O planejamento territorial no Paraná baseado na atuação do Movimento Economia e Humanismo no Brasil

Autores

  • Lucas Ricardo Cestaro Universidade Federal do Paraná, Departamento de Arquitetura e Urbanismo, Curitiba, PR, Brasil https://orcid.org/0000-0002-1267-5019
  • Fabiola Castelo de Souza Cordovil Universidade Estadual de Maringá, Departamento de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-graduação em Geografia, Maringá, PR, Brasil https://orcid.org/0000-0002-1065-3908

DOI:

https://doi.org/10.22296/2317-1529.rbeur.202043

Palavras-chave:

Planejamento Urbano e Regional, Plano de Desenvolvimento, SAGMACS, Louis-Joseph Lebret

Resumo

Analisamos a atuação do Movimento Economia e Humanismo no Brasil com base nas ações da Sociedade para Análises Gráficas e Mecanográficas Aplicadas aos Complexos Sociais (SAGMACS), investigando as filiações teóricas e metodológicas em trabalhos elaborados pelo grupo para o estado do Paraná, entre 1955 e 1958 e em 1963. Esses trabalhos, realizados no campo disciplinar do planejamento urbano e regional, visavam à modernização do estado e de sua máquina administrativa e ao desenvolvimento econômico. Destacamos a relevância da SAGMACS no planejamento do território brasileiro considerando as publicações do Movimento Economia e Humanismo e de outros pensadores, cotejadas com a literatura que evidenciou as matrizes conceituais do grupo fundado na França, em 1941. Foi possível verificar que as ações da equipe coordenada por Louis-Joseph Lebret contribuíram para a institucionalização do planejamento regional no Brasil, para a formação de instituições de urbanismo e órgãos de assistência técnica, além de resultarem na reorganização do território do Paraná, indicando o planejamento dos seus polos regionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Ricardo Cestaro, Universidade Federal do Paraná, Departamento de Arquitetura e Urbanismo, Curitiba, PR, Brasil

Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Metodista de Piracicaba (2003), desenvolveu o mestrado (2006-2009) e o doutorado (2011-2015) pelo Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU-USP), campus de São Carlos, com apoio da Fapesp. Atua como professor do Departamento de Arquitetura e Urbanismo na Universidade Federal do Paraná (UFPR), onde é pesquisador vinculado ao Laboratório de Habitação e Urbanismo (LAHURB).

Fabiola Castelo de Souza Cordovil, Universidade Estadual de Maringá, Departamento de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-graduação em Geografia, Maringá, PR, Brasil

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Santa Catarina e mestre em Geografia pela mesma instituição. Pós-doutora em Geografia também pela UFSC e doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (USP). Professora associada ao Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Docente permanente do Programa de Pós-graduação em Geografia e do Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas, ambos da UEM. Pesquisadora do Observatório das Metrópoles, núcleo Maringá.

Referências

ANGELO, M. R. de. Louis-Joseph Lebret e a SAGMACS. A formação de um grupo de ação para o planejamento urbano no Brasil. São Paulo: Alameda, 2013.

AUGUSTO, M. H. O intervencionismo estatal e ideologia desenvolvimentista. São Paulo: Símbolo, 1978.

BOSI, A. Economia e Humanismo. Revista de Estudos Avançados, São Paulo, v. 26, n. 75, 2012.

CESTARO, L. R. Planejamento urbano e regional no Brasil: as ideias, planos e contribuições de Lebret e da SAGMACS. São Paulo: Annablume, 2019.

CHIQUITO, E. de A. A Comissão Interestadual da Bacia Paraná-Uruguai: do planejamento de vale aos polos de desenvolvimento. 2012. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012a.

CHIQUITO, E. de A. A criação da Comissão Interestadual da Bacia Paraná-Uruguai: referencial norte-americano no planejamento regional brasileiro dos anos 1940-50. Revista FAAC Unesp, v. 2, n. 1, p. 69-78, 2012b.

CORDOVIL, F. C. S. As filiações teóricas dos escalões territoriais de análise do Plano de Desenvolvimento do Paraná elaborado pela SAGMACS. In: III SEMINÁRIO URBANISMO E URBANISTAS NO BRASIL, 2017, Recife. Anais [...]. Recife: MDU-UFPE, 2017. p. 62-76. Tema: Urbanistas e urbanismo moderno: trajetórias múltiplas e juízos historiográficos.

