O urbanismo e o seu outro: raça, cultura e cidade no Brasil (1920-1945)

  • José Tavares Correia de Lira Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Escola de Engenharia de São Carlos - USP, São Paulo
Palavras-chave: urbanismo, cidade, nação, pensamento social brasileiro, relações raciais, etnicidade, eugenia, culturalismo, regionalismo.

Resumo

Este trabalho explora algumas matrizes do pensamento social brasileiro em sua abordagem da formação do espaço urbano no país, em particular no que concerne às relações raciais, étnicas e culturais nas cidades. Parte da hipótese de que, a partir dos anos 20, o discurso urbanístico encontra na eugenia e no regionalismo bases confiáveis ao realinhamento nacionalista de sua intervenção técnica no espaço e na cultura de cidades complexamente divididas. Tendo em vista a problemática contemporânea das renovações urbanas, examina as questões de segregação social, distribuição no espaço e identificação cultural de grupos étnicos, nacionais e regionais em estudos e trechos de estudos sobre cidades de Oliveira Vianna, Gilberto Freyre, José Mariano Filho, Donald Pierson e Samuel Lowrie.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABREU, M. de A. “Reconstruindo uma história esquecida: origem e expansão das favelas no Rio de Janeiro”. Espaço & Debates, n.37, p.34-46, 1994.

ADORNO, S. F. “A gestão filantrópica da pobreza urbana”. São Paulo em Perspectiva, n.2, p.8-17, abr./jun. 1990.

AMARAL, A. Artes Plásticas na Semana de 22. São Paulo: Perspectiva, 1970.

ANDRADE, C. R. M. de. A Peste e o Plano: o urbanismo sanitarista do engenheiro Saturnino de Brito. 1992. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo.

ARANTES, O. “Do universalismo moderno ao regionalismo pós-crítico”. In: CARDOSO, L. A. F. (Re)Discutindo o modernismo: universalidade e diversidade do movimento moderno em arquitetura e urbanismo no Brasil. Salvador: MAU/UFBA, 1997a.

ARANTES, O. “A Cultura nas novas ‘estratégias’ urbanas”. Conferência pronunciada no Seminário Espaços Públicos e Exclusão Socioespacial. Anais…, São Paulo, FAU/USP, nov. 1998 (Mimeo.)

ARANTES, P. “Providências de um crítico literário na periferia do capitalismo”. In: ARANTES, O., ARANTES, P. Sentido da formação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997b. p.11-66.

ARAUJO, O. E. de. “Enquistamentos étnicos”. Revista do Arquivo Municipal, n.65, mar. 1940.

ARAUJO, R. B. Guerra e Paz: Casa-Grande & Senzala e a obra de Gilberto Freyre nos anos 30. Rio de Janeiro: Editora 34, 1994.

ARIES, P. L’Enfant et la Vie Familiale sous l'Ancien Régime. Paris: Plom, 1960.

AZEVEDO, N. P. Modernismo e regionalismo em Pernambuco. São Paulo: FFLCH/USP, 1983.

BANDEIRA, M. “Urbanistas, cuidado! O Recife é uma cidade magra”. A Provincia, 30/12/1928.

BASTOS, S. P. M. “A habitação popular atual”. In: GRUPO DE AÇÃO SOCIAL, Segunda Semana de Acção Social do Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro, 1937.

BEGUIN, F. “Les Machinèries Anglaises du Confort”. Recherches, 29, p.155-85, dez. 1977.

BENCHIMOL, J. Pereira Passos, um Haussmann tropical. Rio de Janeiro: Prefeitura da Cidade do Rio, 1990.

BOYER, M. C. The City of Collective Memory: its Historical Imagery and Architectural Entertainments. Cambridge, Mass: MIT Press, 1996.

BRESCIANI, M. S. “Forjar a identidade brasileira nos anos 1920-1940”. In: HARDMAN, F. F. Morte e progresso: cultura brasileira como apagamento de rastros. São Paulo: Editora da UNESP, 1998. p.27-62.

CANCLINI, N.G. Imaginarios urbanos. Buenos Aires: EUDEBA, 1997. CANDIDO, A. “Aquele Gilberto”. In: CANCLINI, N.G. Recortes. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

CANCLINI, N.G. “Uma palavra instável”. In: CANCLINI, N.G. Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades, 1995.

CARDOSO, I. R. A Universidade da Comunhão Paulista. São Paulo: Cortez, 1982.

