Urbanização extensiva e reconfiguração rural na Amazônia: uma proposta teórico-metodológica baseada em indicadores demográficos e espaciais

Palavras-chave: Transição urbana, Ruralidades, Distribuição populacional, Amazônia brasileira

Resumo

Este trabalho resulta da reconstrução teórico-conceitual realizada para verificar empiricamente a existência de urbanização extensiva na Amazônia com base na incorporação de noções demográficas ao referencial em questão. Observou-se como o tecido urbano contribui para a reconfiguração rural, evidenciando as múltiplas dimensões que perpassam o fenômeno urbano. Com indicadores demográficos sensíveis aos processos socioespaciais urbano-rurais, foram analisados territórios rurais de dois recortes regionais no oeste do estado do Pará. Os resultados confirmam que a propagação dos vetores urbanos tende a intensificar a aglomeração populacional (coeficiente de Gini) e a predominância espacial de mulheres (razão de sexo) por mecanismos de diferenciações espaciais. A existência de um eixo de mobilidade populacional, o regime de ocupação e a distância do centro urbano são os elementos estruturantes da emergência de um mosaico de ruralidades imersas em contextos urbanos. Com os resultados, concebeu-se um modelo teórico-metodológico com uma abordagem analítica inédita na literatura sobre urbanização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julia Corrêa Côrtes, Universidade Estadual de Campinas, Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais, Campinas, SP, Brasil

Engenheira agrônoma e demógrafa, pesquisadora de pós-doutorado no Programa de Pós-graduação em Sociedade e Ambiente do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) e colaboradora do Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (Nepam), ambos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Álvaro de Oliveira D'Antona, Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Aplicadas, Campinas, SP, Brasil

Cientista social, docente da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) e do mestrado interdisciplinar em Ciências Humanas e Sociais Aplicadas (ICHSA); colaborador do Programa de Pós-graduação em Demografia (PPGDEM), na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Ricardo Ojima, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Departamento de Demografia e Ciências Atuariais, Natal, RN, Brasil

Demógrafo, docente do Departamento de Demografia e Ciências Atuariais (DDCA) e do Programa de Pós-graduação em Demografia (PPGDem), ambos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Referências

BECKER, B. Undoing myths: The Amazon an urbanized forest. In: CLOSENER-GODT, M. (Org.). Brazilian Perspectives on Sustainable Development of the Amazon Region. Paris: Unesco, 1995. p. 53–89.

BECKER, B. Revisão das políticas de ocupação da Amazônia: é possível identificar modelos para projetar cenários? Parcerias Estratégicas, v. 6, n. 12, p. 135-159, 2001.

BECKER, B. Geopolítica da Amazônia. Estudos Avançados, v. 19, n. 53, p. 71-86, 2005.

BECKER, B. A Urbe Amazônida. Rio de Janeiro: Garamond, 2013.

BRENNER, N.; SCHMID, C. Towards a New Epistemology of the Urban? City, n. 1, p. 151-182, 2015.

BROWDER, J. O.; GODFREY, B. J. Rainforest Cities: Urbanization, Development and Globalization of the Brazilian Amazon. Nova York: Columbia University Press, 1997.

CAIADO, A.; SANTOS, S. Fim da dicotomia rural-urbano? Um olhar sobre os processos socioespaciais. São Paulo em Perspectiva, v. 17, n. 3-4, p. 115-124, 2003.

CAMARANO, A.; ABRAMOVAY, R. Êxodo rural, envelhecimento e masculinização no Brasil: panorama dos últimos 50 anos. São Paulo: Ipea. Texto para Discussão (n. 621), 1999.

CASTRO, E. Prefácio. In: CARDOSO, A. C. (Ed.). O rural e o urbano na Amazônia: diferentes olhares em perspectivas. Belém: EDUFPA, 2006.

CASTRO, E. Cidades na floresta. São Paulo: Annablume, 2009.

CHAMPION, T.; HUGO, G. Moving beyond the Urban-Rural Dichotomy. In: CHAMPION, T.; HUGO, G. (Org.), New Forms of Urbanization: Beyond the Urban-Rural Dichotomy. Nova York: Routledge, 2003. pp.3-24.

COHEN, B. Urban Growth in Developing Countries: A Review of Current Trends and a Caution Regarding Existing Forecasts. World Development, v. 32, n. 1, p. 23-51, 2004.

DA COSTA, S. M. F.; ROSA, N. C. O processo de urbanização na Amazônia e suas peculiaridades: uma análise do delta do rio Amazonas. Revista Políticas Públicas & Cidades, v. 5, n. 2, p. 81-105, 2017.

D’ANTONA, A. O.; BUENO, M. C. D. Grades estatísticas no estudo da dispersão urbana – superação dos limites das unidades administrativas e operacionais censitárias. In: OJIMA, Ricardo; MARANDOLA JR., Eduardo. Dispersão urbana e mobilidade populacional. São Paulo: Blucher, 2016. p. 51-68.

DINIZ, A. Migração e evolução da fronteira agrícola. In: XIII Encontro da Associação Brasileira de Estudos Populacionais, Ouro Preto: Abep, 2002.

ENDLICH, A. M. Perspectivas sobre o urbano e o rural. In: SPOSITO, M.; WHITACKER, A. (Org.). Cidade e campo: relações entre urbano e rural. São Paulo: Expressão Popular, 2006. p. 11-31.

FEARNSIDE, P. M. Hidrelétrica de Belo Monte & bacia do rio Xingu. In: FEARNSIDE, P. M. (Org.). Hidrelétricas na Amazônia: impactos ambientais e sociais na tomada de decisões sobre grandes obras. Manaus: Inpa, 2015. pp. 229-295.

GUEDES, G.; COSTA, S. M; BRONDÍZIO, E. S. Revisiting the Urban Hierarchy Approach in the Brazilian Amazon: a Multilevel Model Using Multivariate Fuzzy Cluster Methodology. Population and Environment, 30(4-5), 2009.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Grade estatística. Rio de Janeiro: IBGE, 2016. p. 31.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Base de informações do Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

KAYSER, B. La Renaissance rurale. Sociologie des campagnes du monde occidental. Paris: A. Colin,1990.

LEFEBVRE, H. A revolução urbana. Belo Horizonte: UFMG, 1999.

MARQUES, M. O conceito de espaço rural em questão. Terra Livre, v. 18, n. 19, p. 95-112, 2002.

MARTINE, G.; McGRANAHAN, G. Brazil’s Early Urban Transition: What Can it Teach Urbanizing Countries? Nova York: UNFPA, 2010.

MONTE-MÓR, R. Urbanização extensiva e lógicas de povoamento: um olhar ambiental. In: SANTOS, M., SOUZA, M.; SILVEIRA, M. (Org.). Território, globalização e fragmentação. São Paulo: Hucitec/Anpur, 1994. p.169-181.

MONTE-MÓR, R. As teorias urbanas e o planejamento urbano no Brasil. In: DINIZ, C.; CROCCO, M. (Org.). Economia regional e urbana: contribuições teóricas recentes. Belo Horizonte: UFMG, 2006. p. 61-85.

MONTGOMERY, M.; STREN, R.; COHEN, B.; REED, H. Cities Transformed : Demographic Change and Its Implications in the Developing World. Washigton D.C.: National Academics Press, 2003.

PADOCH, C. et al. Urban Forest and Rural Cities: Multi-sited Households, Consumption Patterns, and Forest Resources in Amazonia. Ecology and Society, v. 13, n. 2, 2008.

PEBLEY, A. Demography and the environment. Demography, v. 35, n. 4, p. 377-89, 1998.

PEREIRA, J. C. M. P. A urbanização da Amazônia e o papel das cidades médias na rede urbana regional. In: CARDOSO, J. C. M. (Ed.). O rural e o urbano na Amazônia: diferentes olhares em perspectivas. Belém: EDUFPA, 2006.

SILVA, J. G. Velhos e novos mitos do rural brasileiro. Estudos Avançados, v. 15, n. 43, p. 37-50, 2001.

SKELDON, R. Population Mobility in Developing Countries. Londres: Belhaven, 1990.

SPOSITO, M. A questão cidade-campo: perspectivas a partir da cidade. In: SPOSITO, M.; WHITACKER, A. (Org.). Cidade e campo: relações entre urbano e rural. São Paulo: Expressão Popular, 2006. p 111-130.

SCHMINK, M.; WOOD, C. Contested Frontiers in Amazonia. Nova York: Columbia University Press, 1992.

SCHOR, T; MARINHO, R. R.; COSTA, D. P.; OLIVEIRA, J. A. Cities, Rivers and Urban Network in the Brazilian Amazon. Brazilian Geographical Journal: Geosciences and Humanities Research Medium, v. 5, p. 258-276, 2014.

TRINDADE JÚNIOR, S. C. C. Cidades médias na Amazônia Oriental: das novas centralidades à fragmentação do território. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 13, n. 2, p. 135-151, 2011.

UNITED NATIONS. World Urbanization Prospects: The 2014 Revision. Nova York: Population Division, Department of Economic and Social Affairs, 2014.

WANDERLEY, M. N. B. A emergência de uma nova ruralidade nas sociedades modernas avançadas – o “rural” como espaço singular e ator coletivo. Estudos Sociedade e Agricultura, v. 15, p. 87-145, 2000.

Publicado
2020-06-01
Seção
Artigos - Ambiente, Gestão e Desenvolvimento