Verticalização e permeabilização do solo urbano nos setores censitários de Belo Horizonte/MG | Verticalization and soil sealing in the census tracts of Belo Horizonte/MG

  • Carlos Lobo UFMG
  • Diego Ferreira Fonseca Prefeitura Municipal de Belo Horizonte
  • Ricardo Alexandrino Garcia UFMG

Resumo

Resumo: Nas últimas décadas, a discussão sobre a forma/densidade de ocupação e a qualidade ambiental do espaço urbano ganhou ampla repercussão no cenário político e na mídia internacional. Por sua vez, a relação específica entre a verticalização construtiva e o nível de impermeabilização do solo tem sido objeto de recorrentes debates e controvérsias na literatura acadêmica. Embora a influência positiva de áreas permeáveis na qualidade do ambiente urbano pareça consensual, sobretudo no que diz respeito às dinâmicas atmosférica e hídrica, tem-se a necessidade de produção de informações mais precisas, detalhadas e úteis para a tomada de decisão na esfera política e no âmbito do planejamento territorial, especialmente naquele sob competência do poder público. A partir de técnicas de geoprocessamento e métodos de estatística inferencial e espacial, este artigo tem como objetivo avaliar a relação entre a verticalização construtiva e o nível de impermeabilização do solo urbano, tendo como unidade de análise os setores censitários do município de Belo Horizonte/MG em 2000. Considerando os resultados do modelo de regressão linear local, não foram observados níveis significativos de determinação da impermeabilização do solo, em função dos valores de altura das edificações. Destaque-se, contudo, que os clusters identificados com alto nível de verticalização corresponderam exatamente àqueles com maiores níveis de impermeabilização.

Palavras-Chave: verticalização; permeabilização do solo urbano; Belo Horizonte.

 

Verticalization and soil sealing  in the census tracts of Belo Horizonte/MG

Abstract: In the last decades, the discussion about the shape, the land occupation density in the cities and the environmental quality of urban spaces gained wide repercussions in the political scenario and international media. However, the relationship between the vertical expansion and the soil sealing level has been subject of recurring debate and controversy in the academic literature. Despite the fact the positive influence of permeable areas in urban environment quality seems consensual especially regarding the atmospheric and water dynamics, it is necessary to produce more accurate and detailed information, which are useful to decision-making in politics and territorial planning, especially the one under government jurisdiction. This paper is based on geo-referenced data, spatial statistics and inferential techniques. Therefore, we aim to analyze the influence of the concentration of vertical constructions and their relation to soil sealing, taking as an example the city of Belo Horizonte/MG. In general, considering the results of the linear regression model, it was not observed significant levels of determination of soil sealing, given the height values of the constructions. It is noteworthy, however, that the identified clusters that showed a high level of verticalization correspond exactly to those with higher levels of sealing soil.

Keywords: vertical; permeabilization of urban land; Belo Horizonte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Lobo, UFMG
Doutor em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Bolsista do Programa Pesquisador Mineiro da FAPEMIG. Atualmente é professor adjunto e chefe do Departamento de Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais. É credenciado nos Programas de Pós-Graduação em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais e em Geografia, ambos do Instituto de Geociências da UFMG. É editor chefe da Revista Geografias, uma publicação do Programa de Pós-Graduação e do Departamento de Geografia da UFMG. A atuação está concentrada na área de Geografia Humana, notadamente em Geografia da População, Migrações e Geografia Urbana.
Diego Ferreira Fonseca, Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Mestre em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais na Universidade Federal de Minas Gerais. Técnico em Planejamento Urbano, Analista em Geoprocessamento na Secretaria Municipal Adjunta de Planejamento Urbano (SMAPU) da Prefeitura de Belo Horizonte.

Ricardo Alexandrino Garcia, UFMG
Ricardo Alexandrino Garcia é professor adjunto do departamento de Geografia do Instituto de Geociências (IGC) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e coordena, desde 2010, o Laboratório de Estudos Territoriais (LESTE/IGC/UFMG); é o atual Coordenador do Programa de Pós-graduação em Geografia e, entre 2013 e 2015, sub-coordenou o programa de Pós-graduação em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais, ambos do IGC/UFMG; possui mestrado e doutorado em Demografia pela UFMG e experiência de pesquisa em: projeção populacional, com ênfase nos modelos de componentes da dinâmica demográfica e de pequenas áreas; distribuição espacial da população, movimentos populacionais e migração; geografia regional, métodos de análise regional e desenvolvimento econômico; geografia aplicada, distribuição espacial das atividades econômicas e regionalização; teoria e métodos quantitativos, modelos estocásticos, multivariados e espaciais, e modelagem de sistemas, geoprocessamento e modelos espacialmente explícitos. Vem publicando e orientando, ultimamente, diversos trabalhos acadêmicos nas áreas da Demografia, Economia Regional, Geografia Econômica, Planejamento Urbano e Regional e Ciências Ambientais.
Publicado
2015-12-20