O lugar do regional na indústria do petróleo

  • Rosélia Périssé da Silva Piquet Planejamento Regional e Gestão de Cidades da Universidade Candido Mendes/Campos; Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Palavras-chave: indústria de petróleo, investimentos petrolíferos, impactos regionais, Norte Fluminense, efeitos multiplicadores.

Resumo

O presente texto tem o propósito de discutir uma questão candente do debate energético da atualidade: um país seria abençoado por dispor de ricas reservas de petróleo e gás ou as fartas rendas provenientes de sua exploração produziriam uma espécie de “maldição” por limitarem a expansão de outros setores produtivos? A avaliação dos impactos dessa indústria é complexa, por existirem profundas distinções entre os processos de mudança que é capaz de provocar no plano nacional ou nas áreas em que se localiza. O texto é centrado na análise das fases de exploração e produção, onde ocorrem os maiores investimentos e se registram os mais significativos efeitos multiplicadores dessa indústria, tendo como referência o caso brasileiro. Existindo ainda no Brasil a peculiaridade das principais ocorrências serem na plataforma continental marítima, com marcada concentração da produção na Bacia de Campos, os impactos regionais da indústria são analisados tomando-se o caso da região Norte Fluminense como base empírica de referência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CAETANO FILHO, E. “O papel da pesquisa nacional na exploração e explotação petrolífera da margem continental na Bacia de Campos”. In: PIQUET, R. (Org.). Petróleo, Royalties e Região. Rio de Janeiro: Garamond, 2003. p. 39-94.

CRUZ, J. L. V. Relatório de Pesquisa. Análise e Avaliação sobre o Fundo de Desenvolvimento de Campos dos Goytacazes. Campos dos Goytacazes: 2007. Circulação restrita.

PETROBRAS. Pré-Sal. Essa História Está Só Começando. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2011.

PINTO J.; QUEIROZ, H. et al. Economia da energia: fundamentos econômicos, evolução histórica e organização industrial. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. 343p.

PIQUET, R. “Indústria do petróleo e dinâmica regional: reflexões teórico-metodológicas”. In: PIQUET, R.; SERRA, R. (Orgs.). Petróleo e Região no Brasil: o desafio da abundância. Rio de Janeiro: Garamond, 2007. p. 15-34.

PIQUET, R. Mar de Riqueza, Terras de Contrastes: o petróleo no Brasil. (Org.). Rio de Janeiro: Mauad/Faperj, 2011. 224p.

PUGA, F.; BORÇA JÚNIOR., G. Perspectiva de investimentos na indústria 20112014. Visão do Desenvolvimento, BNDES, n. 91, fev. 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2011.

RAPPEL, E. “A exploração econômica do pré-sal e os impactos sobre a indústria brasileira de petróleo”. In: PIQUET, R. (Org.). Mar de Riqueza, Terras de Contrastes: o Petróleo no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad, 2011. p. 49-78.

SANT’ANNA, A. A. Brasil é a principal fronteira de expansão do petróleo no mundo. Visão do Desenvolvimento, BNDES, n. 87, out. 2010. Disponível em: . Acesso em: 11 maio 2011.

SERRA, R. “O novo marco regulatório do setor petrolífero brasileiro: dádiva ou maldição?” In: PIQUET, R. (Org.). Mar de Riqueza, Terras de Contrastes: o Petróleo no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad, 2011. p. 141-160.

Publicado
2012-05-31
Seção
O Lugar e os Desafios das Políticas Setoriais