Boom, Burst e Doom: O Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro como catalisador do Desenvolvimento Urbano-Regional | Boom, Burst, and Doom: The Petrochemical Complex of Rio de Janeiro as Catalyzer of Urban-Regional Development

Palavras-chave: Industrialização, Recursos Naturais, Desenvolvimento Urbano e Regional, Mercado de Trabalho, Megaprojetos.

Resumo

O desenvolvimento liderado por recursos naturais é amplamente debatido por conta das dificuldades de se converter a riqueza mineral em maior bem-estar social. Assim, a construção do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro – COMPERJ no estado do Rio de Janeiro, o maior produtor brasileiro de petróleo e gás, foi empreendida como uma estratégia de superação dos efeitos da “maldição dos recursos naturais” através da  diversificação produtiva e melhoras urbanas em parte da periferia metropolitana do Rio de Janeiro reconhecida pelo déficit histórico de oportunidades de desenvolvimento social e infraestrutura urbana. Nesse contexto, o artigo analisa a trajetória do desenvolvimento urbano e regional na porção Leste da Região Metropolitana do Rio de Janeiro entre 2006 e 2016, destacando as fases boom, burst e doom da dinâmica socioeconômica regional. O estudo assinala as principais características e objetivos do projeto, os desafios da região no momento do rompimento da “miragem” do crescimento liderado pela grande indústria, bem como as suas atuais condições. A análise sobre o COMPERJ e seus impactos regionais revelam os riscos e paradoxos de se investir nesse tipo de megaprojeto industrial como plataforma de promoção do desenvolvimento social para uma região sem maior diversificação econômica e planejamento urbano-regional.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Robson Dias da Silva, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Professor do PPGDT/PPGCTIA/UFRRJ e Pesquisador “Jovem Cientista do Nosso Estado” FAPERJ.
Clara Irazabal Zurita, University of Missouri, Kansas City, MO, EUA.
Professora do Departamento de Arquitetura, Planejamento e Design e Diretora do Programa de Estudos Latinos y Latinoamericanos, University of Missouri – Kansas City, EUA.

Referências

ALTOMONTE et al. Recursos Naturais na União das Nações Sul-americanas (UNASUL). Situação e tendências para uma agenda de desenvolvimento regional. Cepal/Unasul. Santiago, Chile, 2013.

ARAÚJO, J. L. Indústria de petróleo e economia do Rio de Janeiro. In: AMÉRICO FREIRE, A.; SARMENTO, C. E.; MOTTA, M. S. (orgs.) Um Estado em Questão: os 25 anos do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: FGV, 2001. p.249-282.

ARBOLEDA, M. Spaces of Extraction, Metropolitan Explosions: Planetary Urbanization and the Commodity Boom in Latin America. In: International Journal of Urban and Regional Research, 2015. Em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/1468-2427.12290/abstract

AUTY, R.M.. Resource-based Industrialization: Sowing the Oil in Eight Developing Countries. Clarendon Press, Oxford, UK, 1990.

BACHA, E.; FISHLOW, A. The Recent Commodity Price Boom and Latin American Growth: More than new Bottles for Old Wine? In: OCAMPO, A. & Ros, J. The Oxford Handbook of Latin American Economics. Oxford University Press, New York, NY, 2011.

BADIA-MIRÓ, Marc; PINILLA, Vicente, WILLEBALD, Henry. (ed.) Natural Resources and Economic Growth. London, New York: Routledge, 2015.

BAER, Werner. A Economia Brasileira. São Paulo: Nobel, 2012,

BIELSCHOWSKY, R. (Org.) Cinqüenta anos de Pensamento na CEPAL. Editora Record. Rio de Janeiro, RJ, 2000.

BOIANOVSKY, Mauro. Commodities, natural resources and growth: a study through the history of economics. In: YING, Ma; TRAUTWEIN, Hans-Michael. Thoughts on Economic Development in China. London and New York, Routledge, 2013, p. 56-87.

BRANDÃO, Carlos. As Ausências e Elos Faltantes das Análises Regionais no Brasil e a Proposição de uma Agenda de Pesquisas de Longo Prazo, 2016. (Relatório Final de Pesquisa IPEA, mimeo).

BRANDÃO, Carlos A.; SIQUEIRA, Hipólita (orgs.). Pacto federativo, integração nacional e desenvolvimento regional. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2013.

BRITTO, Jorge. Comperj: Reflexos e Oportunidades para os Municípios do Conleste. Ano V - Número 10. Fundação CIDE, Rio de Janeiro, RJ, 2011.

BRUCKMANN, M. Recursos Naturais e Geopolítica da Integração Sul-Americana. IN: VIANA, A. R.; BARROS, P. S.; CALIXTRE, A. B. Governança global e integração da América do Sul. Brasília: IPEA, 2011.

CANO, W. Desequilíbrios Regionais e Concentração Industrial no Brasil: 1930-70 e 1970-95. Campinas, SP: Instituto de Economia – Unicamp, 1998. (30 Anos de Economia, n° 2)

CARNEIRO, RICARDO. Commodities, choques externos e crescimento: reflexes sobre a America Latina. Série Macroeconomia del Desarrollo. CEPAL, Santiago, 2012.

CEPAL. Recursos naturales. Situación y tendencias para una agenda de desarrollo regional en América Latina y el Caribe. Santiago de Chile, Documento Institucional de la CEPAL, 2013.

DAVIDOVICH, Fany. Estado do Rio de Janeiro: Singularidade de um contexto territorial. In: Revista Território, Rio de Janeiro, RJ. n° 9, jul-dez, 2000. 10-24p.

DICKEN, Peter. Global Shift: Mapping the Changing Contours of the World Economy. 6th Edition, The Guilford Press, New York, USA, 2012.

DINIZ, Clélio. Entrevista concedida à Carta Capital em 2012, disponível em: https://www.cartacapital.com.br/economia/o-risco-da-relitoralizacao

FARIA, W. Cinquenta Anos de Urbanização no Brasil. Novos Estudos CEBRAP, São Paulo, 3/1993.

FARTHING, Linda & FABRICANT, Nicole. Open Veins Revisited: Charting the Social, Economic, and Political Contours of the New Extractivism in Latin America. Latin American Perspectives Issue 222 September 2018 Volume 45 Number 5, 4-17.

FIRJAN. Impactos dos grandes investimentos no Rio de Janeiro e os desafios para o desenvolvimento sustentável do Estado, 2009 (mimeo).

FURTADO, C. Teoria e política do desenvolvimento econômico. São Paulo: Nova Cultural, 1986.

GORENSTEIN, Silvia & ORTIZ, Ricardo. Natural resources and primary sector-dependent territories in Latin America, Area Development and Policy, 3:1, 2018, 42-59.

HIRSCHMAN, Albert O.. The Strategy of Economic Development. Yale University Press, 1958.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Contas Regionais do Brasil. Rio de Janeiro, RJ, 2017.

JESUS, Claudiana.. Labour in the Brazilian Shipbuilding Industry: a contribution to an analysis on the recovery period. In: VARELA, Raquel; MURPHY, Hugh; VAN DER LINDEN, Marcel. (Org.). Shipbuilding and Ship Repair Workers around the Word. 1ed.Chicago, Amsterdam: Amsterdam University Press, Chicago Press, 2016, v. 1, p. 477-490.

KLINK, Jerome. Development Regimes, Scales and State Spatial Restructuring: Change and Continuity in the Production of Urban Space in Metropolitan Rio de Janeiro, Brazil. International Journal of Urban and Regional Research, Volume 37.4 July 2013 1168–87

LANDER, EDGARDO. El Neoextractivismo como modelo de desarrollo en América Latina y sus contradicciones. Heirinch Boll Stiftung, Berlin, 2014.

LEDERMAN, Daniel; MALONEY, William F. Natural Resources: Neither Curse nor Destiny. Washington, DC: World Bank; Palo Alto, CA: Stanford University Press, 2007.

LÉFÈBVRE, Henri. A Revolução Urbana. Belo Horizonte: EDUFMG, 2004.

MALTHUS, Thomas. Princípios de Economia Politica e Considerações sobre sua Aplicação Prática. Editora Abril Cultural São Paulo, SP. Coleção os Economistas, 1982.

MATIAS, Patrícia; SILVA, Robson. Baixada Fluminense - RJ: Notas sobre os Impactos Iniciais do Arco Metropolitano. Revista Continentes. PPGGEO-UFRRJ, ano 6, n.11, julho-dezembro, 2017.

MOYSÉS, Yana. O Comperj: modelo de desenvolvimento hegemônico e contradições no espaço local (Itaboraí, Rio de Janeiro). Revista Geografar. Curitiba, v.5, n.1, p.01-24, jan./jun. 2010. Disponível em: www.ser.ufpr.br/geografar.

OCAMPO, José A. La historia y los retos del desarrollo latinoamericano. CEPAL, ILPES, Santiago de Chile, diciembre de 2012.

PECK, Jamie & TICKELL, Adam. Neoliberalizing space. Antipode, 2002, 34 (3), 380-404. DOI: 10.1111/1467-8330.00247

PÉREZ, Carlota. Dinamismo tecnológico e inclusión social en América Latina: una estrategia de desarrollo productivo basada en los recursos naturales. Revista Cepal 100, abril 2010, 123-145 p.

