Cotidiano, imprensa e política: a construção simbólica da cidade de Goiânia por intermédio do jornal O Popular

Autores

  • George Leonardo Seabra Coelho Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-graduação em História das Populações Amazônicas (PPGHispam), Porto Nacional, TO, Brasil https://orcid.org/0000-0002-3166-4008

DOI:

https://doi.org/10.22296/2317-1529.rbeur.202143

Palavras-chave:

Cidade, Notícia, Propaganda, Representação, Estado Novo

Resumo

Este artigo discute a relação entre a imprensa e o espaço urbano na construção simbólica da cidade de Goiânia. O estudo se detém no período entre a criação do jornal O Popular até a inauguração oficial da cidade, em 1942. Para tanto, faz-se um breve retrospecto da ascensão política de Pedro Ludovico Teixeira, contemplando o projeto de transferência da capital de Goiás e a criação de O Popular. Destaca-se como esse diário inseriu o leitor nas opções de lazer no novo espaço urbano e na promoção do Batismo Cultural. Por último, apresenta-se como o diário noticiou a “campanha pró-bandeirante” como estratégia de aproximação simbólica entre a nova capital e o projeto estado-novista. Como se verá, esse jornal cumpriu dois papéis no cotidiano da cidade de Goiânia: i) como órgão noticioso das dinâmicas da nova cidade e ii) como órgão de propaganda política de alinhamento das elites locais em torno do projeto modernizador do Estado Novo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

George Leonardo Seabra Coelho, Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-graduação em História das Populações Amazônicas (PPGHispam), Porto Nacional, TO, Brasil

Bacharel e licenciado em História pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Mestre e doutor em História pela mesma instituição. Pós-doutor em História pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) e pela UFG. Professor adjunto da Universidade Federal do Tocantins (UFT), pertencente ao quadro permanente do Programa de Pós-graduação em História das Populações Amazônicas (PPGHispam). É líder do Grupo de Pesquisa CNPq em Mídias, Tecnologias e História (Mitechis). Atualmente realiza estágio de pós-doutoramento no Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE) na UFT.

Referências

ARANHA, O. Homenagem. O Popular, Goiânia, p. 4, 23 jun. 1942.

ARRAIS, T. A. A produção do território goiano – economia, urbanização, metropolização. Goiânia: Ed. da UFG, 2013.

CÂMARA JR., J. 50 anos de O Popular. O Popular, Goiânia, p. 4, 6 ago. 1988.

CAMPANHA pró-bandeirante. O Popular, Goiânia, p. 2, 28 jun. 1938.

CAMPINAS. O Popular, Goiânia, p. 30, 10 jul. 1938.

CAPELATO, M. H. R. Multidões em cena. Propaganda política no varguismo e no peronismo. Campinas: Papirus, 1998. 310p.

CARNAVAL de 1939. O Popular, Goiânia, p. 4, 26 fev. 1939.

CHAUL, N. F. A construção de Goiânia e a transferência da capital. Goiânia: UFG, 1999.

COELHO, G. L. S. O bandeirante que caminha no tempo: apropriações do poema “Martim Cererê” e o pensamento político de Cassiano Ricardo. 2015. 346 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.

DOAÇÕES para a campanha pró-bandeirante. O Popular, Goiânia, p. 1, 21 ago. 1938.

EDITORIAL. O Popular, Goiânia, p. 1, 9 jul. 1942.

FERRAZ, H. Cidade e vida. São Paulo: Scortecci, 1996.

INAUGURAÇÃO oficial. O Popular, Goiânia, p. 1, 29 jan. 1942.

JÓQUEI Clube. O Popular, Goiânia, p. 2, 30 jul. 1942.

HOBSBAWN, E.; RANGER, T. A invenção da tradição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997. 149p.

LUCA, T. R. de. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, C. B. (org.). Fontes históricas. 2ª ed. São Paulo: Contexto, 2008. v. 1, p. 111-153.

MACHADO, M. Pedro Ludovico: um tempo, um carisma, uma história. Goiânia: UFG, 1990.

MARCONDES FILHO, C. O capital da notícia. São Paulo: Ática, 1989

NORA, P. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Tradução: Yara Aun Khoury. In: Projeto história. Revista do Programa de Estudos Pós-graduados em História do Departamento de História da PUC-SP, São Paulo, p. 7-22, 1981.

NOTÍCIAS sobre a inauguração de Goiânia. O Popular, Goiânia, p. 4, 23 jul. 1942.

PALACIN, L. História de Goiás. 6ª ed. Goiânia: UCG, 1994.

PREPARATIVOS para a inauguração. O Popular, Goiânia, p. 2, 12 fev. 1942.

PREPARATIVOS para a inauguração. O Popular, Goiânia, p. 3, 14 jun. 1942.

REMODELAÇÃO de Campinas. O Popular, Goiânia, p. 1, 12 maio 1938.

RICARDO, C. Marcha para Oeste: a influência da bandeira na formação social e política do Brasil. São Paulo: José Olympio, 1940. 580 p.

ROCHA, H. Sete décadas de Goiânia. Goiânia: Contato Comunicação, 2003.

ROCHA, D. M. M. SEMINÁRIO NACIONAL DE PESQUISA EM ARTE E CULTURA VISUAL, 5., 2012. Goiânia. Anais [...]. Goiânia: UFG: FAV, 2012. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/778/o/2012-33_A_modernidade.pdf. Acesso em: 15 ago. 2021.

SANTOS, M. Metamorfoses do espaço habitado. São Paulo: Hucitec, 1988.

SILVA, L. S. D. da. Progresso e sertão goiano: a espera. In: BOTELHO, T. (org.). Goiânia: cidade pensada. Goiânia: Ed. da UFG, 2002.

SILVA, J. F. Quando o Anhanguera cruza Goiás: o Monumento aos Bandeirantes na nova capital. 2020. 198 f. (Dissertação de Mestrado) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.

SILVA, J. F.; PINTO, A. M. A. In: ASOCIACIÓN DE ESCUELAS Y FACULTADES PÚBLICAS DE ARQUITECTURA DE AMÉRICA DEL SUR, 2019, Belo Horizonte. Anais eletrônicos [...]. Campinas, Galoá, 2019. A dimensão simbólica do espaço urbano: os monumentos e a memória social de uma cidade planejada. Disponível em: https://proceedings.science/arquisur-2019/papers/a-dimensao-simbolica-do-espaco-urbano--os-monumentos-e-a-memoria-social-de-uma-cidade-planejada?lang=pt-br. Acesso em: 15 ago. 2021.

SOARES, F. de M. Telegrama. O Popular, Goiânia, p. 3, 22 jan. 1942.

SODRÉ, N. W. História da imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

SORVETERIA Vera Cruz. O Popular, Goiânia, p. 3, 1º maio 1938.

SOUZA, C. V. Batismo cultural de Goiânia: um ritual da nacionalidade em tempos de Marcha para Oeste. In: BOTELHO, T. R. et al. Goiânia: cidade pensada. Goiânia: Ed. da UFG, 2002. p. 71-102.

VARGAS, G. Cruzada Rumo ao Oeste. In: GUASTINI, R. O ideário político de Getúlio Vargas. Rio de Janeiro: Revista dos Tribunais, 1943. p. 149-151

VICTOR, M. Pronunciamento na Rádio Bandeirante. O Popular, Goiânia, p. 2, 19 maio 1938.

Publicado

2021-12-08

Edição

Seção

Artigos - Cidade, História e Cultura