A cidade: objeto de estudo e experiência vivenciada

  • Maria Stella Bresciani Departamento de História da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo
Palavras-chave: cidade, urbanismo, história, imagens, memória.

Resumo

Estudar a(s) cidade(s) implica estabelecer conexões de tipo variado com a própria experiência de viver em cidades. Conexões objetivas de moradia e trabalho, laços afetivos tecendo espaços nos quais as lembranças compõem um acervo especial, nós intrincados que relacionam expectativas e imagens, idealizadas em grande parte e resistentes à passagem do tempo. O interesse intelectual pelo estudo da(s) cidade(s) procede com certeza de questões colocadas no presente, ainda quando nos fazem retroceder para um momento no qual consideramos poder captar um elo significativo que elucide as pouco acolhedoras condições de vida nas cidades contemporâneas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Stella Bresciani, Departamento de História da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo

Referências

AMARAL DE SAMPAIO, M. R. A promoção privada da habitação econômica e a arquitetura moderna. 1930-1974. São Carlos: Fapesp/Rima, 2003.

ANSAY, P. Approches et enjeux de la philosophie de la ville. In: ANSAY, P.; SCHOONBRODT, R. Penser la ville. Choix de textes philosophiques. Bruxelas: AAM, 1989. p.23-51.

ARANTES, O. Urbanismo em fim de linha. In: ARANTES, O. Urbanismo em fim de linha. São Paulo: Edusp, 1998.

ARGAN, G. C. Urbanismo, espaço e ambiente. In: ARGAN, G. C. História da arte como história da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1993a. p.212.

ARGAN, G. C. O espaço visual da cidade. In: ARGAN, G. C. História da arte como história da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1993b. p.225-41.

BENJAMIN, W. Obras Escolhidas II. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987.

BENJAMIN, W. Obras Escolhidas III. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.

BRESCIANI, M. S. Londres e Paris no século XIX. O espetáculo da pobreza. São Paulo: Brasiliense, 1982.

BRESCIANI, M. S. As faces do monstro urbano. As cidades no século XIX. São Paulo, Revista Brasileira de História, n.8-9, 1985.

BRESCIANI, M. S. Imagens de São Paulo. Estética e cidadania. In: BRESCIANI, M. S. Encontros com a História. Percursos históricos e historiográficos de São Paulo. São Paulo: Ed.Unesp/Fapesp/Anpuh-SP, 1999.

BURKE, E. Uma investigação filosófica sobre a origem de nossas idéias do sublime e do belo. Campinas: Papirus/Ed. Unicamp, 1993. (Trad. da edição crítica de James T. Boulton, 4.ed. Londres: University of Notre Dame Press, 1986.

CAMPOS, C. M. Os rumos da cidade. Urbanismo e modernização em São Paulo. São Paulo: Ed.Senac, 2003.

CAUQUELIN, A. Essai de Philosophie Urbaine. Paris: PUF, 1982.

FERNANDES, A. Consenso sobre a cidade? In: BRESCIANI, S. (Org.) As palavras da cidade. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2001. p.317-28.

FREUD, S. Malaise dans la Civilisation. Paris: PUF, 1979. p.5ss.

GHIEUX, A. Entrées sur la scène. Paris, Cahiers du CCI – Urbanisme, la ville entre image e projet, n.5, 1998.

HARVEY, D. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

ROLNIK, R. A cidade e a Lei. Legislação, política urbana e territórios na cidade de São Paulo. São Paulo: Studio Nobel, 1997.

RYKWERT, J. The Idea of a Town. The Anthropology of Urban Form in Rome, Italy and the Ancient World. Cambridge, Massachusetts, Londres: The MIT Press, 1989. p.23.

RYKWERT, J. The City in the Twenty-First Century. Londres: Weindenfeld & Nicolson, 2000.

SALGUEIRO, H. A. La casaque d’Arlequin. Belo Horizonte, une capitale éclectique au 19e. siècle. Paris: EHESS, 1997.

SEIXAS, J. A. de. Os campos (in)elásticos da memória: reflexões sobre a memória histórica. In:

SEIXAS, A. de; BRESCIANI, S.; BREPOHL (Orgs.) Razão e paixão na política. Brasília: Ed. UnB, 2001

STAËL, G. de. Essai sur les fictions suivi de De l’influence des passions sur le bonheur des individus et des nations. Paris: Ramsay, 1979.

Publicado
2004-11-30
Seção
Artigos