Qualidade do espaço residencial e sustentabilidade: (re)discutindo conceitos e (des)construindo padrões

  • Maria Conceição Barletta Scussel Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul
  • Miguel Aloysio Sattler Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Palavras-chave: indicadores de qualidade de vida, condições de habitação, sustentabilidade.

Resumo

A partir da análise da inserção das condições de habitação na construção de diferentes conjuntos de indicadores de qualidade de vida, o presente trabalho propõe uma leitura crítica desses conceitos, apontando limites e possibilidades de sua utilização enquanto instrumentos de aferição da realidade. Discute os conceitos envolvidos na definição de aspectos de qualificação do espaço residencial e a construção de padrões subjacentes a estes, buscando identificar as múltiplas dimensões – ambiental, social, econômica, política, cultural – implicadas na produção e apropriação desse espaço. A identificação dos componentes que concorrem para a configuração de determinado espaço residencial, e o reconhecimento das relações que a partir daí se estabelecem sugerem a necessidade de uma abordagem diferenciada de avaliação, capaz de permitir a transposição de escalas, de confrontar distintos interesses e de captar a diversidade de lugares de morar na cidade, segundo princípios de sustentabilidade.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Conceição Barletta Scussel, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Miguel Aloysio Sattler, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Referências

ACSELRAD, H. Discursos da sustentabilidade urbana. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v.1, n.1, p.79-90, maio de 1999.

BARCELLOS, T. et al. Tipologia sócio-espacial de Porto Alegre – 1980-91: diferenciações sócio-ocupacionais e desigualdades sociais entre os espaços da cidade. Porto Alegre, Indicadores Econômicos FEE, v.29, n.4, p.307, 2002.

CARDOSO, A. Municipalização da política habitacional: uma avaliação da experiência brasileira recente. In: Anais do VIII Encontro Nacional da Anpur. Porto Alegre: Anpur, 1999. (CD-Rom).

CARRION, O. B. K.; SCUSSEL, M. C. B. Condições de moradia e comprometimento da renda familiar com habitação e transporte na Região Metropolitana de Porto Alegre. In: Anais do V Encontro Nacional de Economia Política. Fortaleza: Sociedade Brasileira de Economia Política, 2000. (CD-Rom.)

FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA SIEGFRIED EMANUEL HEUSER – FEE. Índice de Desenvolvimento Social – IDS: uma estimativa para os municípios do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: FEE, 1995.

FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA SIEGFRIED EMANUEL HEUSER – FEE. Índice Social Municipal Ampliado – Isma. Porto Alegre: FEE, 1999.

FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA SIEGFRIED EMANUEL HEUSER – FEE. Anuário Estatístico do Rio Grande do Sul 2001. Porto Alegre: FEE, 2001.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Condições de vida da população de baixa renda na região metropolitana de Porto Alegre. Rio de Janeiro: IBGE, 1981.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Indicadores de desenvolvimento sustentável: Brasil 2002. Rio de Janeiro: IBGE, 2002.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA)/UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL – PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL (PROPUR). Gestão do uso do solo e disfunções do crescimento urbano/Instrumentos de planejamento e gestão urbana: Porto Alegre. Brasília: Ipea/UFRGS, 2002.

KOCH, M. et al. Tipologia socioespacial da Região Metropolitana de Porto Alegre: análise preliminar do caso de Porto Alegre – 1980/1991. In: CASTAGNA, A. (Ed.) Globalización y territorio. VI Seminário Internacional, Red Iberoamericana de Investigadores sobre Globalización y territorio. Rosario: UNR, 2002. p.459-82.

MENEGAT, R. (Coord.) Atlas Ambiental de Porto Alegre. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1998.

MOTTA, D. M. et al. A dimensão urbana do desenvolvimento econômico-espacial brasileiro. Texto para Discussão, n.530. Brasília: Ipea, 1997.

NAHAS, M. I. P. et al. Índice de qualidade de vida urbana de Belo Horizonte (IQVU – BH): um instrumento intra-urbanístico de gestão da qualidade de vida. In: Anais do VII Encontro Nacional Anpur. Recife, 1997. p. 1437-51.

PINHEIRO, F. J. Déficit habitacional no Brasil. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, 1995.

PNUD/IPEA/FJP/IBGE. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Brasília, 1998. (CD-Rom.)

PNUD/IPEA/Fundação João Pinheiro/IBGE. Novo Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Disponível em http://www.undp.org.br/IDHM-BR%Atlas. Acesso em 17.2.2003.

SCUSSEL, M. Uma abordagem comparativa das condições de habitação no meio urbano e no meio rural: o caso de Porto Alegre. In: Anais do IX Encontro Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído. Foz do Iguaçu: Antac, 2002.

SILVA, S. Indicadores de Sustentabilidade Urbana – as perspectivas e as limitações da operacionalização de um referencial sustentável. São Carlos, 2000. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de São Carlos.

SPOSATI, A. Cidade, território, exclusão/inclusão social. Revista Prolides– Mercosul. São Paulo: Cortez, n.63, p.45-61, jul. 2000.

UNITED NATIONS. Comission for Sustainable Development. Sustainability indicators. Disponível em http://www.um.org/esa/sustdev/natlinfo/indicators/indisd/isdms 2001/htm. Acessado em 29.11.2002.

Publicado
2004-11-30
Seção
Artigos