O mercado de aluguel de imóveis comerciais e de serviços em centros históricos brasileiros: implicações da conservação inovadora e da destruição aniquiladora nos preços dos bens patrimoniais

Palavras-chave: Centro histórico, Mercado imobiliário, Atividades comerciais e de serviços

Resumo

Diante da importância do parque imobiliário de locação destinado às atividades terciárias nos centros históricos brasileiros, este artigo pretende desenhar um esquema interpretativo do funcionamento desse mercado, tendo como fundamento o centro histórico recifense, em Pernambuco, com base na averiguação dos comportamentos dos seus agentes, os quais agem ora impulsionados a conservar os valores históricos dos bens patrimoniais (conservação inovadora), ora a destruí-los e, assim, aniquilar os valores neles presentes (destruição aniquiladora). Para isso, foi necessário analisar a relevância do rentismo imobiliário; as características dos bens transacionados quanto à heterogeneidade e às perspectivas de aumento da oferta; o perfil e o grau de informação dos agentes; suas condutas em face desses ativos reais e os preços de aluguéis ofertados no mercado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Norma Lacerda, Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano, Recife, PE, Brasil

Doutora em planejamento urbano pelo Institut des Hautes Études de l’Amérique Latine (IHEAL), Sorbonne Nouvelle, Paris III, França. Professora titular do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com atuação no Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano (MDU).

Pedro Abramo, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Doutor em economia pela École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS) de Paris, França. Professor do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IPPUR-UFRJ).

Referências

ABRAMO, P. La ville kaléidoscopique. Coordenation spatiale et convention urbaine. Paris: Editions L’Harmattan, 1998.

ALBUQUERQUE, I. J. C.; LACERDA, N. Normas indutoras e interesse público: o Porto Digital (Bairro do Recife) e a captura da coisa pública. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional, XVI, 2019, São Paulo. Anais [...] São Paulo: Anpur, 2017. p. 1-25.

BRASIL. Lei n. 8.248, de 23 de outubro de 1991. Dispõe sobre a capacitação e competitividade do setor de informática e automação e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 24 out. 1991.

CHAMBERLIN, E. La théorie de la concurrence monopolistique. Paris: Presses Universitaires de France, 1953.

FERNANDES, A. C.; LACERDA, N. Em que cesta colocar os ovos. A peleja do Porto Digital entre promoção do setor de software e valorização imobiliária no Recife Antigo. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional. XVII, 2019, Natal. Anais [...] Natal: Anpur, 2019. p. 1-25.

GRANELLE, J-J. Économie immobilière. Analyses et applications. Paris: Economica, 1998.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cadastro Nacional de Endereços para Fins Estatísticos (CNEFE). Rio de Janeiro, 2010.

JORNAL DO COMMERCIO. Nova expansão do Porto Digital. Recife, 09.10.2015.

LACERDA. N. La production sociale des intérêts fonciers et immobiliers: le cas de Recife (Brésil). 296 f. Tese de doutorado (Géographie-Aménagement-Urbanisme). Université de La Sorbonne Nouvelle – Paris III, Paris, 1993.

LACERDA, N. Mercado imobiliário de bens patrimoniais: um modelo interpretativo a partir do centro histórico do Recife (Brasil). Revista Eure, Santiago, Chile, v. 44, n. 132, p. 113-132, maio 2018.

LACERDA, N.; FERNANDES, A. C. Parque tecnológico: entre a inovação e a renda imobiliária no contexto da metrópole recifense (Brasil). Cadernos Metrópole, São Paulo, v. 17, n. 34, p. 329-354, nov. 2015.

LIPIETZ, A. Le tribut foncier. Paris: François Mapero, 1974.

LUCENA, F. Funcionamento do mercado imobiliário no sítio histórico do Recife: a avenida Guararapes enquanto um ser educacional. 12 f. Relatório Pibic. Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2015.

MENEZES, L. R. Habitar no centro histórico: a habitação de interesse social como instrumento de reabilitação do Centro Histórico do Recife. 292 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Urbano) – Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano. Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2016.

OSTROWETSKY, S. L’imaginaire bâtisseur – les villes nouvelles françaises. Paris: Librairie des Méridiens, 1983.

PIKETTY, T. O capital no século XXI. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014.

PRIMAVERA, L. L.; LACERDA, N.; VASCONCELOS, P. B. A Santa Casa de Misericórdia do Recife: lógica rentista e conservação dos seus bens patrimoniais. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, São Paulo, v. 21, n. 3, p. 605-620, set.-dez. 2019.

RECIFE. Lei n. 17.244, de 27 de julho de 2006. Institui o Programa de Incentivo ao Porto Digital mediante a concessão de benefícios fiscais condicionados. Recife: Câmara Municipal, [2006]. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/legislacao-municipal/2880/leis-de-Recife/?q=17244. Acesso em: 20 de agosto de 2016.

RECIFE. Lei n. 17.942, de 3 de dezembro de 2013. Altera a Lei Municipal n. 17.244, de 27 de julho de 2006, que instituiu o Programa de Incentivo ao Porto Digital mediante a concessão de benefícios fiscais condicionados. Recife: Câmara Municipal, [2013]. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/legislacao-municipal/2880/leis-de-Recife/?q=17942. Acesso em 20 de agosto de 2016.

RECIFE. Lei n. 18.168, de 29 de outubro de 2015. Altera o dispositivo da Lei n. 17.244, de 27 de julho de 2006, modificada pela Lei 17.762, de 28 de dezembro de 2011. Recife: Câmara Municipal [2015]. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/legislacao-municipal/2880/leis-de-Recife/?q=18168. Acesso em 20 de agosto de 2016.

RAMALHO, F.; FERNANDES, A. C. Efeitos locais de políticas públicas federais: observações a partir da lei de informática no desenvolvimento do setor de software de Campina Grande, PB. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 11, n. 1, p. 105-125. 2009.

SCHUMPETER, J. Teoria do desenvolvimento econômico. Uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2012.

SILVA, C. S. M. A dinâmica espacial do mercado imobiliário de aluguel comercial em áreas históricas dos Bairros de Santo Antônio e São José. 2018, 137 f. Monografia (Graduação em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2018.

Publicado
2020-09-07
Seção
Artigos - Espaço, Economia e População