Comércio internacional, estrutura produtiva industrial, emprego e renda nas macrorregiões brasileiras (2004 a 2014) | Foreign Trade, Productive Structures, Employment and Income in the Brazilian macroregions (2004-2014)

Soraia Aparecida Cardozo

Resumo


O artigo analisa as relações entre inserção internacional comercial e estruturas produtivas, emprego e renda das cinco macrorregiões brasileiras. Ele mostra como, no período de 2004 a 2014, o espaço econômico nacional se articulou, de forma heterogênea, à inserção comercial brasileira como exportadora de produtos intensivos em recursos naturais. Foram construídos indicadores regionais com base nos seguintes dados:  comércio exterior; estrutura industrial; emprego e renda. Entre as principais conclusões, destacam-se os seguintes aspectos: as macrorregiões aumentaram as exportações de commodities, com maior intensidade nas regiões Norte, Sudeste e Sul; a inserção comercial se relacionou às mudanças nas estruturas de produção regionais, com aumento da participação das atividades intensivas em recursos naturais na composição do PIB; as atividades exportadoras intensivas em recursos naturais apresentaram baixa capacidade de geração de emprego, sendo que este se concentrou, predominantemente, nas faixas de menor remuneração.

 


Palavras-chave


estrutura produtiva regional; comércio internacional; desenvolvimento regional; emprego; desenvolvimento nacional

Referências


ARAÚJO, T. B. de (2013). Tendências do Desenvolvimento Regional Recente no Brasil. In BRANDÃO, C. A. & SIQUEIRA, H. (orgs.). Pacto Federativo, Integração Nacional e Desenvolvimento Regional. São Paulo: Editora Perseu Abramo, 2013. Pp. 39-51

BASTOS, P. P. Z. Austeridade para quem? A crise global do capitalismo neoliberal e as alternativas no Brasil. Texto para Discussão. Campinas: UNICAMP/IE, n°257, 2015.

BRASIL. Secretaria de Comércio Exterior, Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (SECEX/MIDIC). Balança Comercial Brasileira, Unidades da Federação. Disponível em: . Acesso: novembro de 2016.

CANO, W. Novas Determinações Sobre as Questões Regional e Urbana após 1980. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais. v. 13, n. 2, novembro de 2011. Pp. 27-54 http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2011v13n2p27

CARNEIRO, R. Impasses do desenvolvimento brasileiro: a questão produtiva. Texto para Discussão. Campinas: UNICAMP/IE, nº153, 2008.

CARVALHO, D. F.; CARVALHO, A. C. Desindustrialização e reprimarização da economia brasileira contemporânea num contexto de crise financeira global: conceitos e evidências. Revista Economia Ensaios, Uberlândia (MG), 26 (1), p. 35-64, Jul./Dez. 2011. Disponível em: Acesso em: maio em 2017.

CHARNOCK, G.; STAROSTA, G. [Eds]. The New International Division of Labour: Global Transformation and Uneven Development. London: Palgrave Macmillan. (International Political Economy Series). 2016. Kindle.

DELGADO, G. Especialização Primária como limite ao desenvolvimento. Desenvolvimento em Debate. Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, janeiro-abril e maio-agosto, 2010. Disponível em: Acesso em: maio de 2017

DELGADO, G. C. Do capital financeiro na agricultura à economia do agronegócio: mudanças cíclicas em meio século (1965-2012). Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2012.

GONÇALVES, R. Nacional-desenvolvimentismo às Avessas. Anais do I Circuitos de Debate Acadêmico. Brasília: IPEA, 2011.

HARVEY, D. O novo imperialismo. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

HARVEY, D. Seventeen Contradictions and the End of Capitalism. Great Britain: Profile Books Ltd. 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), microdados de 2004 a 2014. https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2015/microdados. Acesso em novembro de 2016.

MACEDO, F. M. Inserção Externa e Território: impactos do comércio exterior na dinâmica regional urbana e regional do Brasil (1989-2008). Campinas: IE-UNICAMP, Tese de Livre Docência, 2010a.

______________. Inserção Comercial externa e dinâmica territorial no Brasil. Redes. Santa Cruz do Sul, v. 15, n. 3, p. 89-114, set./dez., 2010b.

______________. Inserção comercial externa e dinâmica territorial no Brasil: especialização regressiva e desconcentração produtiva regional. Informe Gepec. Toledo, v. 15, n. 1, p. 82-98, jan./jun., 2011.

MAIA, A. G.; SAKAMOTO, C. S. A nova configuração do mercado de trabalho agrícola brasileiro. In: BUAINAIN, A. M.; ALVES, E.; SILVEIRA, J. M.; NAVARRO, Z. [Eds técnicos]. O Mundo Rural no Brasil no Século 21: a formação de um novo padrão agrário e agrícola. Brasília: Embrapa, 2014. 1182p.

MOREIRA, C. A. L.; MAGALHÃES, E. S. Um novo padrão exportador de especialização produtiva? Considerações sobre o caso brasileiro. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política. São Paulo, n. 38, junho de 2014. Disponível em: Acesso em: maio de 2017.

NASCIMENTO, C. A.; CARDOZO, S. A.; CUNHA, S. F.. Reprimarização ou Dependência Estrutural de Commodities: o debate em seu devido lugar. Anais do XIV Encontro Nacional de Economia Política (ENEP), São Paulo, 2009.

PIRES, M. C. O lugar da periferia na nova economia mundial. Cadernos de Estudos Culturais, Campo Grande, MS, v. 4, n. 8, p. 123 – 138, jul./dez. 2012. Disponível em: Acesso em: maio de 2017.

PRATES, D. M. A inserção externa da economia brasileira no governo Lula. In. CARNEIRO, Ricardo (org.). A Supremacia dos Mercados e a Política Econômica do Governo Lula. São Paulo: FAPESP/UNESP, 2005.

PRATES, D. M.; BALTAR, C.; SEQUETTO, M. A inserção externa do Brasil no contexto da crise global. In: NOVAES, L. F.; CAGNIN, R. F.; BIASOTO JUNIOR, G. A economia brasileira no contexto da crise global. São Paulo: FUNDAP, 2014. 283p.

ROCHA, I. L. Desarticulação Produtiva e Dinâmica Estrutural: uma análise da densidade das cadeias produtivas (1995 a 2008). Boletim NEIT. Número 21, janeiro-abril., 2012. Pp. 7-14

SAMPAIO, D. P. Desindustrialização e estruturas regionais no Brasil. Tese de Doutorado. Campinas: Instituto de Economia/Unicamp, 2015.

SARTI, F.; HIRATUKA, C. Desempenho recente da indústria brasileira no contexto de mudanças estruturais domésticas e globais. Texto para Discussão. IE/Unicamp, Campinas, n. 290, abril, 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2018v20n2p401

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia