascism: memory and morality in twentieth-century Germany. Princeton: Princeton University Press, 2007.

HOLLANDS, Robert; CHATTERTON, Paul. Urban Nightscapes: youth cultures, pleasure spaces and corporate power. Londres: Routledge, 2003.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Demográfico 2010, 2010. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=330455&search=rio-de-janeiro|rio-de-janeiro . Acesso em: 10 mar. 2017.

LAURIANO, Carolina. Novo site informa agenda LGBT e recebe denúncias on-line no Rio. G1, 18 maio 2011. Disponível em:

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2011/05/novo-site-informa-agenda-lgbt-e-recebe-denuncias-line-no-rio.html . Acesso em: 27 maio 2016.

LISBOA, Vinícius. Ambiente familiar é o local onde homossexuais mais sofrem agressões. Agência Brasil, 17 maio 2013. Disponível em: http://www.ebc.com.br/noticias/brasil/2013/05/ambiente-familiar-e-o-local-onde-homossexuais-mais-sofrem-agressoes . Acesso em: 28 maio 2016.

LOVATT, Andy; O’CONNOR, Justin. Cities and the Nighttime Economy. Planning Practice and Research, v.10, n.2, p.127-134, 1995.

MEDEIROS, M.; SOUZA, P.; CASTRO, F. O Topo da Distribuição de Renda no Brasil: Primeiras Estimativas com Dados Tributários e Comparação com Pesquisas Domiciliares (2006-2012). Dados: Revista de Ciências Sociais, v. 58, n. 1, p. 7-36, 2015. https://

doi.org/10.1590/00115258201537

MIGUEZ, P. Economia criativa: uma discussão preliminar. In: NUSSBAUMER, G. M. (Org.) Teorias e políticas da cultura: visões multidisciplinares. Salvador: EDUFBA, 2007. p. 95-113.

MISKOLCI, R. Machos e Brothers: uma etnografia sobre o armário em relações homoeróticas masculinas criadas on-line. Revista Estudos Feministas, v. 21, n. 1, p. 301-324, jan./abr.2013. https://doi.org/10.1590/s0104-026x2013000100016

O’CONNOR, Justin. Donner de l’espace public à la nuit. Les cas des centres urbains en Grande-Bretagne. Les Annales de Recherche Urbaine, n.77, p.40-46, 1997.

O’SULLIVAN, Feargus. The 'gaytrification' effect: why gay neighbourhoods are being priced out. The Guardian, 13 jan. 2016. Disponível em: https://www.theguardian.com/cities/2016/jan/13/end-of-gaytrification-cities-lgbt-communities-gentrification-gay-villages . Acesso em: 20 jul. 2016.

OBAOBA. Veja as melhores baladas e festas gays do Rio de Janeiro. ObaOba, 26 fez. 2016. Disponível em: http://www.obaoba.com.br/brasil/magazine/veja-melhores-baladas-e-festas-gls-do-rio-de-janeiro . Acesso em: 20 jul. 2016.

OLIVEIRA, Pâmela. Gays foram responsáveis por 30% da receita do Rio com turismo no carnaval. Veja, 2 abr. 2014. Disponível em: http://veja.abril.com.br/noticia/economia/gays-foram-responsaveis-por-30-da-receita-do-rio-com-turismo-no-carnaval . Acesso em: 27 maio 2016.

OTTER, Chris. The Victorian Eye: a political history of light and vision in Britain, 1800–1910. Chicago: University of Chicago Press, 2008.

PINTO, Susana Helena Dias. Economia Noturna e as Dinâmicas Recentes no Centro Histórico da Cidade do Porto. Dissertação – Mestrado em Economia e Gestão das Cidades. Faculdade de Economia, Universidade do Porto, 2012.

RIO GUIA GAY. Rio Guia Gay website, 2015. Disponível em: https://issuu.com/guiya-editora/docs/rio_guia_gay_-_rio_gay_guide_-_2 . Acesso em: 20 jul. 2016.

RIO SEM HOMOFOBIA. O programa. RSH website, s.d. Disponível em: http://www.riosemhomofobia.rj.gov.br/secao/sobre/o-programa . Acesso em: 28 maio 2016.

ROWE, David; LYNCH, Rob. Work and play in the city: some reflections on the night-time leisure economy of Sydney. Annals of Leisure Research, v.15, n.2, p.132-147, 2012.

SANTOS, Leonardo Soares dos. Os subúrbios do Rio de Janeiro no início do século XX. Mneme – Revista de Humanidades, v.12, n.30, p.257-280, jul./dez.2011.

SANTOS JÚNIOR, Wellington Ramos dos. Considerações sobre o Plano Doxiadis. Revista Geográfica de América Central, n.esp., p.1-17, 2011.

SESI CULTURAL; FIRJAN. Prêmio Noite Rio terá votação popular na edição 2013. Prêmio Noite Rio website, 2013. Disponível em:

http://www.premionoiterio.com.br/2013/RESOURCE/RELEASE_PNR_2013.pdf . Acesso em: 19 jul. 2016.

STERN, Mark J.; SEIFERT, Susan C. From Creative Economy to Creative Society. Creativity & Change, p.1-16, jan, 2008.

TALBOT, Deborah. Regulating the night: race, culture and exclusion in the making of night-time economy. Hampshire: Ashgate, 2007.

VELA, David Román Islas. Zona Rosa como territorio queer. Entre la empresarialidad, el consumo y el crisol de identidades gay. Trabalho de Conclusão de Curso – Licenciatura em Geografia Humana. División de Ciencias Sociales y Humanidades, Universidad Autónoma Metropolitana, 2013.

WOLIFSON, Peta; DROZDZEWSKI, Danielle. Co-opting the Night: The Entrepreneurial Shift and Economic Imperative in NTE Planning. Urban Policy and Research, v.34, n.3, s.p., 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2017v19n2p288

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                               


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia