A concepção de desenvolvimento nos quatro momentos de implementação do complexo industrial portuário de Suape (1955 a 2015) | The concept of development in the four moments of implementing the Suape port-industrial complex (1955 to 2015)

Rafael Gonçalves Gumiero

Resumo


O Complexo Industrial Portuário de Suape (CIPS) possui uma longa trajetória de experiências para o planejamento regional. Os objetivos deste artigo são: primeiro, compreender se houve mudança no repertório do conceito de desenvolvimento dos planos institucionais do CIPS, de 1955 a 2015; segundo, se houve equilíbrio entre os investimentos do governo federal e de Pernambuco na área econômica e social aplicados no território estratégico de Suape, nos anos 2003 a 2015. A metodologia utilizada foi realizada em dois movimentos: (1) a análise do discurso institucional dos documentos do CIPS e dos PPAs do governo federal e de Pernambuco; (2) o balanço de dados de investimentos do programa de aceleração do crescimento (PAC) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) subjacente aos indicadores socioeconômicos dos municípios que compõem o território estratégico de Suape. Conclui-se que a concepção de desenvolvimento do governo federal está limitada pela estratégia de investimento setorial, do PAC e do BNDES, nos segmentos de petróleo e gás, centralizados no eixo de energia de Suape e houve polarização de gastos do governo federal em empreendimentos em Ipojuca e Cabo de Santo Agostinho nos anos de 2007 a 2015. 


Palavras-chave


Complexo Industrial Portuário de Suape; desenvolvimento setorial; Programa de Aceleração do Crescimento, polarização, pontos estratégicos.

Referências


BARBALHO, E. R. Suape: ideia de um porto industrial para o Nordeste e para Amazônia. Recife: Secretária de Coordenação Geral, 1974.

BRANDÃO, C. A. Descentralização enquanto modo de ordenamento espacial do poder e de reescalonamento territorial do Estado: trajetória e desafios para o Brasil. In: DALLABRIDA, V. R. (org). Governança territorial e desenvolvimento: descentralização político-administrativa, estruturas subnacionais de gestão do desenvolvimento e capacidades estatais. Rio de Janeiro: Garamond, 2011. Pp. 115-136.

BRASIL. Plano plurianual 2008-2011: projeto de lei / Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos. Brasília: MP, 2007.

______. Relatório de Avaliação: Avaliação do Plano Plurianual Volume I - Tomo I Exercício 2008 Ano Base 2007 Plano Plurianual 2004-2007. Brasília, 2008.

______. Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2007-2010. Ano 4, 11º Balanço Brasília: Comitê Gestor do Programa de Aceleração do Crescimento, Presidência da República, 2010.

_____ Relatório Anual de Avaliação do PPA 2012-2015: ano base 2013. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos. Brasília: SPI/MP, 2013.

______. Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2) 2011-2014. Ano 4, 10º Balanço Brasília: Comitê Gestor do Programa de Aceleração do Crescimento, Presidência da República, 2014a.

______. Programa do Crescimento Econômico (PAC2) Pernambuco 2011-2014. Ano 4. 9º Balanço. Brasília: Comitê Gestor do Programa de Aceleração do Crescimento, Presidência da República, 2014b.

______. Programa do Crescimento Econômico. 1º Balanço. Brasília: Comitê Gestor do Programa de Aceleração do Crescimento, Presidência da República, 2015.

______. Programa do Crescimento Econômico 2015-2018. 3º Balanço. Brasília: Comitê Gestor do Programa de Aceleração do Crescimento, Presidência da República, 2016a.

______. Programa do Crescimento Econômico 2015-2018 Pernambuco. 3º Balanço. Brasília: Comitê Gestor do Programa de Aceleração do Crescimento, Presidência da República, 2016b.

CEPÊDA, V. A. Inclusão, democracia e novo-desenvolvimentismo – um balanço histórico. Revista Estudos avançados 26 (75), 2012. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142012000200006

GOVERNO PERNAMBUCO e PROJETEC & PLANAVE. Plano Diretor de Suape Diagnóstico Situacional. Empresa Complexo Industrial Portuário de Suape, 2009.

______. Novo plano diretor: Suape 2030. Empresa Complexo Industrial Portuário, 2011.

GUIMARÃES, P. F et al. (coord). Atuação do BNDES na Região Nordeste. In: GUIMARÃES, P. F; AGUIAR, R. A; LASTRES, H. M. M; SILVA, M. M. Um olhar territorial para o desenvolvimento Nordeste. Rio de Janeiro: BNDES, 2014, Pp. 50-68.

HIRSCHMAN, A. Estratégia do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro, RJ: Fundo de Cultura, 1961.

LEBRET, L. J. Desenvolvimento e Implantação de Indústrias Interessando a Pernambuco e ao Nordeste. Série Planificação Econômica III. Comissão de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco. Recife, 1955.

OLIVEIRA, F. Problemas de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco. Comissão de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco. Recife, 1959.

MONTEIRO NETO, A.; VERGOLINO, J. R.; SANTOS, V. M. Capacidades governativas no ambiente federativo nacional: Pernambuco (2000-2012). IPEA, 2015.

PERNAMBUCO. O Gôverno de Pernambuco 1967-1970: programas e realizações. Recife, 1971.

______. Suape Complexo Industrial e Portuário. Secretaria Extraordinária para Assuntos a Implantação do Complexo Industrial-Portuário de Suape (SEAS). Editora Gráfica e Papelaria Star, sine loco, março de 1980.

______. O complexo industrial portuário de Suape: relações interindustriais e oportunidades de investimento Secretaria Extraordinária para Assuntos a Implantação do Complexo Industrial-Portuário de Suape (SEAS), Instituto de Desenvolvimento de Pernambuco (CONDEPE). Recife, 1982.

______. Plano Plurianual do Estado 2008-2011. Recife: Secretaria de Planejamento e Gestão (SEPLAG). 2007.

______. Plano Plurianual do Estado 2012-2015. Anexo I. Recife, 2011. POMPEU, A. B. Análise Crítica do Relatório do Dr. H. W. Singer Sobre o Nordeste. In: Singer, Hans W. Estudo sobre o desenvolvimento econômico do nordeste. Recife: Comissão de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, 1962.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2018v20n1p32

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                               


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia