Os investimentos dos fundos de pensão brasileiros no mercado imobiliário comercial: uma análise do portfólio imobiliário e seu padrão territorial

Autores

  • Maira Magnani Universidade Federal Fluminense, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Núcleo de Pesquisas sobre Pactos Político-territoriais e Desenvolvimento, Niterói, RJ, Brasil https://orcid.org/0000-0002-0074-5622
  • Daniel Sanfelici Universidade Federal Fluminense, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Núcleo de Pesquisas sobre Pactos Político-territoriais e Desenvolvimento, Niterói, RJ, Brasil https://orcid.org/0000-0002-8292-5503
  • Guilherme A. Muniz Filho Universidade Federal Fluminense, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Núcleo de Pesquisas sobre Pactos Político-territoriais e Desenvolvimento, Niterói, RJ, Brasil https://orcid.org/0000-0003-1649-8328

DOI:

https://doi.org/10.22296/2317-1529.rbeur.202114

Palavras-chave:

Fundos de pensão, Mercado imobiliário comercial, Investimento imobiliário, Financeirização, Agentes Financeiros

Resumo

Considerando a necessidade de compreender de maneira mais atenta os agentes financeiros e urbanos, neste artigo, examinamos a condição de investidor imobiliário dos fundos de pensão brasileiros. Para tanto, analisamos o portfólio imobiliário dos fundos de pensão brasileiros, reconstituindo as recentes discussões sobre o investimento desse agente em tal classe de ativos e abordando os aspectos regulatórios que circundam suas práticas e alocações. Buscamos, ainda, caracterizar o patrimônio imobiliário dos fundos de pensão: quais os principais canais de investimento utilizados, bem como os segmentos e localizações investidas. A partir dos dados coletados, concluímos que há novos movimentos em favor de investimentos imobiliários conduzidos por meio de veículos financeiros; contudo, esses investimentos possuem características muito semelhantes aos investimentos adquiridos pela compra direta do imóvel comercial. Ambos os canais de investimento – direto e indireto –, como argumentamos, resultam em imóveis para uso comercial (como shopping centers e escritórios), localizados nos estados onde o mercado imobiliário comercial é bem desenvolvido, São Paulo e Rio de Janeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maira Magnani, Universidade Federal Fluminense, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Núcleo de Pesquisas sobre Pactos Político-territoriais e Desenvolvimento, Niterói, RJ, Brasil

Mestranda, com bolsa FAPERJ nota 10, no Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal Fluminense (UFF). Possui graduação nos cursos de Ciências e Humanidades (2017) e Políticas Públicas (2018) pela Universidade Federal do ABC (UFABC). Em 2020, teve a pesquisa de mestrado selecionada para receber a bolsa de estudos do Programa América Latina de Suporte à Bolsas de Estudos de Pós-Graduação (Latin America Program Graduate Student Fellowship Support) do Lincoln Institute of Land Policy. Desenvolve pesquisas no campo da geografia econômica sobre a atuação dos fundos de pensão brasileiros no mercado imobiliário comercial. Atualmente, participa de projeto de pesquisa sobre a atuação de investidores financeiros e corporativos no mercado imobiliário comercial brasileiro. É membro do Núcleo de Pesquisas sobre Pactos Políticos-Territoriais e Desenvolvimento (NUPACT).

Daniel Sanfelici, Universidade Federal Fluminense, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Núcleo de Pesquisas sobre Pactos Político-territoriais e Desenvolvimento, Niterói, RJ, Brasil

Professor do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal Fluminense. Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2005), Mestrado (2009) e Doutorado (2013) em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo. Realizou estágio de Doutorado no Center for Place, Culture and Politics (CUNY/Graduate Center) entre agosto de 2010 e junho de 2011, quando foi bolsista do convênio Capes/Fulbright. Foi pesquisador de pós-doutorado na Universidade Federal Fluminense em 2014 (Capes/PNPD) e no Laboratoire Techniques, Territoires et Sociétés (LATTS), Université Paris-Est, em 2015 (Capes). Desenvolve pesquisas nas áreas de estudos urbanos e geografia econômica, com ênfase nos seguintes temas: atores e dinâmicas do mercado imobiliário urbano, políticas de ordenamento territorial, fontes e estruturas de financiamento à produção imobiliária urbana e modelos de governança das cidades. Atualmente, desenvolve projeto de pesquisa sobre a atuação de investidores institucionais no mercado imobiliário comercial brasileiro. É membro da comissão editorial da revista GEOgraphia (UFF) e coordenador do Núcleo de Pesquisas sobre Pactos Políticos-Territoriais e Desenvolvimento (NUPACT).

Guilherme A. Muniz Filho, Universidade Federal Fluminense, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Núcleo de Pesquisas sobre Pactos Político-territoriais e Desenvolvimento, Niterói, RJ, Brasil

Graduando em Geografia pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Participou do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), promovido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Desenvolve pesquisa na área de Geografia Humana, com ênfase em Geografia Econômica. Atualmente, é bolsista de Iniciação Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e membro do Núcleo de Pesquisas sobre Pactos Políticos-Territoriais e Desenvolvimento (NUPACT).

Referências

AALBERS, M. Financial geography II: financial geographies of housing and real estate. Progress in Human Geography, v. 43, n. 2, p. 376-387, maio de 2019.

ABRAPP. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES FECHADAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR. Consolidado estatístico: uma fotografia mensal do setor. 2019a. Disponível em: http://www.abrapp.org.br/Consolidados/Consolidado%20Estat%C3%ADstico_10_2019.pdf. Acessado em março de 2020.

ABRAPP. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES FECHADAS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR. Grupos de trabalho da Abrapp avançam em propostas e soluções para o sistema. A!contece, edição 20 de Setembro de 2019. 2019b. Disponível em: https://mailchi.mp/3119ecfda1e5/acontece-grupo-de-trabalho-da-abrapp-prepara-estudos-e-propostas-para-nova-previdncia?e=9d0cc53d4b. Acessado em 28 de julho de 2020.

CATTANEO PINEDA, R. A. Los fondos de inversión inmobiliaria y la producción privada de vivienda en Santiago de Chile: ¿Un nuevo paso hacia la financiarización de la ciudad? EURE, v. 37, n. 112, p. 5-22, set. 2011.

CLARK, G. Pension fund capitalism. Oxford: Oxford University Press, 2000.

CLARK, G. L.; MONK, A. H. B. Institutional investors in global markets. Oxford: Oxford University Press, 2017.

CMN. CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL. Resolução CMV nº 4.661, de 25 de maio de 2018. Dispõe sobre as diretrizes de aplicação dos recursos garantidores dos planos administrados pelas entidades fechadas de previdência complementar. Diário Oficial da União, 29 de maio de 2018: Seção 1, p. 22-24.

CORAZZA, M. Entra na pauta a revisão da 4.661. Revista da Previdência Complementar Fechada, v. 38, n. 424, p. 71-76, setembro/outubro 2019.

FIX, M. São Paulo cidade global: fundamentos financeiros de uma miragem. São Paulo: Boitempo, 2007.

HAGERMAN, L.; HEBB, T. Balancing risk and return in urban investing. In: CLARK, G. L.; DIXON, A. D.; MONK, A. H. B. Financial risk management: from the global to the local. Oxford: Oxford University Press, 2009. p.189-208.

HALBERT, L.; ATTUYER, K. The financialization of urban production: conditions, mediations and transformations. Urban Studies, v. 53, n. 7, p. 1347-1361, jan. 2016.

HALBERT, L. Les acteurs des marchés financier’s font-ils la ville? Vers un agenda de recherche. EspacesTemps.net Revue indisciplinaire de sciences sociales. Peer review, 2013. Disponível em: https://www.espacestemps.net/en/articles/les-acteurs-des-marches-financiers-font-ils-la-ville-2/. Acessado em agosto de 2020.

HALBERT, L.; HENNEBERRY, J.; MOUZAKIS, F. The financialization of business property and what it means for cities and regions. Regional Studies, v. 48, n. 3, p.547-550, mar. 2014.

HEBB, T.; SHARMA, R. New finance for America’s cities. Regional Studies, v. 48, n. 3, p. 485-500, dec. 2013.

HENNEBERRY, J.; MOUZAKIS, F. Familiarity and the determination of yields for regional office property investments in the UK. Regional Studies, v. 48, n. 3, p. 530-546, fev. 2013.

KLINK, J.; BARCELLOS, M. Financeirização: conceitos, experiências e a relevância para o campo do planejamento urbano brasileiro. Cadernos Metrópole, v. 19, n. 39, p. 379-406, maio/ago. 2017.

LEYSHON, A.; THRIFT, N. The capitalization of almost everything: the future of finance and capitalism. Theory, Culture & Society, v. 24, n. 7, p. 97-115, dec. 2007.

LIZIERI, C.; PAIN, K. International office investment in global cities: the production of financial space and systemic risk. Regional Studies, v. 48, n. 3, p. 439-455, jan. 2013.

ROLNIK, R. Late neoliberalism: the financialization of homeownership and housing rights. International Journal of Urban and Regional Research, v. 37, n. 3, p. 1058-1066, may, 2013.

SANFELICI, D. Investidores financeiros no mercado imobiliário comercial: racionalidades decisórias e repercussões urbanas. In: SERPA, C.; CARLOS, A. F. Geografia Urbana: Desafios Teóricos Contemporâneos. 1 ed. Salvador: EDUFBA, 2018. p. 215-236.

SHIMBO, L.; SANFELICI, D.; MARTINES-GONZALEZ, B. Consultorias imobiliárias internacionais e racionalidade financeira na avaliação e gestão de imóveis em São Paulo. EURE, v. 47, n. 140, p. 221-242, jan. 2021.

THEURILLAT, T.; CORPOTAUX, J; CREVOISIER, O. Property sector financialization: the case of swiss pension funds (1992 – 2005). European Planning Studies, v. 18, n. 2, p. 189-212, fev. 2010.

THEURILLAT, T.; CREVOISIER, O. Sustainability and the anchoring of capital: negotiations surrounding two major urban projects in Switzerland. Regional Studies, v. 48, n. 3, p. 501-515, mar. 2013.

VAN LOON, J.; AALBERS, M. How real estate became ‘just another asset class’: the financialization of the investment strategies of Dutch institutional investors. European Planning Studies, v. 25, n. 2, p. 221-240, jan. 2017.

WIJBURG, G.; AALBERS, M. The internationalization of commercial real estate markets in France and Germany. Competition & Change, v. 21, n. 4, p. 301-320, jun. 2017.

Publicado

2021-05-18 — Atualizado em 2021-05-18

Versões

Edição

Seção

Artigos - Espaço, Economia e População