PERROUX, F. O Conceito de Pólo de Desenvolvimento. In SCHWARTZMAN, J. (org.) Economia Regional: textos escolhidos. Belo Horizonte: CEDEPLAR, 1977. (Primeira edição: Note sur la notion de póle de croissance, 1955)

PETROBRAS. Plano de Negócios da Empresa, 2008. Disponível em www.petrobras.gov.br.

PINTO, Eduardo C. A dinâmica dos Recursos Naturais no Mercosul na década de 2000: “efeito China”, estrutura produtiva, comércio e investimento estrangeiro. UFRJ, IE Texto para discussão 005, 2013.

PIQUET, Roselia (org.). Mar de Riqueza, Terras de Contraste: o Petróleo no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Mauad X, 2011.

POSTALI, F. Petroleum royalties and regional development in Brazil: The economic growth of recipient towns. Resource Policy 34 (2009), 205-213.

RAIS. Relação Anual de Informações Sociais/MTE. 2017.

REDSUR. Subiendo la Escalera? Oportunidades, obstáculos y lecciones en torno al escalamiento de las cadenas de recursos naturales de América del Sur. Montevideo: Red Sudamericana de Economia Aplicada, 2014.

RICARDO, David. Princípios de Economia Política e Tributação. Coleção Os Economistas. São Paulo: Editora Abril Cultural, 1982.

RIMA. COMPERJ Petrobras- Concremat Engenharia [online]. Disponível em: http://www2.petrobras.com.br/ Petrobras/ portugues/pdf/rima.pdf, 2006.

ROSENSTEIN-RODAN, P. N. Notes on the Theory of the “Big Push. In: ELLIS, Howard S. Economic Development for Latin America. New York: St. Martin, 1961.

ROSS, M.L.. The Oil Curse: How Petroleum Wealth Shapes the Development of Nations. Princeton, NJ: Princeton Univ. Press, 2012.

SERRA, José. Ciclos e Mudanças Estruturais na Economia Brasileira do após-Guerra. Revista de Economia Política, Vol. 2/2, número 6, abril-junho, 1982.

SILVA, Robson. Royalties e desenvolvimento regional: uma reflexão sobre os desafios do Rio de janeiro. IN: Monteiro Neto, A., Castro, C. & Brandão, C. (org.) Desenvolvimento Regional no Brasil – política, estratégias e perspectivas. IPEA, Brasília, DF, 2017.

SILVA, Robson & MATOS, Manuel. Petróleo e Desenvolvimento regional: o Rio de Janeiro no pós-boom das commodities. Revista de Desenvolvimento Econômico – RDE - Ano XVIII – V. 2 - N. 34 - Agosto de 2016 - Salvador, BA – p. 704 – 722.

SILVA, Robson D. Recursos Naturais não Renováveis e Desenvolvimento Regional: Apontamentos para o Caso Brasileiro IN: BRANDÃO, Carlos A. Território e Desenvolvimento: as múltiplas escalas entre o local e o global. Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

SILVA, Robson. Indústria e Desenvolvimento Regional no Rio de Janeiro. Editora da Fundação Getúlio Vargas e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2012.

SINNOTT, E.; NASH, J.; DE LA TORRE, A. Recursos naturais na América Latina. Rio de Janeiro: Elsevier; Washington, DC: World Bank, 2010.

SKIDMORE, T. et al. Modern Latin America. Eighth Edition, Oxford press, 2014.

SMITH, A. An Inquiry Into the Nature and Causes of the Wealth of Nations. (Cannan ed.), vol. 1 [1776].

STUDIO CLASS & IRAZÁBAL, Clara. Conleste: Regional Planning in Rio de Janeiro, Brazil. Urban Planning Studio, Columbia University, Spring 2011. 122 pp.

SVAMPA, Maristela Consenso delos Commodities y lenguajes de valoración en América Latina. Nueva Sociedad No 244, marzo-abril de 2013, ISSN: 0251-3552, .

TORRES, R; CAVALIERI, H; & HASENCLEVER, L. O petróleo e os enclaves do Desenvolvimento econômico fluminense. Cadernos do Desenvolvimento, v.8, n. 13. Rio de Janeiro: Centro CELSO FURTADO, 2013.

WILLIAMSON, Jeffrey G. Latin American Inequality: Colonial Origins, Commodity Booms, or a Missed 20th Century Leveling? NBER Working Paper Series, January 2015.

Publicado
2019-04-11
Seção
Artigos | Articles: Paradigmas tecno-econômicos e reconfiguração territorial