CARDOZO, J. “Prefácio-testemunho dos aspectos socio-culturais”. In: BARROS, S. A década 20 em Pernambuco. Recife: Fundação de Cultura Cidade do Recife, 1985.

CARPINTÉRO, M. V. A construção de um sonho: os engenheiros-arquitetos e a formulação da política habitacional no Brasil. Campinas: Editora da Unicamp, 1997.

CASTELLO, J. A. “Memória e regionalismo”. In: REGO, J. L. do. Menino de engenho. Doidinho, Banguê. Rio de Janeiro: José Olympio. 1960.

CHALHOUB, S. Cidade febril: cortiços e epidemias na corte imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

COHEN, P. “Out of the Melting Pot into the Fire next Time: Imagining the East End as City, Body and Text”. In: WESTWOOD, S., WILLIANS, J. Imagining Cities: scripts, signs, memory. Londres: Routledge, 1997. p.73-85.

CORBIN, A. Le Miasme et la Jonquille. Paris: Aubier Montaigne, 1982.

CORREA, M. As ilusões da liberdade: a Escola Nina Rodrigues e a Antropologia no Brasil. São Paulo: FFLCH/USP, 1982.

COSTA, N. do R. “A questão sanitária e a cidade”. Espaço & Debates, n.22, 1987.

CROSS, M., KEITH, M. (Eds.). Racism, the City and the State. 2.ed. Londres: Routledge, 1995.

D'ANDREA, M. S. Tradição Re(des)coberta: Gilberto Freyre e a literatura regionalista. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

DANTAS, V. “Oswald de Andrade e a Poesia”. Novos Estudos, n.30, jul.1991.

DERRIDA, J. “La mythologie blanche”. In: DERRIDA, J. Marges de la Philosophie. Paris: Minuit, 1972.

DONZELOT, J. La Police des Familles. Paris: Minuit, 1977.

DUMONT, L. “Casta, racismo e estratificação”. Homo Hierarchicus, São Paulo: EDUSP, 1992, p.303-16.

ESTELITA, J. “Fim social do urbanismo”. Urbanismo e Viação, n.2, dez.1938.

FERNANDES, A., GOMES, M. A. (Orgs.). Cidade e História: modernização das cidades brasileiras nos séculos XIX e XX. Salvador: UFBA/ANPUR, 1992.

FIX, M. O Estado e o capital nas margens do Rio Pinheiros: duas intervenções: Faria Lima e Água Espraiada. Trabalho de graduação interdisciplinar, FAU/USP, 1996.

FONSECA, A. M. M. Das raças à família: um debate sobre a construção da nação. Campinas: IFCH/Unicamp, 1992.

FOUCAULT, M. Histoire de la Sexualité. Paris, Gallimard, 1976-1978.

FREIRE, H. “A Formação das Cidades”. Revista do Brasil, v.24, set./dez. 1923.

FREYRE, G. Casa-Grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regimen de economia patriarchal. Rio de Janeiro: Maia & Schmidt, 1933.

FREYRE, G. Guia Pratico, Historico e Sentimental da Cidade do Recife. Recife: Oficinas Graphicas de The Propagandist, 1934.

FREYRE, G. Sobrados e Mucambos. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1936.

FREYRE, G. Mucambos do Nordeste: algumas notas sobre o typo de casa popular mais primitivo do Nordeste do Brasil. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, 1937.

FREYRE, G. “Apologia pro generatione sua”. Região e Tradição. Rio de Janeiro: José Olympio, 1941.

FREYRE, G. Continente e ilha. Rio de Janeiro: Casa do Estudante do Brasil, 1943.

FREYRE, G. Modernidade e modernismo na arte política. São Paulo: Cruzeiro do Sul, 1946.

FREYRE, G. Manifesto Regionalista de 1926. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, 1955. Cadernos de Cultura.

FREYRE, G. “Vida Social no Nordeste: aspectos de um século de transição”. Livro do Nordeste (1925). Recife: Arquivo Público Estadual, 1979.

GANS, H. “Redevelopment of the West End”. In: GANS, H. The Urban Villagers: group and class in the life of italian-americans. Nova York. The Free Press, 1982.

GOMES, M. A. Pelo Pelô: história, cultura e cidade. Salvador: UFBA, 1995.

