Entre o espaço abstrato e o espaço diferencial: ocupações urbanas em Belo Horizonte | Between abstract space and differential space: urban occupations in Belo Horizonte

  • Camila Diniz Bastos Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Arquitetura, Belo Horizonte, MG
  • Felipe Nunes Coelho Magalhães Universidade Federal de Minas Gerais, Instituto de Geociências, Belo Horizonte, MG
  • Guilherme Marinho Miranda Universidade Federal de Minas Gerais, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Belo Horizonte, MG
  • Harley Silva Universidade Federal de Minas Gerais, Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Belo Horizonte, MG
  • João Bosco Moura Tonucci Filho Universidade Federal de Minas Gerais, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Belo Horizonte, MG
  • Mariana de Moura Cruz Universidade Federal de Minas Gerais, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Belo Horizonte, MG
  • Rita de Cássia Lucena Velloso Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Arquitetura, Belo Horizonte
Palavras-chave: ocupações urbanas, espaço diferencial, produção do espaço, vida cotidiana, Belo Horizonte, Henri Lefebvre

Resumo

O artigo aborda as ocupações urbanas em Belo Horizonte a partir das formulações de Henri Lefebvre sobre a produção do espaço e a vida cotidiana. Ao refletirmos sobre as experiências das ocupações, buscamos enfatizar suas dimensões relacionais e processuais, atentando-nos à sua materialidade e ao seu cotidiano vivido. Para entender em que medida as ocupações podem engendrar diferenciações espaciais, circunscrevemos seu percurso histórico em Belo Horizonte segundo suas dinâmicas e tensões, atentos às especificidades da produção do espaço nas mesmas. Discutimos também as contradições entre o privado e o comum quanto à propriedade da terra, ressaltando os modos pelos quais o espaço abstrato se reafirma nas ocupações. Procuramos ressaltar as ocupações como tensionadas entre o espaço abstrato e o diferencial, como uma prática espacial intermediária entre a dominação e a apropriação: espaço político contraditório, que atualiza o debate sobre a produção do espaço urbano no Brasil contemporâneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BEDÊ, M. C. Trajetória da formulação e implantação da Política Habitacional de Belo Horizonte na gestão da Frente BH Popular – 1993/1996. 2005. 302 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2005. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/MPBB-6YGLGE . Acesso em: 4 abr. 2017.

BLOMLEY, N. K. Unsettling the city: urban land and the politics of property. Londres: Routledge, 2004.

DARDOT, P.; LAVAL, C. Común: ensayo sobre la revolución en el siglo XXI. Barcelona: Editorial Gedisa, 2015.

ESPOSITO, R. Communitas: the origin and destiny of community. Stanford, California: Stanford University Press, 2010.

FREITAS, L. F. V. Do Pro-Favela à Izidora: a luta pelo direito à cidade em Belo Horizonte. 2015. 245 f. Dissertação (Mestrado em Direito) – Faculdade de Direito, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/BUOS-A3XHVA . Acesso em: 4 abr. 2017.

HOLSTON, J. Cidadania insurgente: disjunções da democracia e da modernidade no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 2013.

LEFEBVRE, H. Lógica formal, lógica dialética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975.

LEFEBVRE, H. La production de l’espace. Paris: Anthropos, 2000 [1974].

LEFEBVRE, H. Space: social product and use value. In: BRENNER, N.; ELDEN, S. State, space, world: selected essays. Minneapolis, London: University of Minnesota Press, 2009. p. 185-195.

LIBÂNIO, C. (Org.). Favelas e periferias metropolitanas: exclusão, resistência, cultura e potência. Belo Horizonte: Favela é Isso Aí, 2016.

LOURENÇO, T. C. B. Cidade ocupada. 2014. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Escola de Arquitetura, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/BUOS-9QRGL5 . Acesso em: 4 abr. 2017.

MAGALHÃES, F.; TONUCCI FILHO, J.; SILVA, H. Valorização imobiliária e produção do espaço: novas frentes na RMBH. In: MENDONÇA, J.; COSTA, H. S. (Org.). Estado e capital imobiliário: convergências atuais na produção do espaço urbano brasileiro. Belo Horizonte: C/Arte, 2011. p. 17-40.

MARTINS, J. S. Henri Lefebvre e o retorno à dialética. São Paulo: Hucitec, 1996.

MAYER, J. O comum no horizonte da metrópole biopolítica. 2015. 290 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Escola de Arquitetura, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/handle/1843/MMMD-A7TP7N/dissertacao_joviano.pdf?sequence=1 . Acesso em: 4 abr. 2017.

MORADO NASCIMENTO, D. Outra lógica da prática. In: MORADO NASCIMENTO, D (Org.). Saberes [auto] construídos. Belo Horizonte; Associação Imagem Comunitária, 2016.

MORADO NASCIMENTO, D; LIBÂNIO, C. (Org.). Ocupações urbanas na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Belo Horizonte: Favela é Isso Aí, 2016.

PAULA, J. A. O mercado e o mercado interno no Brasil: conceito e história. Em: História Econômica & História de Empresas, v. 5, n. 1, p. 7-39, 2002.

SILVA, H. Cidades, urbanização, desenvolvimento na Amazônia: notas para uma interpretação lefebvriana. In: COSTA, G. M.; COSTA, H. S. M.; MONTE-MÓR, R. L. M. (Org.). Teorias e práticas urbanas: condições para a sociedade urbana. Belo Horizonte: C/Arte, 2015. p. 317-342.

SOJA, E. Geografias pós-modernas: a reafirmação do espaço na teoria social crítica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

Publicado
2017-04-27
Seção
Artigos