Identidades relacionadas ao espaço geográfico: a nação brasileira e a cidade de Novo Hamburgo/RS (1927-1945)

  • Alessander Kerber Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul
  • Cleber Cristiano Prodanov Centro Universitário Feevale, Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Palavras-chave: cidade, identidade nacional, imprensa.

Resumo

O texto analisa as lutas de representações em torno da construção de identidades ligadas ao espaço geográfico da nação brasileira e da cidade de Novo Hamburgo (RS) através do seu principal jornal, O 5 de Abril, no período de 1927, momento de sua emancipação, até 1945, final da Segunda Guerra Mundial e da ditadura do Estado Novo. Este período foi marcado pela construção de versões acerca destas duas identidades e de sua disseminação através da imprensa. As duas versões apresentavam conflitos especialmente focados no fato de a cidade ser representada por signos que remetiam ao processo de imigração alemã, e à nação, por signos que remetiam à mestiçagem. Tais conflitos acirraram-se no momento em que o Brasil entrou na Segunda Guerra Mundial contra a Alemanha.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARBOSA, A. S. Uma burguesia de pés descalços: a trajetória do empresariado do calçado no interior paulista. São Paulo, Histórica – Revista Eletrônica do Arquivo do Estado,n.6, p. 1-2, 2005. Disponível em http://historica.arquivoestado.sp.gov.br/materiais/anteriores/ edicao06/materia3/ . Acesso em 23.04.2007.

BARTHES, R. Mitologias. São Paulo: Bertrand Brasil, 1999.

BEHREND, M. H. O 5 de Abril. Porto Alegre: Metrópole Ind. Gráfica, 2002.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

CAPELATO, M. H. R. Multidões em cena: propaganda política no varguismo e no peronismo. Campinas: Papirus, 1998.

CAPELATO, M. H. Fascismo: uma idéia que circulou pela América Latina. Rio de Janeiro, História em Debate, 1991.

CHARTIER, R. A história cultural. Lisboa: Difel, 1990.

DUTRA, E. F. O ardil totalitário: imaginário político no Brasil dos anos 30. Rio de Janeiro: UFRJ, 1997.

FICO, C. Reiventando o otimismo: ditadura, propaganda e imaginário social no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1997.

GERTZ, R. O perigo alemão. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1991.

GOMES, M. R. Jornalismo e ciências da linguagem. São Paulo: Hacker Editores/Edusp, 2000.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

HOBSBAWM, E. A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.

KERBER, A.; PRODANOV, C.; SCHEMES, C. O patrimônio material e a construção da identidade em Novo Hamburgo (RS): a fotografia e a cidade. Goiânia, História Revista. Revista da Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia da Universidade Federal de Goiás, v.2, 12/2, 2007.

MAGALHÃES, M. Negras memórias: a trajetória da Sociedade Cruzeiro do Sul. In: NUNES, M. (org.) Diversidade e políticas afirmativas:diálogos e intercursos. Novo Hamburgo: Feevale, 2006.

MARTINS, A. L.; LUCA, T. R. Imprensa e cidade. São Paulo: Editora da Unesp, 2006.

OLIVEN, R. G. A parte e o todo: a diversidade cultural no Brasil-Nação. Petrópolis: Vozes, 1992.

OLIVEN, R. Nação e região na identidade brasileira. In: ZARUR, J. C. (org.) Região e nação na América Latina. Brasília: UnB, 2000.

OLIVEIRA, L. L. A questão nacional na Primeira República. São Paulo: Brasiliense, 1990. p.14.

ORTIZ, R. Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo: Brasiliense, 2001.

PESAVENTO, S. J. Memória, história e cidade? Lugares no tempo, momentos no espaço. Uberlândia, ArtCultura, 4(4), p.24, junho/2002.

PETRY, L. O município de Novo Hamburgo – Monografia. Porto Alegre: Edições A Nação, 1959.

RENAN, E. Qu’est-ce qu’une nation? Paris: Éditions Mille, 1997 [1882]. TRINDADE, H. Integralismo: o facismo brasileiro na década de 30. Porto Alegre: UFRGS, 1974.

VIANNA, H. O mistério do samba. Rio de Janeiro: Jorge Zahar/Ed. UFRJ, 1995, p.73.

Publicado
2009-11-30
Seção
Artigos