Políticas públicas de preservação do patrimônio histórico no Brasil. Três estudos de caso (1973-2016) | Public policies for the preservation of historical heritage in Brazil. Three case studies (1973-2016)

Palavras-chave: Patrimônio Histórico, Programa Integrado de Reconstrução das Cidades Históricas, Programa Monumenta, Programa de Aceleração do Crescimento − Cidades Históricas.

Resumo

Cada governo federal no Brasil estabeleceu um sentido de preservação do patrimônio histórico nem sempre original. A concepção adotada pelas instituições responsáveis no interior do aparelho de Estado se fez acompanhar por outras defendidas por parte de seus funcionários. A burocracia, mantendo contato com os debates internacionais por meio de livros, periódicos, conferências e congressos, participou da elaboração, muitas vezes conflitante, dos programas e de suas estratégias, isso mediante a implantação de projetos relativos à manutenção da memória histórica e da diversidade cultural, ou pela distribuição de recursos dirigidos a lugares e regiões do território nacional. O presente trabalho analisa a relação entre políticas públicas e território com base na leitura de três programas de preservação do patrimônio implementados pelo governo federal brasileiro entre 1973 e 2016: o Programa Integrado de Reconstrução das Cidades Históricas; o Programa de Preservação do Patrimônio Histórico Urbano (Monumenta) e o Programa de Aceleração do Crescimento - Cidades Históricas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fania Fridman, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional, Rio de Janeiro, RJ
Professora Titular do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro onde coordena o Grupo de Estudos do Território e de História Urbana (GESTHU). Economista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, é mestre em Planejamento Urbano e Regional pela Coordenação de Programas de Pós Graduação em Engenharia (COPPE) da Universidade Federal do Rio de Janeiro e doutora em Economia Política pela Universidade de Paris VIII. Autora dos livros Donos do Rio em nome do Rei (Jorge Zahar Editor) e Paisagem Estrangeira (Casa da Palavra) que recebeu o Prêmio Milton Santos concedido pela ANPUR. Organizou os livros De cidades e territórios (PoD editora) e Cidades do Novo Mundo. Ensaios sobre urbanização e história (editora Garamond). Em conjunto com Mauricio Abreu editou Cidades latino-americanas. Um debate sobre a formação de núcleos urbanos (Casa da Palavra) e com Rogério Haesbaert, publicou Mauricio Abreu. Escritos sobre espaço e história (editora Garamond). Dedica-se às questões relativas à formação dos territórios carioca e fluminense. Tem experiência na área de Planejamento Urbano e Regional, com ênfase em História Urbana.
Ana Paula Silva de Araújo, Universidade Federal Fluminense
Geógrafa, Mestre em Planejamento Urbano e Regional; Doutoranda do Programa de Geografia da Universidade Federal Fluminense
André Barcelos Damasceno Daibert, Universidade Federal de Juiz de Fora
Turismólogo; Doutor em Planejamento Urbano e Regional; Professor Adjunto do Departamento de Turismo da Universidade Federal de Juiz de Fora

Referências

BONDUKI, N. Intervenções urbanas na recuperação de centros históricos. Brasília: Iphan/Programa Monumenta, 2012.

BRASIL. I Plano Nacional de Desenvolvimento. Brasília: s.n., 1971.

______. II Plano Nacional de Desenvolvimento. Brasília: Seplan, 1973.

______. Política Nacional de Turismo (1996-1999). Brasília: s.n., 1996.

______. Plano Nacional de Turismo 2003/2007. Brasília: Ministério do Turismo, 2003. Disponível em: <http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/plano_nacional_turismo_2003_2007.pdf>. Acesso em: 28 jan. 2018.

______. Programa de Aceleração do Crescimento. Brasília: Ministério do Planejamento. 2007. Disponível em: <http://www.pac.gov.br/sobre-o-pac>. Acesso em: 26 jan. 2018.

______. Plano Nacional de Turismo 2007/2010: uma viagem de inclusão. Brasília: Ministério do Turismo, 2007. Disponível em:<http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/plano_nacional_turismo_2007_2010.pdf>. Acesso em: 28 jan. 2018.

______. Plano Nacional de Turismo 2013/2016: o turismo fazendo muito mais pelo Brasil. Brasília: Ministério do Turismo, 2013. Disponível em:<http://www.turismo.gov.br/images/pdf/plano_nacional_2013.pdf>. Acesso em: 28 jan. 2018.

CABRAL, R. A dimensão urbana do patrimônio na Carta de Atenas de 1931: As contribuições da delegação italiana. Vitruvius, 179(04), 2015. Disponível em: <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/15.179/5531>. Acesso em: 27 dez. 2017.

CALABRE, L. Intelectuais e política cultural: o Conselho Federal de Cultura. Intellectus, 2(6), 2006. Disponível em: <http://www.casaruibarbosa.gov.br/dados/DOC/artigos/a-j/FCRB_LiaCalabre_Intelectuais_e_PoliticaCultural.pdf>. Acesso em: 3 jan. 2018.

______. O Conselho Federal de Cultura, 1971-1974. Revista Estudos Históricos, 1(37), 2006. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2254/1393>. Acesso em: 9 jan. 2018.

CARDOSO, F. H. Avança, Brasil: proposta de governo. s.l.: s.n., 1998. Disponível em: <http://www.bvce.org.br/DownloadArquivo.asp?Arquivo=CARDOSO_Avanca_Brasil_Proposta_de_governo.pdf_22_10_2008_17_47_44.pdf>. Acesso em: 7 set. 2017.

Cardoso, V. S.; Goldenstein, M.; Mendes, E. F. A preservação do patrimônio cultural como âncora do desenvolvimento econômico. BNDES Setorial, 1(34), 2009. Disponível em: <https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/bitstream/1408/1603/1/A%20BS%2034%20A%20preserva%C3%A7%C3%A3o%20do%20patrim%C3%B4nio%20cultural%20como%20%C3%A2ncora%20do%20desenvolvimento%20econ%C3%B4mico_P.pdf>. Acesso em: 28 ago. 2017.

Carrión, F. Lugares o flujos centrales: los centros históricos urbanos. (Serie Medio Ambiente y Desarrollo, vol. 29). Santiago: Cepal, 2000. Disponível em: <https://www.google.com/search?client=firefox-b&q=Fernando+Carri%C3%B3n+M.+Cepal>. Acesso em: 7 set 2017.

CASTRIOTA, L.; Araújo, G. M.; Cardozo, K.; Sousa, V. P. PAC Cidades Históricas: oportunidade para a conservação integrada? Lócus, 16(2), 2010.

CHUVA, M.; LAVINAS, L. V. O Programa de Cidades Históricas (PCH) no âmbito das políticas culturais dos anos 1970: cultura, planejamento e nacional desenvolvimentismo. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, 24(1), 2016.

COMITÊ POPULAR DA COPA E OLIMPÍADAS DO RIO DE JANEIRO. Megaeventos e violações dos Direitos Humanos no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: s.n., 2013.

CORRÊA, S. R. M. O Programa de Cidades Históricas (PCH): por uma política integrada de preservação do patrimônio cultural – 1973-1979. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de Brasília, 2012.

______. O Programa de Cidades Históricas. In: Rezende; Grieco; Teixeira; Thompson (Orgs.). Dicionário Iphan de Patrimônio Cultural. Rio de Janeiro, Brasília: Iphan, Copedoc, 2015. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/dicionarioPatrimonioCultural/detalhes/33/programa-de-cidades-historicas-pch>. Acesso em: 28 ago. 2017.

Declaração de Amsterdã. Disponível em: . Acesso em: 28 ago. 2017.

DIOGO, E. O papel do financiamento para a recuperação de imóveis privados no Programa Monumenta. In: Diogo, E. (Org.). Recuperação de imóveis privados em centros históricos. Brasília: Iphan/Programa Monumenta, 2009. Disponível em: . Acesso em: 7 set. 2017.

______. Desafios da continuidade e o aperfeiçoamento necessário. In: Diogo, E. (Org.), op. cit.

FRIDMAN, F. Resenha do livro Urbanismo na Era Vargas: a transformação das cidades brasileiras. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, vol. 15, n. 2, 2013.

GIANECCHINI, A. C. O IPHAN e o Programa Monumenta: lições para a Gestão do Patrimônio Cultural. Trabalho de Conclusão de Curso, Escola Nacional de Administração Pública. Brasília, 2014. Disponível em: <http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/1898>. Acesso em: 7 set. 2017.

HARVEY, D. A condição pós moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

HEREDA, J. F. Recuperação de centros históricos: a experiência da Caixa com o Programa Monumenta. In: Diogo, E. (Org.). Recuperação de imóveis privados em centros históricos. Brasília: Iphan/Programa Monumenta, 2009.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Planos de Ação para Cidades Históricas. Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Social. Construindo o Sistema Nacional de Patrimônio Cultural. Brasília: Iphan, 2009. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Cartilha%20-%20Planos%20de%20A%C3%A7%C3%A3o%20para%20Cidades%20Hist%C3%B3ricas.pdf>. Acesso em: 7 set. 2017.

______. PAC 2 Cidades Históricas. Brasília: Iphan, 2013. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/PAC_2_Cidades_Historicas.pdf>. Acesso em: 25 jan. 2018.

______. PAC Cidades Históricas − formulação e implementação. Brasília: Iphan; Ministério do Planejamento, 2014. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Formula%C3%A7%C3%A3o%20e%20Implementa%C3%A7%C3%A3o.pdf>. Acesso em: 25 jan. 2018.

LEAL, S. F. PAC Cidades Históricas: implicações e repercussões de uma política pública federal de preservação. Dissertação de Mestrado. Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais, 2017. Disponível em: <http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/MMMD-AY7LSD>. Acesso em: 21 jan. 2019.

MAIA, T. A. Políticas culturais e patrimônio histórico: as ações do Conselho Federal de Cultura (1967-1975). Revista Memória em rede, 2(7), 2012. Disponível em: <https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/Memoria/article/view/9491/6270>. Acesso em: 7 jan. 2018.

MEIRA, A. L. G. O patrimônio histórico e artístico no Rio Grande do Sul no século XX: atribuição de valores e critérios de intervenção. Tese de Doutorado, Propur, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2008.

MINISTÉRIO DA CULTURA. Patrimônio, desenvolvimento e cidadania. Brasília: Iphan, 2009. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Cidades%20Hist%C3%B3ricas%20-%20Noticias%201%202009.pdf>. Acesso em: 18 mar. 2016.

ORTIZ, R. Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo: Brasiliense, 1985.

RABELLO, S. Programa Monumenta foi a negação do Iphan. A sociedade em busca de seu direito. 2015. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2017.

REZENDE, M. B.; Grieco, B.; Teixeira, L.; Thompson, A. (Orgs.). Dicionário Iphan de Patrimônio Cultural. Rio de Janeiro, Brasília: Iphan, Copedoc, 2015. Disponível em: <http://portal.iphan.gov.br/dicionarioPatrimonioCultural/detalhes/53/fundacao-nacional-pro-memoria-1979-1990>. Acesso em: 23 dez. 2017.

RODRIGUES, M. Preservar e consumir: o Patrimônio Histórico e o Turismo. In: Funari, P. P.; Pinsky, J. (Orgs.). Turismo e Patrimônio Cultural. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2002.

ROJAS, E. El sector privado en la conservación de centros históricos: lecciones de los três casos analizados. In: Centros Históricos de América Latina y el Caribe. Paris; Nova York; Quito: Unesco; BID; Ministério da Cultura da França; Flacso, 2001. Disponível em: <http://www.flacsoandes.edu.ec/libros/digital/44661.pdf>. Acesso em: 16 jan. 2018.

SANCHO, A. Turismo: alternativa efetiva de inclusão social? Uma reflexão sobre as políticas públicas de turismo no Brasil. Dissertação de Mestrado, Eicos, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2007.

SANSOLO, D. G.; Cruz, R. C. A. Plano Nacional do Turismo: uma análise crítica. Caderno Virtual de Turismo, 3(4), 2003. Disponível em: <http://www.ivt.coppe.ufrj.br/caderno/index.php/caderno/article/view/39>. Acesso em: 16 jan. 2018.

SANT’ANNA, M. A cidade-patrimônio no Brasil: lições do passado e desafios contemporâneos. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, vol. 35, 2017.

______. Política urbana e patrimônio: monumento, documento e espetáculo. Palestra no Ciclo Patrimônio Cultural Brasileiro: abordagens, desafios, políticos da Academia Brasileira de Letras, outubro de 2018. Disponível em: <http://www.academia.org.br/videos/ciclo-de-conferencias/politica-urbana-e-patrimonio-monumento-documento-e-espetaculo>. Acesso em: 18 out. 2018.

SUCHODOLSKI, S. G.; Gorgulho, L. F. (Orgs.). Preservação do patrimônio cultural brasileiro. Rio de Janeiro: BNDES, 2016.

TANAKA, G. M.; UEMURA, M. M.; SUTTI, W.; DIOGO, E. C. Planejamento Integrado para as Cidades Históricas. In: Anais do XIV Encontro Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional. Disponível em: <http://anpur.org.br/project/anais-do-xiv-ena>. Acesso em: 17 abr. 2015.

VIEIRA FILHO, D.; GUIA, G. A. Desenvolvimento urbano em centros históricos protegidos: do sítio degradado ao lugar de oportunidades. Boletim Regional, Urbano e Ambiental (6), 2011. Disponível em: <http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/5535/1/BRU_n06_desenvolvimento.pdf>. Acesso em: 22 ago. 2017.

ZANCHETI, S. M. A experiência recente de financiamento da revitalização na América Latina. Seminario Financiamento de los Centros Historicos de América Latina y el Caribe. Quito: Flacso, 2006.

______; Lapa, T. Conservação Integrada: evolução conceitual. In: Lacerda, N. Zancheti, S. (Orgs.). Plano de gestão da conservação urbana: conceitos e métodos. Recife: Ceci, 2012.

Publicado
2019-07-19