GONÇALVES, M. A., MAGGIE, Y. “Pessoas fora do lugar: a produção da diferença no Brasil”. In: VILLAS BÔAS, G., GONÇALVES, M. A. (Orgs.). O Brasil na virada do século: o debate dos cientistas sociais, Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1995. p.165-76.

GUTIERREZ, R. Buenos Aires, Evolucion Historica. Bogotá: Escala, 1992.

HALL, P. Cities of Tomorrow. Oxford: Blackwell, 1992.

HESSE, B. “White Governmentality: urbanism, nationalism, racism”. In: WESTWOOD, S., WILLIAMS, J. (Eds.). Imagining Cities: scripts, signs, memory. Londres: Routledge, 1997. p.86-103.

HOBSBAWM, E. Nations and Nationalism since 1780. 2.ed., Cambridge: Cambridge University Press, 1995.

KEITH, M. “Riots as a ‘Social Problem’ in British Cities”. In: HERBERT, D. T., SMITH, D. M. (Eds.). Social Problems and the City: new perspectives. Oxford: Oxford University Press, 1989. p.289-306.

LIMA, N. T., HOCHMAN, G. “Condenado pela raça, absolvido pela medicina: o Brasil descoberto pelo movimento sanitarista da Primeira República”. In: MAIO, M. C., SANTOS, R. V. Raça, ciência e sociedade. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1996. p.23-40.

LIRA, J. T. C. de. “O Germe da Lei Urbana e a Higiene da Casa (e) do Operário”. In: IV Encontro Nacional da ANPUR. Anais… Salvador. 1993. p.505-20.

LIRA, J. T. C. “Técnica sanitária e o traçado da cidade: representações de planta e plano no trabalho do urbanismo em Pernambuco na década de 20”. Pós, n.5, p.69-84. abr. 1995.

LIRA, J. T. C. de. “O Oriente é aqui: a cidade mestiça de Gilberto Freyre”. In: Seminário de História da Cidade de São Paulo. Anais… Rio de Janeiro, 1996.

LIRA, J. T. C. Mocambo e cidade: regionalismo na arquitetura e ordenação do espaço habitado. 1997. Tese (Doutorado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

LIRA, J. T. C. “Mots Cachés: les lieux du Mocambo à Recife”. Genèses, n.33, p.77-106, dec. 1998.

LOPES, M. B. Práticas médico-sanitárias e remodelação urbana na cidade do Rio de Janeiro, 1890-1920. Campinas: IFCH/Unicamp, 1988.

LOPEZ, T. A. P. Mariodeandradiando. São Paulo: Hucitec, 1996.

LOWRIE, S. “O elemento negro na população de São Paulo”. Revista do Arquivo Municipal, v.48, p.27-32, jun. 1938.

LOWRIE, S. “Origem da população da cidade de São Paulo e diferenciações das classes sociais”. Revista do Arquivo Municipal, n.43, p.195-211, jan. 1938.

MARIANO FILHO, J. “A expressão urbanística dos mocambos nordestinos”. Urbanismo e Viação, n.8, abr. 1940.

MARIANO FILHO, J. Debates sobre estética e urbanismo. Rio de Janeiro: s.n., 1943.

MARIANO FILHO, J. A margem do problema arquitetônico nacional. Rio de Janeiro: s.n., 1943.

MARQUES, S. Les Professions de l'Urbanisme au Brésil. 1995. Tese (Doutorado) – EHESS. MARQUES, V. B. A medicalização da raça: médicos, educadores e discurso eugênico. Campinas: Editora da Unicamp, 1994.

MARTÍNEZ-ECHAZÁBAL, L. “O culturalismo dos anos 30 no Brasil e na América Latina: deslocamento retórico ou mudança conceitual”. In: MAIO, M. C., SANTOS, R. V. Raça, ciência e sociedade. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1996.

MELO, M. A. B. C. de. “A ideologia anti-urbana e a modernização da gestão municipal no Brasil: 1900-1960”. In: PADILHA, N. (Org.). Cidade e urbanismo: história, teorias e práticas. Salvador: MAU/UFBA, 1998. p.259-80.

MENDONÇA, M. T. C. “Casas Populares – Cidades Jardins”. Congresso de habilitação. Annaes do Primeiro Congresso de Habitação, São Paulo: Escolas Profissionaes do Lyceu Coração de Jesus, 1931.

MOREIRA, F. D. A construção de uma cidade moderna: Recife, 1909-1926. 1994. Dissertação (Mestrado) – MDU/UFPE.

MURARD, L., ZYLBERMAN, P. “La Cité Eugenique”. Recherches, n.29, p.423-53, dez. 1994.

OLIVEIRA, J. C. de. “Saneamento das cidades”. Boletim de Engenharia, n.6, v.4, p.1309, ago.1930.

PADILHA, N. (Org.). Cidade e urbanismo: história, teorias e práticas. Salvador: UFBA, 1998.

PARK, R. “Introdução à edição norte-americana”. In: PIERSON, D. Brancos e pretos na Bahia; estudo de contacto racial. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1945.

PEREIRA, P. G. “A drenagem superficial do Recife como factor importante para a sua salubridade”. Boletim de Engenharia, n.3, v.3, fev. 1928.

PESAVENTO, S. “Endroits Maudits: la ville de ‘l’autre’dans le sud du Bresil, Porto Alegre, entre la fin du XIXème et le debut du XXème siècle”, comunicação apresentada ao Séminaire International “Les Mots de la Ville” (CNRS/Unesco), Paris, 4 a 6 de dezembro, 1997. (Mimeo.)

PIERSON, D. “Racial and cultural contacts in Brazil: present state of research in this field”. In: BURGIN, M., Handbook of Latin American Studies: 1940, n.6 … Cambridge, Mass: Harvard University Press, 1941.

PIERSON, D. Brancos e pretos na Bahia; estudo de contacto racial. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1945.

RAGO, L. M. Do cabaré ao lar: a utopia da cidade disciplinar. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

REZENDE, A. P. (Des)encantos modernos: histórias da cidade do Recife na década de 20. Recife: Fundarpe, 1997.

RIBEIRO, L. C. Q., PECHMAN, R. (Orgs.). Cidade, povo e nação: gênese do urbanismo moderno. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

ROLNIK, R. A cidade e a lei: legislação, política urbana e territórios na cidade de São Paulo. São Paulo: Studio Nobel/Fapes, 1997.

SAMPAIO, M. R. A., LANNA, A. L. D. “Les Travailleurs dans la Ville: les italiens et les habitants des favelas à São Paulo”, comunicação apresentada ao Séminaire Interna tional “Les Mots de la Ville” (CNRS/Unesco), Paris, 4 a 6 de dezembro, 1997. (Mimeo.)

SANSONE, L. “As relações raciais em Casa-Grande & Senzalarevisitadas à luz do processo de internacionalização e globalização”. In: MAIO, M. C., SANTOS, R. V. Raça, ciência e sociedade. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1996. p.207-17.

SANTOS, L. A. de C. “O pensamento sanitarista na primeira república: uma ideologia de construção da nacionalidade”. Dados, n.2, v. 28, p.193-211, 1995.

SCHWARCZ, L. M. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil, 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SKIDMORE, T. E. Preto no branco: raça e nacionalidade no pensamento brasileiro. 2.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

SOUZA, G. de M. e. “Vanguarda e nacionalismo na década de vinte”. In: SOUZA, G. de M. Exercícios de Leitura. São Paulo: Duas Cidades, 1980. p.249-77.

TORRES, A. O problema nacional brasileiro: introducção a um programa de organização nacional. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1914.

VAZ, L. F. Habitações coletivas no Rio antigo. 1995. Dissertação (Mestrado) – IPPUR/UFRJ.

VAZ, L. F. Uma história da habitação coletiva na cidade do Rio de Janeiro: estudo da modernidade através da moradia. 1994. Tese (Doutorado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

VIANNA, O. Carta ao Sr. Dr. Hilario Freire. In: FREIRE, H., “A Formação das Cidades”. Revista do Brasil, v.24, set.-dez 1923.

VIANNA, O. Evolução do povo brasileiro. 2.ed. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1933a.

VIANNA, O. Populações meridionais do Brasil. 3.ed. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1933b.

VIANNA, O. Raça e assimilação. 2a.ed. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1938.

VIANNA, O. “O valor pragmático do passado”. In: VIANNA, O. O idealismo da constituição. 2a.ed. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1939.

WESTWOOD, S., WILLIAMS, J. (Eds.). Imagining Cities: scripts, signs, memory. Londres: Routledge, 1997.

Publicado
1999-05-31
Seção
Artigos: O melhor do 8º Encontro Nacional da Anpur