A cidade contra a favela: a nova ameaça ambiental

Rose Compans

Resumo


Este artigo trata da apropriação do discurso da preservação ambiental para a retomada da discussão sobre remoções de favelas no Rio de Janeiro que haviam sido rechaçadas no processo de redemocratização do país. Depois da favela como foco de epidemias e antro de marginais, a mais nova representação social que vem sendo construída apresenta-a como fator de degradação ambiental. Auxiliada pelo saber técnico-científico que demonstra empiricamente os danos ao meio ambiente causados pelas ocupações irregulares, observa-se a constituição de um movimento conservador que busca pressionar os poderes públicos a reprimi-las, sobretudo nas áreas mais valorizadas da cidade. O presente trabalho se propõe a evidenciar a estratégia discursiva dos principais protagonistas deste movimento, a partir da análise de uma campanha promovida, no ano de 2005, por um importante jornal local, intitulada “Ilegal. E daí?”, e que teve como conseqüência uma ação movida pelo Ministério Público Estadual solicitando à Prefeitura a remoção de 13 áreas favelizadas.

 


Palavras-chave


remoção de favela; ocupação irregular; degradação ambiental.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ABREU, M. A. Evolução Urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: PCRJ, 1987.

ACSELRAD, H. “As Práticas Espaciais e o Campo dos Conflitos Ambientais”. In: ACSELRAD, H. (Org.) Conflitos Ambientais no Brasil. Rio de Janeiro: Relume & Dumará, 2004, p.13-35.

ACSELRAD, H. “Discursos da Sustentabilidade Urbana”. Revista Brasileira de Estudos e Regionais. Anpur, ano 1, nº 1, maio 1999, p.79-90.

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO. Lei Orgânica do Município do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: CMRJ, 1994.

LEEDS, A; LEEDS, E. A Sociologia do Brasil Urbano. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

MARICATO, E. “Metrópole Periférica, Desigualdade Social e Meio Ambiente”. In: VIANA, G.; SILVA, M.; DINIZ, N. O Desafio da Sustentabilidade: um debate socioambiental no Brasil. São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo, 2001, p.215-32.

MARTINS, M. L. F. Moradia e Mananciais: tensão e diálogo na metrópole. São Paulo: FAUSP/FAPESP, 2006.

PERLMAN, J. O Mito da Marginalidade: favelas e política no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO. Plano Diretor Decenal da Cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: PCRJ, 1992.

VALLA, V. Educação e Favela: políticas para as favelas do Rio de Janeiro, 1940-1985.Petrópolis: Editora Vozes, 1986.

VALLADARES, L. A invenção da favela. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2007v9n1p83

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia