O papel das tecnologias de comunicação e informação (TIC) no urbano do século XXI e na emergência dos novos movimentos sociais: reflexões a partir de experiências na Megacidade de São Paulo | The role of the Information and Communication Technologies (ICT) in the urban 21st century and in the emergence of new social movements: reflections on experiences in the São Paulo megacity

  • Juliana Barbosa Zuquer Giaretta Universidade de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Saúde Global e Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil
  • Gabriela Marques Di Giulio Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública, São Paulo, SP, Brasil
Palavras-chave: Movimentos sociais, espaços públicos urbanos, direito à cidade, tecnologias de comunicação e informação, megacidade de São Paulo.

Resumo

A emergência das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) tem alterado os modos de vida e as relações entre os indivíduos no espaço urbano. Experiências registradas no mundo têm mostrado que os indivíduos, ao se organizarem em grupos e trocarem informações em rede, agindo como actantes, experienciam novos movimentos sociais urbanos, difundem práticas de interação colaborativas e criativas e provocam uma participação mais ativa, que busca superar os limites da esfera opinativa e consultiva. Na megacidade de São Paulo, essas iniciativas também ganham repercussão. Neste artigo são analisadas algumas dessas experiências, buscando refletir a respeito de como as TIC têm sido apropriadas na reivindicação do direito à cidade por meio da mobilização de recursos e estratégias de organização e ação dos cidadãos inseridos nesses novos movimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Barbosa Zuquer Giaretta, Universidade de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Saúde Global e Sustentabilidade, São Paulo, SP, Brasil

graduada em Ciências Biológicas pelo Centro Universitário São Camilo; especialista em Saúde Ambiental, mestra em Saúde Pública e doutoranda em Saúde Global e Sustentabilidade pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP).

Gabriela Marques Di Giulio, Universidade de São Paulo, Faculdade de Saúde Pública, São Paulo, SP, Brasil

graduada em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP); mestra em Política Científica e Tecnológica e doutora em Ambiente e Sociedade pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP); professora no Departamento de Saúde Ambiental, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP).

Referências

AKRICH, M.; CALLON, M.; LATOUR, B. Sociologie de la traduction: textes fondateurs. Paris: Ecole dês Mines de Paris, 2006.

ALONSO, A. As teorias dos movimentos sociais: um balanço do debate. Lua Nova,São Paulo, n.76, p. 49-86, 2009.doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-64452009000100003

ANTONUCCI, M.C.; FIORENZA, A. Democraziadalbasso: cittadiniorganizzati a Roma e nel Lazio. Roma: Gangemi, 2016.

ATKINSON, R.; FLINT, J. Accessing hidden and hard-to-reach populations: snowball research strategies. Social Research Update, Guildford, n. 33, 2001. Disponível em: <http://sru.soc.surrey.ac.uk/SRU33.pdf>. Acesso em: 26 jul. 2017.

BARBER, B. Strong democracy: participatory politic for a new age. Berkley: UniversityofCalifornia Press, 1984.

BAUMAN, Z. Babel: entre a incerteza e a esperança. Rio de Janeiro: Zahar, 2016.

BECK, U. La sociedad del riesgo global. Madrid: Siglo XXI España, 2002.

______. A política na sociedade de risco. Revista Ideias, Curitiba, v. 1, n. 1, p. 229-252, 2010. Disponível em: <https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/ideias/article/view/66>. Acesso em: 26 jul. 2017.

BECK, U.; GIDDENS, A.; LASH, S. Réplicas e críticas. In: ______. Modernização reflexiva: política, tradição e estética na ordem social moderna. São Paulo: Unesp, 1996. p. 207-254.

BOURDIEU, P. The forms of capital. In: RICHARDSON, J. (Comp.). Handbook of theory and research for the sociology of education. New York: Greenwood, 1985. p. 241-258.

CARLOS, A.F. A. O espaço urbano: novos escritos sobre a cidade. São Paulo:FFLCH, 2007.

CASTELLS, M. A sociedade em rede: a era da informação, economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

______.Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

______. O poder da comunicação. Paz e Terra: Rio de Janeiro, 2015.

COLDING, J.; BARTHEL, S. The potential of ‘Urban Green Commons’ in the resilience building of cities. EcologicalEconomics,Amsterdam, v. 86, p. 156-166, fev. 2013. doi: https://doi.org/10.1016/j.ecolecon.2012.10.016

DAGNINO, E.; OLIVEIRA, A.J. Para uma outra leitura da disputa pela construção democrática na América Latina. In: DAGNINO, E.; OLIVEIRA, A. J.;PANFICHI, A. (Org.). A disputa pela construção democrática na América Latina.São Paulo: Paz e Terra, 2006. p. 13-96.

DANN, G. E.;HADDOW, N. Just doing business, or doing just business: Google, Microsoft, Yahoo!, and the business of censoring China’s Internet. Journal of Business Ethics, New York,v. 79, n. 3, p. 219-234, maio2008.doi: https://doi.org/10.1007/s10551-007-9373-9

DI FELICE, M. Paisagens pós-urbanas: o fim da experiência urbana e as formas conunicativas do habitar. São Paulo:Annablume, 2009.

______.Net-ativismo e ecologia da ação em contextos reticulares. Contemporanea: Revista de Comunicação e Cultura, Salvador, v. 11, n. 2, p. 267-283, maio/ago. 2013a. Disponívelem: <https://portalseer.ufba.br/index.php/contemporaneaposcom/article/view/8235>. Acesso em: 26 jul. 2017.

______. Ser redes: o formismo digital dos movimentos net-ativistas. MATRIZes, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 49-71, jul./dez. 2013b.doi: http://dx.doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v7i2p49-71

DI FELICE, M.; TORRES, J. C.; YANAZE, L. K. H. Redes digitais e sustentabilidade: as interações com o meio ambiente na era da informação. São Paulo: Annablume, 2012.

DI GIULIO, G.M. et al. Mudanças climáticas, riscos e adaptação na megacidade de São Paulo: sustentabilidade em debate, 2017 (no prelo).

GARRETT, K. Protest in an information society: A review of literature on social movements and new ICTs. Information, Communication and Society, Abingdon, v. 9, n. 2, p. 202-224, 2006.doi: https://doi.org/10.1080/13691180600630773

GAUDIN, J. P. A governança moderna, ontem e hoje: alguns esclarecimentos a partir das políticas públicas francesas. In: Curso de Gestão Urbana das Cidades. 14 a 26 de maio de 2001. Belo Horizonte/MG: EG/FJP, WBI, LILP, ESAF, IPEA.

GIDDENS, A. Risk and responsibility. Modern Law Review, Hoboken,v. 62, n.1, p. 1-10, 1999.doi: https://doi.org/10.1111/1468-2230.00188

______. Sociologia. Porto Alegre: Artmed, 2005.

GOHN, M. G. Movimentos sociais na contemporaneidade. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 16, n. 47, p. 333-361, maio/ago., 2011. doi:http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782011000200005

______. Sociologia dos movimentos sociais. São Paulo: Cortez, 2014.

GUIMARÃES, N.A.; MARTIN, S. (Org.) Competitividade e desenvolvimento:atores e instituições locais. São Paulo: Senac, 2001.

HARVEY, D. The right to the city. New Left Review, London, n. 53, p. 23-40,set./out. 2008. Disponível em: <https://newleftreview.org/II/53/david-harvey-the-right-to-the-city>. Acesso em: 26 jul. 2017.

______.Cidades rebeldes: do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

JAEGER, P.T.; MATTESON, M. E-government and technology acceptance: the implementation of Section 508 guidelines for e-government websites. ElectronicJournalof E-Government, Reading, v. 7, n. 1, p. 87-98, 2009. Disponível em: <http://www.ejeg.com/volume7/issue1/p87>. Acesso em: 26 jul. 2017.

KARAMAGIOLI, E. et al. Environmental democracy via ICT: public participation via ICT towards a sustainable environmental. In: EASTERN EUROPEAN EGOV DAYS, 8., 2010, Praga. Proceedings…Praga, 2010.

LATOUR, B. On actor-network theory: afew clarifications plus more than afewcomplications. SozialeWelt, Berlin, v. 47, p. 369-381, 1996.

LEFEBVRE, H. Da cidade à sociedade urbana. In: ______. A revolução urbana. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999. p. 15-32.

______.Dissolving city, planetary metamorphosis. Environment and Planning D: Society and Space, Thousand Oaks, v. 32, n. 2, p. 203-205, 2014. doi: https://doi.org/10.1068/d3202tra

LEITE, C. São Paulo, megacidade e redesenvolvimento sustentável: uma estratégia propositiva.URBE: Revista Brasileira de Gestão Urbana, São Carlos, v. 2, n. 1, p. 117-126, 2010. Disponível em: <http://www2.pucpr.br/reol/pb/index.php/urbe?dd1=3628&dd99=view&dd98=pb>. Acesso em: 26 jul. 2017.

LEMOS, A.A comunicação das coisas:teoria ator-rede e cibercultura. São Paulo: Annablume, 2013.

LEMOS, A.; LÉVY, P. O futuro da internet: em direção a uma ciberdemocracia planetária. São Paulo: Paulus, 2010.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 2010.

