Favelas no município de São Paulo: estimativas de população para os anos de 1991, 1996 e 2000

Eduardo Marques, Haroldo da Gama Torres, Camila Saraiva

Resumo


Em muitas cidades brasileiras as favelas representam a principal alternativa habitacional para as populações de baixa renda há várias décadas, mas na cidade de São Paulo esta solução habitacional não merecia destaque até os anos 70. A sua importância, entretanto, cresceu muito, recentemente, pela insuficiência das políticas estatais e devido à redução da presença relativa dos loteamentos clandestinos. Se a importância do problema é consensual, o seu tamanho tem sido objeto de debate. Este artigo objetiva rever as estimativas de população favelada em São Paulo. Desenvolvemos uma nova metodologia de baixo custo, potencialmente aplicável em outros contextos urbanos. O método se baseia em sistema de informações geográficas, permitindo estimar a população ao comparar as cartografias da Prefeitura de São Paulo com os setores censitários dos Censos Demográficos (IBGE).

 


Palavras-chave


favelas; estimativas populacionais; políticas de habitação; espaço urbano; São Paulo.

Texto completo:

PDF (PORTUGUÊS)

Referências


ARRIAGADA, C. Pobreza en América Latina: nuevos escenarios e desafíos de políticas para el hábitat urbano. Santiago do Chile: Cepal, 2000. (Série Medio Ambiente de Dessarrollo, n.27.)

BONDUKI, N.; ROLNIK, R. Periferia – ocupação do espaço e reprodução da força de trabalho. São Paulo: FAU – USP/Fundação para a Pesquisa Ambiental, 1979.

CALDEIRA, T.P. City of walls: crime, segregation and citizenship in Sao Paulo. Berkeley: University of California Press, 2000.

DEMERS, M.N. Fundamentals of Geographic Information Systems. Nova York: John Wiley & Sons Inc., 2000.

DIÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO. “Favelas na Cidade de São Paulo”. São Paulo: Imprensa Oficial. Edição especial n.101, 31 de março de 1995.

FARIA, V. “A conjuntura social brasileira: dilemas e perspectivas”. Novos Estudos Cebrap, n.33, 1992.

KAPLAN, R.D. The end of the Earth: a journey at the dawn of the 21st century. Nova York: Random House, 1996.

KOWARICK, L. As lutas sociais: São Paulo passado e presente. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

KOWARICK, L. “Vulnerabilidade sócio-econômica: Estados Unidos, França e Brasil”. Novos Estudos Cebrap, n.63, 2002.

LIVI-BACCI, M.; DE SANTIS, G. Population and poverty in developing countries. Oxford: Oxford University Press/International Studies in Demography, 1998.

MARCONDES, M.J.A. Cidade e natureza: proteção dos mananciais e exclusão social. São Paulo: Studio Nobel, 1999.

MARQUES, E.; NAJAR, A. “Espaço e mortalidade no Rio de Janeiro da década de 1980”. In: VI ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR. Brasília. Anais… Anpur, 1995.

MARICATO, E. Metrópole na periferia do capitalismo: ilegalidade, desigualdade e violência. São Paulo: Hucitec, 1996.

MARTIN, D. Geographic Information Systems: socioeconomic applications. London: Routledge, 1996.

MARTINE, G. Population and environment in the current development scenario. Cambridge: Harvard Center for Population and Development Studies, 1996 (Working Paper Series, n.96.02).

MARTINE, G. “The sustainable use of space: advancing the population/environment agenda”. Paper presented at the CYBER SEMINARS OF THE POPULATION ENVIRONMENT RESEARCH NETWORK: s.n., 2001.

MASSEY, D. S. “The age of extremes: concentrated affluence and poverty in the 21st century”. Demography, 33, n.4, 1996.

ROBERTS, B. R. “Urbanization and the environment in developing countries: Latin America in comparative perspective”. In: ARIZPE, L.; STONE, M. P.; MAJOR, D. C. Population and environment: rethinking the debate. Boulder: West View Press, 1994.

SACHS, C. São Paulo: políticas públicas e habitação popular. São Paulo: Edusp, 1999.

SANTOS, C. Voltando a pensar em favelas por causa das periferias. Rio de Janeiro: s.n., 1975.

SILVA, L. (Ed.). O que mostram os indicadores sociais sobre pobreza na década perdida. Rio de Janeiro: Ipea, 1992. (Relatório de Pesquisa.)

TASCHNER, S. P. “Favelas do município de São Paulo: resultados de pesquisa”. In: BLAY, E.A. A luta pelo espaço. Rio de Janeiro: Vozes, 1978.

TASCHNER, S. P. “Degradação ambiental em favelas”. In: TORRES, H.G.; COSTA, H. População e Meio Ambiente: debates e desafios. São Paulo: Editora do Senac, 2000.

TORRES, H. G. Desigualdade ambiental na cidade de São Paulo. Campinas, 1997. Tese (Doutorado) – IFCH/Universidade Estadual de Campinas.

TORRES, H. G.; OLIVEIRA, G. C. “Primary education and residential segregation in the Municipality of São Paulo: a study using geographic information systems”. Paper presented in the INTERNATIONAL SEMINAR ON SEGREGATION AND THE CITY. Cambridge: Lincoln Institute of Land Policy, 2001.

TORRES, H. G; MARQUES, E. “Reflexões sobre a hiperperiferia: novas e velhas faces da pobreza no entorno metropolitano”. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, n.4, 2001.

UNITED NATIONS. The challenge of urbanization: the world’s large cities. Nova York: United Nations, 1995.

WORLD BANK. Entering the 21st Century: World Development Report 1999/2000. Oxford: University Press, 1999




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2003v5n1p15

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                              


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia