Juventudes entre o rural e o urbano: o caso dos agroboys e agrogirls de Bela Vista de Goiás

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22296/2317-1529.rbeur.202112pt

Palavras-chave:

Juventude, Rural, Bela Vista de Goiás, Agroboy/Agrogirl

Resumo

O texto faz uma análise de jovens em seus contextos de ruralidade na perspectiva de compreender como esse grupo social, seja de origem urbana, seja rural, vivencia os aspectos culturais do universo rural em Bela Vista de Goiás, uma cidade de base econômica agrícola. A juventude estudada é caracterizada, com base em sua roupagem modernizante, como agroboys e agrogirls por ser influenciada pelo country estadunidense, pelo agronegócio e pela indústria cultural brasileira, evidenciando sua existência entre o rural-urbano e entre campo-cidade. Foram identificadas algumas concepções do grupo estudado, estudantes do Ensino Médio, sobre o campo e a cidade, a relação com o trabalho, suas origens, práticas de lazer e perspectivas profissionais. Concluiu-se que esses jovens vivem a lógica da modernidade e o ideal de mundo globalizado, com predomínio da negação do projeto de camponês, que é atrelado às representações do caipira e atrasado, e a produção de uma forma modernizante da vivência do rural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea Vettorassi, Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Ciências Sociais, Goiânia, GO, Brasil

Doutora em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com mestrado e bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Professora adjunta de Sociologia da Universidade Federal de Goiás (UFG), Faculdade de Ciências Sociais e Programa de Pós-graduação em Sociologia e membro do Núcleo de Estudos sobre Trabalho e da Cátedra Sérgio Vieira de Mello da mesma universidade.

Lorrany dos Santos Ferreira, Universidade Federal de Goiás, Programa de Pós-graduação em Sociologia, Goiânia, GO, Brasil

Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Goiás (UFG), mestra em Sociologia e especialista em História e Narrativas Audiovisuais pela mesma instituição.

Flávio Munhoz Sofiati, Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Ciências Sociais, Goiânia, GO, Brasil

Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp). Professor associado de Sociologia da Universidade Federal de Goiás (UFG), Faculdade de Ciências Sociais, Programa de Pós-graduação em Sociologia e Programa de Pós-graduação em Antropologia Social. Membro do Observatório Juventudes na Contemporaneidade e do Núcleo de Estudos de Religião Carlos Rodrigues Brandão.

Referências

ABRAMO, H. Debate. In: CARNEIRO, M. J.; CASTRO, E. G. de (org.). Juventude rural em perspectiva. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007. p. 67-71.

ABRAMOVAY, R. Funções e medidas da ruralidade no desenvolvimento contemporâneo. Rio de Janeiro: Ipea, 2000. p. 1-37. (Texto para discussão, n. 702.)

ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. A dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

BRUMER, A. A problemática dos jovens rurais na pós-modernidade. In: CARNEIRO, M. J.; CASTRO, E. G. de. (org.). Juventude rural em perspectiva. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007. p. 35-51.

CANDIDO, A. Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. 11. ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2010.

CARNEIRO, M. J. O ideal rurbano: campo e cidade no imaginário de jovens rurais. In: SILVA, F. C. T.; SANTOS, R.; COSTA, L. F. C. (org.). Mundo rural e política: ensaios interdisciplinares. Rio de Janeiro: Campus, 1998. p. 95-117.

CARNEIRO, M. J.; CASTRO, E. G. (org.). Juventude rural em perspectiva. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

CHARLOT, B. Jovens de Sergipe: quem são eles, como vivem, o que pensam. Aracaju: Governo de Sergipe, 2006.

DE PAULA, S. G. O country no Brasil contemporâneo. Revista História, Ciências, Saúde, Manguinhos (RJ), 1998. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-59701998000400015. Acesso em: 14 jul. 2019.

FARIAS, E. Economia e cultura no circuito das festas populares brasileiras. Sociedade e Estado, v. 20, n. 3, p. 647-688, 2005. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-69922005000300007. Acesso em: 22 de março de 2021.

FONSECA, J. J. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

FORACCHI, M. M. O estudante e a transformação da sociedade brasileira. São Paulo: Nacional. 1965. p. 302.

GIDDENS, A. A vida em uma sociedade pós-tradicional. In: BECK, U.; GIDDENS A. Modernização reflexiva: política, tradição e estética na ordem social moderna. São Paulo, Ed. da Unesp, 1997.

GROPPO, L. A. Juventude: ensaios sobre sociologia e história das juventudes modernas. Rio de Janeiro: Difel, 2000.

HALL, S. Identidade cultural e diáspora. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Rio de Janeiro: Iphan, p. 68-75, 1996.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2016. Disponível em: http://www.ibge.gov.br. Acesso em: 3 jul. 2019.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Livro I: O processo de produção do capital. Tradução: Regis Barbosa e Flávio R. Kothe. São Paulo: Nova Cultural, 1996. t. 1.

MATOS, A. G. de. Desenvolvimento, autonomia e academia. In: LIMA, D. M de A.; WILKINSON, J. (org.). Inovação nas tradições da agricultura familiar. Brasília, DF: CNPq: Paralelo 15, 2002.

MENASCHE, R.; TORRES, J. C. S.; ESCHER, M. S.; BARGUIL, S. R. Gênero e agricultura familiar: cotidiano da vida e trabalho no leite. Curitiba: Deser: CEMTR/PR, 1996.

MENEZES, I. G. Jovens rurais no sertão sergipano: escolarização e identidades culturais. 2012. 238 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, Sergipe, 2012.

MIRANDA, C.; SILVA, H. (org.). Concepções da ruralidade contemporânea: as singularidades brasileiras. Brasília: IICA, 2013. v. 21. (Série Desenvolvimento Rural Sustentável).

NOVAES, R. C. Segunda sessão: políticas públicas, direitos e participação. In: CARNEIRO, M. J.; CASTRO, E. G. (org.). Juventude rural em perspectiva. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

NOVAES, R. R. Juventude e participação social: apontamentos sobre a reinvenção da política. In: ABRAMO, H. W. et. al. (org.). Juventude em debate. São Paulo: Cortez, 2000.

ORTIZ, R. Mundialização e cultura. São Paulo: Brasiliense, 2006.

PAIS, J. M. Culturas juvenis. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1993.

PREDIGER, S. Estado da arte da situação do jovem rural: a construção de identidades. Revista Anagrama: Revista Cientifica Interdisciplinar da Graduação, ano 3, ed. 1, set.-nov. 2009.

RUA, J. A ressignificação do rural e as relações cidade-campo: uma contribuição geográfica. Revista da Anpege, n. 2, p. 45-66, 2005.

REDIN, E.; SILVEIRA, P. R. C. Juventude rural: experiências e perspectivas. In: SANTOS, V. F.; VELA, H. A. G.; SILVEIRA. P. R. C. Educação rural no mundo contemporâneo. Santa Maria: UFSM, 2012. p. 175-208.

RENK, A. Migrações: de ontem e de hoje. Chapecó: Grifos, 1999.

SETUBAL, M. A. Vivências caipiras. Pluralidade cultural e diferentes temporalidades na terra paulista. São Paulo: Imprensa Oficial, 2005.

SILVA, P. S.; DINIZ FILHO, E. T.; MARACAJA, P. B.; PEREIRA, T. F. C. Agricultura familiar: um estudo sobre a juventude rural no município de Serra do Mel – RN. Revista Verde, v. 1, n. 1, p. 54-66, 2006.

SINGER, P. A juventude como coorte: uma geração em tempos de crise social. In: ABRAMO, H. W.; BRANCO, P. P. M. (org.). Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. São Paulo: Instituto Cidadania; Fundação Perseu Abramo, 2005. p. 27-35.

SOUZA, R. A. Além dos muros: razão ou razões na escola? In: CAVALCANTE, M. H. K.; SOUZA, R. A. (org.). Culturas juvenis: dinamizando a escola. Porto Alegre: ediPUCRS, 2009.

WANDERLEY, M. de N. B. O mundo rural brasileiro: acesso a bens e serviços e integração campo-cidade. Estudos Sociedade e Agricultura, v. 17, n. 1, p. 60-85, abr. 2009.

WEISHEIMER, N. Sobre a invisibilidade social das juventudes rurais. Desidades, ano 1, n. 1, dez. 2013.

WEISHEIMER, N. Situação juvenil e projetos profissionais de jovens agricultores familiares no Recôncavo da Bahia. Estudos Sociedade e Agricultura, v. 27, n. 1, p. 67-94, fev. 2019.

WILLIAMS, R. O campo e a cidade: na história e na literatura. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

Publicado

2021-04-28

Edição

Seção

Artigos - Cidade, História e Cultura