LIRA, J.; FERNANDES, A.C. Editorial. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais,Recife, v. 17, n. 3, p. 7-13,set./dez. 2015. doi: https://doi.org/10.22296/2317-1529.2015v17n3p7

MATIAS, E.F.P. A humanidade contra as cordas: a luta da sociedade global pela sustentabilidade. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

MINAYO, M.C.S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 2004.

MOON, M. J. The evolution of e-government among municipalities: Rhetoric or reality? Public Administration Review, Hoboken, v. 62, n. 4,p. 424-433, 2002.doi: https://doi.org/10.1111/0033-3352.00196

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2001.

MOVIMENTO BOA PRAÇA. Quem somos. s.d. Disponível em: <http://movimentoboapraca.com.br/sobre-nos-2/quem-somos/>. Acesso em: 26 jul. 2017.

OLIVEIRA, R.G.; SANTOS, L.F.P Internet como alternativa para o engajamento cívico: reflexões sobre o caso das ONGs. Animus, Santa Maria, v. 12, n. 23, p. 189-203, 2013.doi: http://dx.doi.org/10.5902/217549773720

ONU-HABITAT. World cities report 2016. Nairobi: UN Habitat, 2016. Disponível em: <http://wcr.unhabitat.org/>. Acesso em: 26 jul. 2017.

PEREIRA, M.A. Internet e mobilização política: os movimentos sociais na era digital. In: ENCONTRO DA COMPOLÍTICA, 4., 2011, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro: UERJ, 2011. p. 1-26. Disponível em: <http://www.compolitica.org/home/wp-content/uploads/2011/03/Marcus-Abilio.pdf>. Acesso em: 26 jul. 2017.

QUAN-HAASE, A.; WELLMAN, B. How does the internet affect social capital. In: HUYSMAN, M.; WULF, V. (Org.). Social capital and information technology. Cambridge: MIT Press, 2004. p. 113-132.

RENN, O. The social arena concept of risk debates. In: KRIMSKY, S. (Ed.). Social theories of risk. Westport: GreenwoodPublishingGroup, 1992. p. 179-196.

SANTAELLA, L.; LEMOS, R. Redes sociais digitais: a cognição conectiva do Twitter. São Paulo: Paulus, 2010.

SANTOS JUNIOR, O.A. Urban common space, heterotopia and the right to the city: reflections on the ideas of Henri Lefebvre and David Harvey. URBE: Revista Brasileira de Gestão Urbana, São Carlos, v. 6, n. 2, p. 146-157, maio/ago. 2014. doi: https://doi.org/10.7213/urbe.06.002.se02

SÃO PAULO (Município). Lei nº 16.212, de 10 de junho de 2015. Dispõe sobre a gestão participativa das praças do município de São Paulo, e dá outras providências. Diário Oficial da Cidade de São Paulo, 11 jun. 2015, p. 1.

SASSEN, S. Espaços urbanos. 2017. Filme (3:54 min). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=ic0uQWcv-E0&app=desktop>. Acesso em: 26 jul. 2017.

SCHERER-WARREN, I. Metodologia de redes no estudo das ações coletivas e movimentos sociais. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 6., 1995, Brasília. Anais… Brasília: ANPUR, 1995. p. 1045-1052.

SETO, K.C.; SÁNCHEZ-RODRÍGUEZ, R.; FRAGKIAS, M. The new geography of contemporary urbanization and the environment. Annual Review of Environment and Resources, Palo Alto, v. 35, p. 167-194, 2010.doi: https://doi.org/10.1146/annurev-environ-100809-125336

SMITH, G.Power beyond the ballot: 57 democratic innovations from around the word. London: Power Inquiry, 2005.

SOUZA, M.L. Mudar a cidade: uma introdução crítica ao planejamento e à gestão urbanos. São Paulo: Bertrand Brasil, 2008.

TILLY, C. From mobilization to revolution. Londres: Addison-Wesley, 1978.

TORRES, J.C. Cyborgracia: entre a gestão digital dos territórios e as redes sociais digitais. In: DI FELICE, M. (Org.). Do público para as redes: a comunicação digital e as novas formas de participação social. São Caetano do Sul: Difusão, 2008. p. 227-285.

VALCOUR, P. M.; HUNTER, L. W.Technology, organizations, and work-life integration. In:KOSSEK. E. E.; LAMBERT, S. J. (Ed.).Work and life integration: organizational, cultural, and individual perspectives. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum, 2005. p. 61-84.

VON WALDENBERG, W. Electronic government and development. European Journal of Development Research, New York, v. 16, n. 2, p. 417-432, 2004.Disponível em: <http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/0957881042000220886>. Acesso em: 26 jul. 2017.

Publicado
2017-11-30
Seção
Artigos