Urbanismo e modernidade: reflexões em torno do Plano Agache para o Rio de Janeiro

  • Fernando Diniz Moreira Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, Pernambuco
Palavras-chave: urbanismo, Rio de Janeiro, Alfred Agache, modernidade, projeto nacional.

Resumo

Enquanto o urbanismo na Europa nasceu no bojo de um processo de modernização e reforma social, no Brasil ele encontrou um país que não era verdadeiramente urbano e industrial. Portanto, teorias européias desenvolvidas em resposta à modernização chegaram ao Brasil antes que a modernização acontecesse. Pode-se argumentar que o urbanismo, assim como fábricas, redes de transportes e arranha-céus, assumiu uma natureza marcadamente simbólica. Este texto reflete sobre estes temas tomando como exemplo o plano de Alfred Agache para o Rio de Janeiro (1928-1930). Um marco na evolução do urbanismo brasileiro, esse plano tinha como objetivo resolver os problemas funcionais do Rio de Janeiro, dar-lhe uma feição de capital e incutir na mente de seus habitantes um ideal de vida moderna, sem descurar de requerimentos funcionais, como zoneamento e tráfego. Além de uma análise do processo de contratação de Agache e de seu relacionamento com as elites locais, a ênfase recairá sobre os grandes espaços urbanos projetados por Agache, a Entrada do Brasil e a Praça do Castello.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Diniz Moreira, Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, Pernambuco

Referências

AGACHE, D. A. Cidade do Rio de Janeiro: remodelação, extensão e embellezamento. Paris: Foyer Brésilien, 1930.

AGACHE, D. A. La grande ville, la ville future. Documents du progress. Julho, p.157-65, 1914.

AGACHE, D. A. La remodelation d’une capitale: aménagement, extension, embellissement. Paris: Societé Cooperative d’Architects, 1932.

AGACHE, D. A.; AUBURTIN, J-M.; REDONT, E. Comment reconstruire nos cités détruites; notions d’urbanisme s’applicant aux villes, bourgs et villages. Paris: A. Colin, 1916.

ALBUQUERQUE FILHO, L.R. A obra do urbanista Agache: sua atuação no Brasil. Revista do Club de Engenharia, 276, p.37-59, Agosto de 1959. “A americanização do Rio de Janeiro”,O Paiz, 20 de Janeiro de 1929.

BARDET, G. Nouvel Urbanisme. Paris: Vincet Fréal, 1948.

BRUANT, C. Donat Alfred Agache: urbanismo, uma sociologia aplicada. Cidade, povo, nação: gênese do urbanismo moderno. (ed.) Luiz Cesar Ribeiro, Robert Pechman, p.167- 202. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1994a.

BRUANT, C. Un architécte à l’école d’energie: Donat Alfred Agache, du voyage à l’engagement colonial. Revue du Monde Musulman et de la Mediterránée, n.73-74, p.99-115, 1994b.

BRUANT, C. Donat-Alfred Agache: l’architecte et le sociologue. Les Études Sociales, Paris, 122, p. 23-65, 1994c.

BURNHAM, D.; BENNETT, E. Plan of Chicago. New York: Princeton Architectural Press, 1993.

CHOAY, F. The Rule and the Model: On the Theory of Architecture and Urbanism. Cambridge: The MIT Press, 1997.

CORTEZ, J. Umgestaltung der Stadt Rio de Janeiro. Der Stadtebau XXIII, p.101-3, January, 1928.

“Como se defende o Sr. Agache da accusação de plagiario. A traição dos archivos”. O Paiz, 2 de dezembro de 1928.

DE GRÖER, E. La circulation et les transports à Rio de Janeiro. Le Maître d’Oeuvre, 4, 33, p.41-8,1929.

“As declarações do Sr. Agache sobre o plano geral da remodelação da cidade”. O Paiz, 7 Novembro, 1928:1.

GAUDIN, J.P. Desseins de villes, “art urbain” et urbanisme. Paris: L’Harmattan, 1991.

GODOY, A. de. A urbs e seus problemas. Rio de Janeiro: Jornal do Commercio, 1943.

GUIMARÃES, F. L’urbanisme au Brésil. Le Maître d’Oeuvre, 4, 33, p.5-6, 1929.

GUIMARÃES, F. O remodelamento do Rio de Janeiro. Notícias Rotárias, 3, 49, p.4-5, 19

HALL, P.. Cities of Tomorrow: An Intellectual History of City Planning in the Twentieth Century. 2nd edition. Oxford/London: Blackwell, 1996.

HENÁRD, E. Études sur les Transformations de Paris (1903-1909). Paris: L’Equerre, Paris, 1982.

“A mais bella cidade do mundo: O que será o Rio de amanhã”. O Paiz, 11 de novembro de 1928.

MORAVÁNSZKY, Á. The Aesthetic of the Mask: the Critical Reception of Wagner’s Moderne Architektur and Architectural Theory in Central Europe” in Otto Wagner: Reflections on the Raiment of Modernity. (Ed.) Harry Mallgrave. Santa Monica: Getty Center, 1993.

MOREIRA, F. Shaping Cities, Building a Nation: Alfred Agache and the Dream of Modern Urbanism in Brazil, 1920-1950. Ph.D. Diss., Philadelphia: University of Pennsylvania, 2004.

OLSEN, D. The City as a Work of Art: London, Paris and Vienna. New Haven: Yale University Press, 1986.

PALANCHON, W. Une conquête de l’effort humain. Le Maître d’Oeuvre, 4, 33, p.13- 40, 1929.

PEREIRA, M. O Pan-Americanismo e seu impacto na institucionalização do urbanismo no Brasil (1920-1950). IV Seminário de História da Cidade e do Urbanismo. (Ed.) Denise Machado. Rio de Janeiro: PROURB, 1996.

PEREIRA, M. The time of the capitals: Rio de Janeiro and São Paulo: words, actors, and plans. Planning Latin America’s Capital Cities, Arturo Almandoz Ed. London: Routledge, 2002.

“O plágio no urbanismo do Sr. Agache”. Revista da Semana, 24 de novembro de 1928.

“O plano Agache para o arruamento da area do Castello”. Correio da Manhã, 28 de julho de 1929.

“A Porta do Brasil: Réplica dos Srs Cortez & Bruhns. Tréplica do Prof. Agache”. O Paiz, 9 de dezembro de 1928.

“O que será a Avenida da Independência do Plano Agache”. Correio da Manhã, 28 de julho de 1929. RAMA, A. The Lettered City. Durham: University of Virginia Press, 1996.

REIS, J. de O. O Rio e seus prefeitos. Rio de Janeiro: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, 1977.

“A Remodelação do Rio: O que o Sr. Agache disse ao Paiz: uma sensacional entrevista sobre os arranha-céus”. O Paiz, 9 de outubro de 1928.

“A remodelação da cidade: Carta do Prefeito ao Presidente do Rotary Club”. O Paiz, 26 de fevereiro de 1928.

“O Rio de Janeiro futuro: O Plano Agache para o arruamento da area do Castello”. Correio da Manhã, 28 de julho de1929.

SAMPAIO, C. Idéias e impressões. Paris: Imprimèrie Puyfourcat Fils et Cie, 1929. SILVA, L.H. A trajetória de Alfred Agache no Brasil. Cidade, povo e nação: Origens do urbanismo moderno no Brasil. (Ed.) Luiz Cesar Ribeiro, Robert Pechman. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996.

STUCKENBRUCK, D. O Plano Agache e o ideário reformista dos anos 20. Rio de Janeiro: FASE/IPPUR, 1996.

TOUGERON, J.C. Donat-Alfred Agache, un architecte urbaniste: un artiste, un scientifique, un philosophe. Cahiers de la Recherche Architecturale, Paris,VIII, p.31-48, 1981.

UNDERWOOD, D. Alfred Agache, French Sociology, and Modern Urbanism in France and Brazil. Journal of the Society of Architectural Historians, 50, n.2, p.130-66, June, 199

Publicado
2007-11-30
Seção
Artigos