Vila Autódromo in dispute: subjects, instruments and strategies to reinvent the space | Vila Autódromo em disputa: sujeitos, instrumentos e estratégias para a reinvenção do espaço

Fernanda Sánchez, Fabrício Leal de Oliveira, Poliana Gonçalves Monteiro

Resumo


The struggle of the residents in Vila Autódromo to reinvent their territory, violently affected by the onslaught of urban restructuring during the times of Olympic urbanism in Rio de Janeiro, is taken as an emblematic case of the production of conflictual space. The present article describes the various instruments and strategies that the residents and their supporters have used in order to resist the current city project. The imaginative capacity of the subjects over recent years has helped to bring the case into the public sphere on several different levels: local, national and international. The present article is made up of the following sections: a brief description of Vila Autódromo as a disputed territory; the media as an active tool in the production of space; institutional violence on the territory; places for communicating the struggle; and insurgent territorial grammars. In the final considerations a number of the key ideas are taken up so as to emphasize the transformative, emancipatory learning possibilities for all those who have participated within the process.


Palavras-chave


conflictual space; public sphere; Vila Autódromo; Rio Olympics.

Referências


ASSOCIAÇÃO DE MORADORES E PESCADORES DA VILA AUTÓDROMO (AMPVA). Plano Popular da Vila Autódromo: Plano de desenvolvimento urbano, econômico, social e cultural. Rio de Janeiro: AMPVA, 2012.

BELISÁRIO, A. Documento da Lava Jato sugere cartel na Olimpíada. Agência Pública, 29 abr. 2016. Available at: http://apublica.org/2016/04/documento-da-lava-jato-sugerecartel-na-olimpiada/ . Accessed on: 29th April, 2016.

BROUDEHOUX, A. M. A construção da imagem urbana orientada por grandes eventos: potemkinismo, a mídia e a periferia. In: SÁNCHEZ, F. et al. (Org.). Copa do Mundo e as Cidades. Niterói: EDUFF, 2014. p. 19-33.

CARDOSO, A. L. Construindo a Utopia: Modernidade e Urbanismo no Brasil. 1988. Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano e Regional) – Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1988.

COMITÊ POPULAR DA COPA E OLIMPÍADAS DO RIO DE JANEIRO (CPCO-RJ). Dossiê Megaeventos e Violações dos Direitos Humanos no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: CPCO-RJ, 2014.

COSENTINO, R. Barra da Tijuca e o projeto olímpico: A cidade do capital. 2015. Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano e Regional) – Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

GUSMÃO DE OLIVEIRA, N. O poder dos jogos e os jogos de poder: interesses em campo na produção da cidade para o espetáculo esportivo. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, ANPUR, 2015.

GUTERMAN, B.; SÁNCHEZ, F.; LAIBER, P. Rio Olímpico 2016: Ciudad Maravillosa es la que Lucha. In: ARICO, G. MANSILLA, J. A.; STANCHIERI, M. L. Mierda de ciudad. Una rearticulación crítica del urbanismo neoliberal desde las ciencias sociales. Barcelona: Pollen Edicions, 2015. p. 109-121.

INSTITUTO MAIS DEMOCRACIA (IMD). Quem são os proprietários do Brasil? Available at: http://proprietariosdobrasil.org . Accessed on: 1st March, 2016.

JEUDY, H.-P.; JACQUES, P. B. (Org.). Corpos e cenários urbanos: Territórios urbanos e políticas culturais. Salvador: EDUFBA, 2006.

MASSEY, D. Space, place, and gender. Minneapolis: University of Minnesota Press, 1994.

MASSEY, D. Pelo espaço. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

MENDES, A. A nova luta da Vila Autódromo e dos moradores que resistem à remoção: reconstruir a Defensoria Pública e sua autonomia. Rede Universidade Nômade, 27 mar. 2014. Available at: http://uninomade.net/tenda/a-nova-luta-da-vila-autodromo-e-dos-moradores-que-resistem-a-remocao-reconstruir-a-defensoria-publica-esua-autonomia/ . Accessed on: 15th August, 2016.

MEDEIROS, M. Parque Olímpico 2016: irregularidades no processo de concessão administrativa. In: VAINER, C. et al. (Org.). Os megaeventos e a cidade: perspectivas críticas. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2016. p. 187-214.

MIRAFTAB, F. Insurgent planning: situating radical planning in the global South. Planning Theory, v. 8, n. 1, p. 32-50, fev. 2009. https://doi.org/10.1177/1473095208099297 MUÑOZ, F. Urbanalización. Paisajes comunes, lugares globales. Barcelona: Gustavo Gilli, 2010.

OLIVEIRA, F. L.; BIENENSTEIN, R.; TANAKA, G. A batalha da Vila Autódromo: “negociação” e resistência à remoção. In: VAINER, C. et al. (Org.). Os megaeventos e a cidade: perspectivas críticas. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2016. p. 483-512.

SWYNGEDOUW, E. Authoritarian Governance, Power and the Politics of Rescaling. Environment and Planning D: Society and Space. v. 18, n. 1, p. 63-76, fev. 2000. https://doi.org/10.1068/d9s

VAINER, C. et al. O Plano Popular da Vila Autódromo: uma experiência de planejamento conflitual. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 15., 2013, Recife. Anais... Available at: http://unuhospedagem.com.br/revista/rbeur/index.php/anais/article/view/4316 . Accessed on: 15th August, 2016.

WATTS, J. The Rio property developer hoping for a $1bn Olympic legacy of his own. The Guardian, 4 ago. 2015. Disponível em: https://www.theguardian.com/sport/2015/aug/04/rio-olympic-games-2016-property-developer-carlos-carvalho-barra . Accessed on: 15th August, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.22296/2317-1529.2016v18n3p408

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

REVISTA BRASILEIRA DE ESTUDOS URBANOS E REGIONAIS - REV. BRAS. ESTUD. URBANOS REG. (Online)

ISSN: 2317-1529 (eletrônico); 1517-4115 (impresso)

 

Indexadores, Repositórios e Bases de dados:

                               


Redes Sociais: 


Licenciada sob uma Licença Creative Commons:

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia