Finanças, infraestrutura e o espaço nacional: da integração produtiva à desintegração neoextrativista da nação

Autores

  • Alexandre Mitsuro da Silveira Yassu Universidade Federal do ABC, Programa de Pós-Graduação em Planejamento e Gestão do Território, Santo André, SP, Brasil https://orcid.org/0000-0002-7086-6534
  • Jeroen Johannes Klink Universidade Federal do ABC, Programa de Pós-Graduação em Planejamento e Gestão do Território, Santo André, SP, Brasil https://orcid.org/0000-0001-6264-001X

DOI:

https://doi.org/10.22296/2317-1529.rbeur.202405pt

Palavras-chave:

Infraestrutura, Financeirização, Commodities, Desenvolvimento Nacional, Planejamento Regional, Neoextrativismo

Resumo

A promoção de recortes espaciais competitivos ligados aos setores primários- exportadores, aqui chamados de neoextrativista, nas últimas cinco décadas tem promovido uma reestruturação do espaço nacional, gerando uma tendência à fragmentação da nação. Neste artigo, contribuímos com uma leitura crítica e atualizada do processo de fragmentação da nação, a partir da compreensão de como o Estado, a infraestrutura, as finanças e o neoextrativismo articulam-se no desenvolvimento capitalista em geral e no Brasil, revelando novas dinâmicas e estruturas de controle do território e de extração de riqueza. Os agentes ligados a estas dinâmicas e estruturas formam uma coalizão desintegradora neoextrativista que atua na manutenção e aprofundamento das atividades primário-exportadoras, reforçando as tendências de fragmentação da nação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Mitsuro da Silveira Yassu, Universidade Federal do ABC, Programa de Pós-Graduação em Planejamento e Gestão do Território, Santo André, SP, Brasil

Arquiteto e Urbanista pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU/USP) 2010, mestrado pelo Instituto de Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IPPUR/UFRJ) 2019 e doutorando da Pós-graduação em Planejamento e Gestão Territorial da Universidade Federal do ABC (PGT/UFABC).

Jeroen Johannes Klink, Universidade Federal do ABC, Programa de Pós-Graduação em Planejamento e Gestão do Território, Santo André, SP, Brasil

Graduação e mestrado em Economia pela Universidade de Tilburg (Holanda, 1987) e doutorado em Planejamento Urbano pela Universidade de São Paulo (2000).

Referências

ANDREUCCI, D.; LAMARCA, M. G.; WEDEKIND; J.; SWYNGEDOUW, E. “Value Grabbing”: A Political Ecology of Rent. Capitalism Nature Socialism, v. 28, n. 3, p. 28-47, 2017.

ARAUJO, T. B. Dinâmica Regional Brasileira: rumo à desintegração competitiva? In: OLIVEIRA, M. A. G. de. (org.). Política e Contemporaneidade no Brasil. Recife: Bagaço, 1997, p. 245-298.

BRANDÃO, C. A. Crise e rodadas de neoliberalização: impactos nos espaços metropolitanos e no mundo do trabalho no Brasil. Cadernos Metrópole, v. 19, n. 38, p. 45-69, jan. 2017.

BRASIL. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 22 de junho de 1993; retificado em 6 de julho de 1994.

BRASIL. Ministério da Administração Federal e da Reforma do Estado. Ministério de Minas e Energia. Lei 9.074 de 07 de julho de 1995. Estabelece normas para outorga e prorrogações das concessões e permissões de serviços públicos e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 08 de julho de 1995, p. 10125.

BRASIL. Ministério do Planejamento e Orçamento. Lei 9.276, de 9 de maio de 1996. Dispõe sobre o Plano Plurianual para o período de 1996-1999 e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, seção 1, 10 de maio de 1996. 1996a

BRASIL. Lei Complementar 87 de 13 de setembro de 1996. Dispõe sobre o imposto dos Estados e do Distrito Federal sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 16 de setembro de 1996. 1996b

BRASIL. Lei Complementar 101 de 04 de maio de 2000. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 05 de maio de 2000.

BRASIL. Lei 11.079, 30 de dezembro de 2004. Institui normas gerais para licitação e contratação de parceria público-privada no âmbito da administração pública. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 31 de dezembro de 2004, p. 6.

BRASIL. Decreto 6.025, 22 de janeiro de 2007. Institui o Programa de Aceleração do Crescimento - PAC, o seu Comitê Gestor, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 22 de janeiro de 2007. 2007a

BRASIL. Decreto 6.047, 22 de fevereiro de 2007. Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Regional - PNDR e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 de fevereiro de 2007. 2007b

BRASIL. Lei 12.431, 24 de junho de 2011. Dispõe sobre a incidência do imposto sobre a renda nas operações que especifica; altera as Leis nº 11.478, de 29 de maio de 2007, 6.404, de 15 de dezembro de 1976, 9.430, de 27 de dezembro de 1996, 12.350, de 20 de dezembro de 2010, 11.196, de 21 de novembro de 2005, 8.248, de 23 de outubro de 1991, 9.648, de 27 de maio de 1998, 11.943, de 28 de maio de 2009, 9.808, de 20 de julho de 1999, 10.260, de 12 de julho de 2001, 11.096, de 13 de janeiro de 2005, 11.180, de 23 de setembro de 2005, 11.128, de 28 de junho de 2005, 11.909, de 4 de março de 2009, 11.371, de 28 de novembro de 2006, 12.249, de 11 de junho de 2010, 10.150, de 21 de dezembro de 2000, 10.312, de 27 de novembro de 2001, e 12.058, de 13 de outubro de 2009, e o Decreto-Lei nº 288, de 28 de fevereiro de 1967; institui o Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento de Usinas Nucleares (Renuclear); dispõe sobre medidas tributárias relacionadas ao Plano Nacional de Banda Larga; altera a legislação relativa à isenção do Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante (AFRMM); dispõe sobre a extinção do Fundo Nacional de Desenvolvimento; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 27 de junho de 2011.

BRASIL. Emenda Constitucional n. 95, 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília DF, 16 de dezembro de 2016, p. 2.

BRASIL. Lei nº 13.529, de 4 de dezembro de 2017. Dispõe sobre a participação da União em fundo de apoio à estruturação e ao desenvolvimento de projetos de concessões e parcerias público-privadas; altera a Lei nº 11.079, de 30 de dezembro de 2004, que institui normas gerais para licitação e contratação de parceria público-privada na administração pública, a Lei nº 11.578, de 26 de novembro de 2007, que dispõe sobre a transferência obrigatória de recursos financeiros para a execução pelos Estados, Distrito Federal e Municípios de ações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), e a Lei nº 12.712, de 30 de agosto de 2012, que autoriza o Poder Executivo a criar a Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias S.A. (ABGF). Diário Oficial da União, Brasília DF, 05 de dezembro de 2017, p. 1.

BRASIL. Lei Complementar nº 179 de 24/02/2021. Presidência da República, Secretaria-Geral, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Define os objetivos do Banco Central do Brasil e dispõe sobre sua autonomia e sobre a nomeação e a exoneração de seu Presidente e de seus Diretores; e altera artigo da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964. Diário Oficial da União, Brasília DF, nº 37, de 25 de fevereiro de 2021.

BRENNER, N. New State Spaces: Urban Governance and the Rescaling of Statehood. Oxford University Press, 2004. Doi: 10.1093/acprof:oso/9780199270057.001.0001. [Collection: Oxford Scholarship Online].

CARDOSO, A.; JAENISCH, S. Fundo público e investimentos em infraestrutura no Brasil: Uma análise da participação do FI-FGTS durante os governos Lula e Dilma (2007-2017). In: Seminário Internacional Finanças na Produção Imobiliária e de Infraestruturas: novos processos espoliativos nas cidades latino-americanas, 2019. São Paulo. Caderno de Resumos SEFIIAL. São Paulo: SEFIIAL, 2019.

COWEN, D. The Deadly Life of Logistics: Mapping Violence in Global Trade. University of Minnesota Press. International Political Sociology Book Award, International Studies Association. 2014.

DANYLUK, M. Capital’s logistical fix: Accumulation, globalization, and the survival of capitalism. Environment and Planning D: Society and Space, v. 36, n. 4, p. 630-647, 2018.

VILLA HERVÁS, I. La producción del espacio social en la Amazonía brasileña a través de las represas hidroeléctricas: El caso del conflicto de Belo Monte. Relaciones Internacionales, Madrid, n. 45, p. 185-204. 2020. Doi: 10.15366/relacionesinternacionales2020.45.008

DUTRA, J. C.; SAMPAIO, P. R. P. 20 anos de concessões em infra-estrutura no Brasil. FGV. 2017.

EPL. EMPRESA DE PLANEJAMENTO E LOGÍSTICA E MINISTÉRIO DE INFRAESTRUTURA. Relatório Executivo PNL 2025. 2021. Disponível em: https://portal.epl.gov.br/plano-nacional-de-logistica-pnl. Acessado em: mar. 2022.

EPL. EMPRESA DE PLANEJAMENTO E LOGÍSTICA E MINISTÉRIO DE INFRAESTRUTURA. Relatório Executivo PNL 2035. 2021. Disponível em: https://portal.epl.gov.br/plano-nacional-de-logistica-2035. Acessado em: fev. 2021.

FOBRASEP. FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2022. Ano 16. Disponível em: https://forumseguranca.org.br/anuario-brasileiro-seguranca-publica/. 2022

GUDYNAS, E. Diez tesis urgentes sobre el nuevo extractivismo: contextos y demandas bajo el progresismo sudamericano actual. In: SCHULDT, J.; ACOSTA, A.; BARANDIARÁN, A.; BEBBINGTON, A.; FOLCHI, M.; CEDLA – Bolivia; ALAYZA, A.; GUDYNAS, E. Extractivismo, Política y Sociedad. Quito, Ecuador: Centro Andino de Acción Popular; Centro Latinoamericano de Ecología Social. p. 187-225. 2009. [Serie Cuadernos de Capacitación].

HARVEY, D. Os limites do capital. Tradução de Magda Lopes. São Paulo: Boitempo. 2013.

JARDIM, M. C.; SILVA, M. R. Programa de aceleração do crescimento (PAC): neodesenvolvimentismo? São Paulo: Editora Unesp. 199 p. 2015.

LAPAVITSAS, C. Financialised capitalism: crisis and financial expropriation. Historical Materialism, v. 17, p. 114-148. 2009. Doi:10.1163/156920609X436153

LENCIONI, S. Reestruturação Urbano-Industrial: centralização do capital e desconcentração da metrópole de São Paulo, a indústria têxtil. 1991. Tese de Doutorado - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1991. Doi: 10.11606/T.8.1991.tde-05052023-114026.

LEITÃO, K. O. A dimensão territorial do Programa de Aceleração do Crescimento: um estudo sobre o PAC no Estado do Pará e o lugar que ele reserva à Amazônia no desenvolvimento do país. 2009. Tese (Doutorado em Planejamento Urbano e Regional) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

MARINI, R. M. Procesos y tendencias de la globalización capitalista. In: MARINI, R. M. América Latina, dependencia, y globalización. Bogotá: CLACSO, Siglo del Hombre Editores. 292 p. [1997] 2008. [Compilador: Carlos Eduardo Martins].

MEZZADRA, S.; NEILSON, B. On the Mutiple frontiers of extraction: excavating contemporary capitalism. Cultural Studies, v. 31, n. 2-3, p. 185-204. 2017.

MICHELOTTI, F.; SIQUEIRA, H. Financeirização das commodities agrícolas e economia do agronegócio no Brasil: notas sobre suas implicações para o aumento dos conflitos pela terra. Semestre Economico, v. 22, n. 50, p. 87-106. 2019. Doi: 10.22395/seec.v22n50a5.

MTPA. MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES, PORTOS E AVIAÇÃO CIVIL. Corredores Logísticos Estratégicos: Complexo de Soja e Milho. Brasília: MTPA, 2017.

O’NEILL, P. The financialization of urban infrastructure: A framework of analysis. Urban Studies, v. 56, n. 7, p. 1.304-1.325. 2019.

PACHECO, C. A. Fragmentação da Nação. Campinas, SP: Unicamp/IE, 1998.

PAULANI, L. Acumulação sistêmica, poupança externa e rentismo: observações sobre o caso brasileiro. Estudos Avançados, São Paulo, v. 27, n. 77, 2013.

PAULANI, L. Dependency 4.0: Theoretical Considerations and the Brazilian Case. Latin American Perspectives, v. 49, n. 2, p. 24-38. 2021.

PECI, A.; SOBRAL, F. A. Parcerias Público-Privadas: análise comparativa das experiências britânica e brasileira. Cadernos EBAPE.BR, v. 5, n. 2, p. 01-14. 2007.

ROYER, L. O. Financeirização da política habitacional: limites e perspectivas. 2009. Tese (Doutorado em Habitat) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

RUFINO, B. Privatização e financeirização de infraestruturas no Brasil: agentes e estratégias rentistas no pós-crise mundial de 2008. URBE – Revista Brasileira de Gestão Urbana [online], v. 13. 2021. Doi: 10.1590/2175-3369.013.e20200410.

STROHER, L.; ALTAVINI, M.; YASSU, A.; KLINK, J.; CUNHA, L. F. Infraestruturas de papel: novos instrumentos de financeirização do espaço. Scripta Nova. Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales. v.26, n. 2. 2022. Doi: 10.1344/sn2022.26.35245.

SVAMPA, M. Commodities Consensus: Neoextractivism and Enclosure of the Commons in Latin America. South Atlantic Quarterly, v. 114, n. 1, p. 65-82, 2015. Doi: 10.1215/00382876-2831290

TAVARES, M. C. Império, Território e Dinheiro. In: FIORI, J. L. (org.). Estados e Moedas. Editora Vozes: Rio de Janeiro, 1999. p. 449-489

Publicado

2024-03-02

Como Citar

Yassu, A. M. da S., & Klink, J. J. (2024). Finanças, infraestrutura e o espaço nacional: da integração produtiva à desintegração neoextrativista da nação. Revista Brasileira De Estudos Urbanos E Regionais, 26(1). https://doi.org/10.22296/2317-1529.rbeur.202405pt

Edição

Seção

Dossiê Neoextrativismo e autoritarismo