DOUSTDAR, N. M. O paranismo atualizado: a Democracia cristã e o planejamento no primeiro governo Ney Braga. 2010. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação em Sociologia da Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2010.

ÉCONOMIE ET HUMANISME. Statuts d’Économie et Humanisme. Deposés a la Prefecture du Bouche-du- Rhône. 1941.

ÉCONOMIE ET HUMANISME. Manifeste d’Économie et Humanisme. Revue Économie et Humanisme, n. 1, 1942.

FELDMAN, S. 1950: a década de crença no planejamento regional no Brasil. In: XIII ENCONTRO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL, 2009, Florianópolis. Anais [...]. Florianópolis: ANPUR, 2009. p. 1-23. Tema: Planejamento e gestão de território: escalas, conflitos e incertezas.

FREY, J. P. Gaston Bardet. L’espace social d’une pensée urbanistique. Les Études sociales. Voyages d’expertise, n. 130, p. 57-82, 2º sem. 1999.

GARDIN, C. A Comissão Interestadual da Bacia Paraná-Uruguai no planejamento regional brasileiro (1951-1972). Dourados, MS: Ed. da UFGD, 2009.

GOMES, C. A. F. Planejamento e industrialização em regiões periféricas: as ideias da Cepal no Projeto Paranaense de Desenvolvimento. 2010. Tese (Doutorado) – Instituto de Ciências Humanas e Filosofia da Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2010.

IPARDES – INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO. O Paraná reinventado: política e governo. 2. ed. Curitiba: Ipardes, 2006.

IZEPÃO, R. L. O planejamento governamental no Paraná. Economia, estado e política econômica. Maringá: , Eduem, 2013.

LEBRET, L. J. Rapport Conclusions provisoires du Voyage d’étude. [S.l.], 1952.

LEME, M. C. da S.; LAMPARELLI, C. M. A politização do urbanismo no Brasil: a vertente católica. In: IX ENCONTRO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL, 2001, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: ANPUR, 2001. p. 675-687.

LOURENÇO, G. M. Economia paranaense: restrições conjunturais e avanços estruturais. Revista da FAE, 2, n. 3, p. 1-8, set.-dez. 1999.

MAGALHÃES FILHO, F. de B. Da construção ao desmanche: análise do Projeto de Desenvolvimento Paranaense. Curitiba, Ed. da UFPR, 2011.

PARANÁ (Governo do Estado). Plano de Desenvolvimento do Paraná. Documento preliminar elaborado pela SAGMACS. Curitiba: Codepar: Pladep, 1963.

PELLETIER, D. Économie et Humanisme: De l’utopie communautaire au combat pour le tiers monde (1941-1966). Paris: Les Éditioins du Cerf, 1996.

PERROUX, F. A economia do século XX. Lisboa: Herder, 1967.

PONTUAL, V. P. Lebret na América Latina. In: XXVIII CONGRESSO INTERNACIONAL DA ASSOCIAÇÃO LATINO-AMERICANA DE SOCIOLOGIA, 2011, Recife. Anais [...]. Recife, 2011.

PONTUAL, V. P. O urbanismo aplicado do mestre Gaston Bardet: conferências, cursos e instituições. Revista Urbana, 8, n. 3, p. 89-110, 2016a.

PONTUAL, V. P. Louis-Joseph Lebret e a América Latina: um exitoso laboratório de experiências em planejamento humanista. São Paulo: Letra Capital: UFPE, 2016b.

ROLDAN, D. D. Um ideário urbano em desenvolvimento. A experiência de Louis-Joseph Lebret em São Paulo de 1947 a 1958. 2012. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SAGMACS. Problemas de desenvolvimento. Necessidades e possibilidades do estado de São Paulo. São Paulo: CIBPU: SAGMACS, 1955.

SAGMACS. Problemas de desenvolvimento. Necessidades e possibilidades dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. São Paulo: CIBPU: SAGMACS, 1958.

SAUVY, Trois Monde, une planète. L’Observateur: politique, economique et littéraire, n. 118, p. 14, 1952.

Publicado

2020-12-24

Edição

Seção

Artigos - Cidade, História e Cultura