Comércio internacional, estrutura produtiva industrial, emprego e renda nas macrorregiões brasileiras (2004 a 2014) | Foreign Trade, Productive Structures, Employment and Income in the Brazilian macroregions (2004-2014)

  • Soraia Aparecida Cardozo Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de Economia e Relações Internacionais, Uberlândia, MG
Palavras-chave: estrutura produtiva regional, comércio internacional, desenvolvimento regional, emprego, desenvolvimento nacional

Resumo

O artigo analisa as relações entre inserção internacional comercial e estruturas produtivas, emprego e renda das cinco macrorregiões brasileiras. Ele mostra como, no período de 2004 a 2014, o espaço econômico nacional se articulou, de forma heterogênea, à inserção comercial brasileira como exportadora de produtos intensivos em recursos naturais. Foram construídos indicadores regionais com base nos seguintes dados:  comércio exterior; estrutura industrial; emprego e renda. Entre as principais conclusões, destacam-se os seguintes aspectos: as macrorregiões aumentaram as exportações de commodities, com maior intensidade nas regiões Norte, Sudeste e Sul; a inserção comercial se relacionou às mudanças nas estruturas de produção regionais, com aumento da participação das atividades intensivas em recursos naturais na composição do PIB; as atividades exportadoras intensivas em recursos naturais apresentaram baixa capacidade de geração de emprego, sendo que este se concentrou, predominantemente, nas faixas de menor remuneração.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Soraia Aparecida Cardozo, Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de Economia e Relações Internacionais, Uberlândia, MG

mestre e doutora em Desenvolvimento Econômico pela Universidade Estadual de Campinas.  Professora no Instituto de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Uberlândia.

Referências

ARAÚJO, T. B. de (2013). Tendências do Desenvolvimento Regional Recente no Brasil. In BRANDÃO, C. A. & SIQUEIRA, H. (orgs.). Pacto Federativo, Integração Nacional e Desenvolvimento Regional. São Paulo: Editora Perseu Abramo, 2013. Pp. 39-51

BASTOS, P. P. Z. Austeridade para quem? A crise global do capitalismo neoliberal e as alternativas no Brasil. Texto para Discussão. Campinas: UNICAMP/IE, n°257, 2015.

BRASIL. Secretaria de Comércio Exterior, Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (SECEX/MIDIC). Balança Comercial Brasileira, Unidades da Federação. Disponível em: <http://www.mdic.gov.br/index.php/comercio-exterior/estatisticas-de-comercio-exterior/balanca-comercial-brasileira-unidades-da-federacao>. Acesso: novembro de 2016.

CANO, W. Novas Determinações Sobre as Questões Regional e Urbana após 1980. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais. v. 13, n. 2, novembro de 2011. Pp. 27-54 http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2011v13n2p27

CARNEIRO, R. Impasses do desenvolvimento brasileiro: a questão produtiva. Texto para Discussão. Campinas: UNICAMP/IE, nº153, 2008.

CARVALHO, D. F.; CARVALHO, A. C. Desindustrialização e reprimarização da economia brasileira contemporânea num contexto de crise financeira global: conceitos e evidências. Revista Economia Ensaios, Uberlândia (MG), 26 (1), p. 35-64, Jul./Dez. 2011. Disponível em: <http://www.seer.ufu.br/index.php/revistaeconomiaensaios/article/view/17548/12179> Acesso em: maio em 2017.

CHARNOCK, G.; STAROSTA, G. [Eds]. The New International Division of Labour: Global Transformation and Uneven Development. London: Palgrave Macmillan. (International Political Economy Series). 2016. Kindle.

DELGADO, G. Especialização Primária como limite ao desenvolvimento. Desenvolvimento em Debate. Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, janeiro-abril e maio-agosto, 2010. Disponível em: <http://www.agroecologia.org.br/files/importedmedia/especializacao-primaria-como-limite-ao-desenvolvimento.pdf> Acesso em: maio de 2017

DELGADO, G. C. Do capital financeiro na agricultura à economia do agronegócio: mudanças cíclicas em meio século (1965-2012). Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2012.

GONÇALVES, R. Nacional-desenvolvimentismo às Avessas. Anais do I Circuitos de Debate Acadêmico. Brasília: IPEA, 2011.

HARVEY, D. O novo imperialismo. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

HARVEY, D. Seventeen Contradictions and the End of Capitalism. Great Britain: Profile Books Ltd. 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), microdados de 2004 a 2014. https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2015/microdados. Acesso em novembro de 2016.

MACEDO, F. M. Inserção Externa e Território: impactos do comércio exterior na dinâmica regional urbana e regional do Brasil (1989-2008). Campinas: IE-UNICAMP, Tese de Livre Docência, 2010a.

______________. Inserção Comercial externa e dinâmica territorial no Brasil. Redes. Santa Cruz do Sul, v. 15, n. 3, p. 89-114, set./dez., 2010b.

______________. Inserção comercial externa e dinâmica territorial no Brasil: especialização regressiva e desconcentração produtiva regional. Informe Gepec. Toledo, v. 15, n. 1, p. 82-98, jan./jun., 2011.

MAIA, A. G.; SAKAMOTO, C. S. A nova configuração do mercado de trabalho agrícola brasileiro. In: BUAINAIN, A. M.; ALVES, E.; SILVEIRA, J. M.; NAVARRO, Z. [Eds técnicos]. O Mundo Rural no Brasil no Século 21: a formação de um novo padrão agrário e agrícola. Brasília: Embrapa, 2014. 1182p.

MOREIRA, C. A. L.; MAGALHÃES, E. S. Um novo padrão exportador de especialização produtiva? Considerações sobre o caso brasileiro. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política. São Paulo, n. 38, junho de 2014. Disponível em: <http://www.revistasep.org.br/index.php/SEP/article/view/56/93> Acesso em: maio de 2017.

NASCIMENTO, C. A.; CARDOZO, S. A.; CUNHA, S. F.. Reprimarização ou Dependência Estrutural de Commodities: o debate em seu devido lugar. Anais do XIV Encontro Nacional de Economia Política (ENEP), São Paulo, 2009.

PIRES, M. C. O lugar da periferia na nova economia mundial. Cadernos de Estudos Culturais, Campo Grande, MS, v. 4, n. 8, p. 123 – 138, jul./dez. 2012. Disponível em: <https://alsafi.ead.unesp.br/bitstream/handle/11449/115182/ISSN19847785-2012-04-08-123-138.pdf?sequence=1&isAllowed=y> Acesso em: maio de 2017.

PRATES, D. M. A inserção externa da economia brasileira no governo Lula. In. CARNEIRO, Ricardo (org.). A Supremacia dos Mercados e a Política Econômica do Governo Lula. São Paulo: FAPESP/UNESP, 2005.

PRATES, D. M.; BALTAR, C.; SEQUETTO, M. A inserção externa do Brasil no contexto da crise global. In: NOVAES, L. F.; CAGNIN, R. F.; BIASOTO JUNIOR, G. A economia brasileira no contexto da crise global. São Paulo: FUNDAP, 2014. 283p.

ROCHA, I. L. Desarticulação Produtiva e Dinâmica Estrutural: uma análise da densidade das cadeias produtivas (1995 a 2008). Boletim NEIT. Número 21, janeiro-abril., 2012. Pp. 7-14

SAMPAIO, D. P. Desindustrialização e estruturas regionais no Brasil. Tese de Doutorado. Campinas: Instituto de Economia/Unicamp, 2015.

SARTI, F.; HIRATUKA, C. Desempenho recente da indústria brasileira no contexto de mudanças estruturais domésticas e globais. Texto para Discussão. IE/Unicamp, Campinas, n. 290, abril, 2017.

Publicado
2018-03-27
Seção
Artigos